sábado , 20 outubro 2018
enpt
Home / Reportagens / Assaltos no Rio chocam a comunidade brasileira de Magic

Assaltos no Rio chocam a comunidade brasileira de Magic

Dois assaltos a lojas num intervalo de 60 dias, na região metropolitana do Rio de Janeiro, deixaram lojistas e jogadores abalados. Cards of Paradise e Legion Board and Card Games, e seus clientes, foram vítimas de ações criminosas entre fevereiro e abril deste ano. Pessoas de todo o Brasil se manifestaram a respeito do ocorrido pelas redes sociais, em sua maioria repudiando as ações e prestando solidariedade aos atingidos.

A Legion, localizada no centro de Niterói, foi invadida na última quinta-feira (6), durante um torneio Modern. Os dois ladrões, armados, levaram cerca de R$ 50 mil em cartas da loja e decks dos jogadores presentes, além de celulares, relógios e outros objetos. Ninguém ficou ferido.

Situação similar ocorreu na Cards of Paradise. Em meados de fevereiro um assalto, também num dia movimentado, deixou a comunidade traumatizada. “Não quero saber de ir a lojas por um bom tempo”, desabafou uma das vítimas em seu perfil numa rede social.

Os lojistas da região reforçaram as medidas de segurança. Umas contrataram empresas particulares, outras instalaram mais câmeras de vigilância e passaram a permitir a entrada em suas dependências apenas após a identificação dos clientes.

O organizador da Liga Alpha de Legacy, Rodrigo Sousa Marajá, informou que tomará medidas específicas para que a próxima etapa ocorra sem transtornos. “Já agendamos reunião para estudar as possibilidades, mas uma coisa eu garanto: a segurança do nosso evento será garantida”, afirmou.

As autoridades policiais foram acionadas e prometeram investigar os crimes levando em consideração que as ações foram direcionadas, e não apenas mais um “roubo a comércio”.

De acordo com Fábio Mendes, um dos clientes que estavam na Legion durante o assalto, os criminosos foram claramente instruídos. “Eles apontaram as armas para o Felipe e disseram que queriam os boosters. Quando o Felipe mostrou os pacotes eles replicaram. ‘Não, quero aquela caixinha fechada enrolada num plástico que parece uma caixa de bombom'”, relatou.

Para chegar aos mandantes dos crimes cometidos por esta quadrilha, mais do que nunca os investigadores deverão usar a famosa frase imortalizada pelo caso Watergate: “Siga o dinheiro”.

A frase, dita pela principal fonte dos jornalistas que provocaram a renúncia do ex-presidente dos EUA Richard Nixon, deve ser o fio condutor da investigação. Ao contrário de um roubo qualquer ao comércio, onde os ladrões levam o dinheiro do caixa e vão embora, no caso das cartas o ato criminoso não se encerra ali. Essas cartas serão entregues a quem contratou o serviço para que sejam revendidas e, sem dúvida, esta é a melhor chance de pegar os criminosos.

As vítimas dos assaltos, em colaboração com os investigadores, poderão fornecer os elementos necessários à identificação de suas cartas e, dessa forma, levar à desarticulação da quadrilha.

Sobre Fausto de Souza

Fausto de Souza é pseudônimo do jornalista Marcelo Salles, que joga e coleciona desde 1994. Viciado nas cartinhas e em escrever, tem feito grandes amigos em toda a comunidade e é muito grato por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *