quarta-feira , 13 dezembro 2017
enpt
Home / Colunas / Command Beacon / Leaks de Commander 2017

Leaks de Commander 2017

Olá senhoras e senhores!
Bem vindos ao Command Beacon, a nossa coluna sobre Commander multiplayer aqui na Eternal Magic!

Meus amigos, o mundo do Commander está em rebuliço! Algumas cartas do Commander 2017 foram vazadas e o primeiro tribal revelado foi um pentacolor de Dragões! Sábia escolha da Wizards, pois com toda certeza é uma das tribos com maior apelo entre jogadores casuais e novatos. Curiosamente foram reveladas até agora nada menos que 15 lendárias em um único deck! E ainda é possível que essa contagem aumente.

10 Reprints:

5 Novidades:

A parte interessante é que as 5 novas lendárias não são tão novas assim, pois já estavam presentes na lore do jogo há algum tempo e inclusive algumas delas são absurdas em nível de poder na história.

The Ur Dragon


O primeiro leak é o The Ur Dragon, provavelmente o comandante desse deck de dragões. Ele é o espirito de toda a raça draconiana de Dominária e a amalgama de características que representam o que são os dragões. Suas características principais aparecem nos flavors texts de cada golem atendente dos 5 dragões Primordiais de Dominária (Darigaaz’s Attendant, Rith’s Attendant, Treva’s Attendant, Dromar’s Attendant e Crosis’s Attendant). De certa forma pode-se colocar que o Ur Dragão seria a forma perfeita e divina dos Dragões de Dominária.

Ele traz uma nova mecânica: Eminence. Acredito que essa habilidade deva ser compartilhada entre os comandantes de Commander 2017 e se seguir o padrão apresentado pelo Ur Dragon teremos criaturas que influenciam o jogo mesmo quando estão na Command Zone, não necessariamente com redução de custos para as tribos que representem (que serão 4). Potencialmente muito forte. Afinal, praticamente todos aqueles lançados até então e que tenham relação mais intima com essa zona, são bem poderosos. É o caso do ciclo de 2013: Derevi, Empyrial Tactician, Jeleva, Nephalia’s ScourgeProssh, Skyraider of Kher, Marath, Will of the Wild e Oloro, Ageless Ascetic. O Ur Dragon é muito poderoso por ter identidade das 5 cores e reduzir o custo de todos os outros dragões, mesmo sem nunca se conjurado. Se descer essa 10/10 e atacar com dragões, irá comprar cartas e ainda baixar uma permanente de graça. Grosseria. Mas sejamos sinceros, são, vejam bem, NOVE MANAS, sendo 1 de cada cor e 4 genéricas. Dá um trabalho enorme conjurar esse rapaz. É mais fácil ele sendo melhor aproveitado pelo seu herdeiro, dentro de um deck liderado por Scion of the Ur-Dragon  ou um deck pentacolor com temática Reanimator (talvez até mesmo o próprio Scion). Mas pode apostar que veremos muitas pessoas usando ele como general, principalmente em comunidades mais casuais.

O-Kagachi, Vengeful Kami


É o criador do plano de Kamigawa, sendo mais velho que o mesmo. Sua função após a criação era proteger o véu que separava o mundo dos espíritos do mundo mundano. Após milênios de existência sem nunca atuar em Kamigawa, inicia a Guerra dos Kamis para recuperar parte de seu espírito que foi roubado por Konda, Lord of Eiganjo, que é morto por O-Kagachi. Por sua vez, o dragão Kami foi morto por sua filha Kyodai, que se fundiu com Michiko Konda, Truth Seeker  ao fim da guerra.

É o nosso segundo dragão pentacolor no deck. Infelizmente o seu nível de poder mecânico não corresponde em nada com o apresentado na lore. Indo direto ao ponto, ele é bem ruinzinho. Exilar uma permanente causando dano de combate é muito forte e seria o ideal para uma construção mais Control ou Midrange, porém, é necessário ter sido atacado por aquele jogador, o que já limita bastante sua efetividade. Jogadores de controle e combo rirão na sua cara e o único que pode talvez se preocupar são aqueles com decks mais agressivos e mesmo assim, um bom deck desse arquétipo provavelmente vai te eliminar em um único bom ataque.  Em uma construção em um deck mais político, tem seus méritos, mas mesmo assim, se ao menos tivesse Impeto, já seria melhor como instrumento de dissuasão, para uma punição imediata. Mas não! Custava colocar essa habilidade? Para alcançar isso é necessária uma construção de board prévia para punir um jogador que ouse te atacar e dai extrair algum valor. Nem em uma construção Voltron (decks voltados em eliminar por meio de dano de comandante) O-Kagachi é eficiente, devido a ausência de impeto, alguma forma de proteção e, aqui é de doer, 1 mísero pontinho de ataque. Se ele fosse 7/X já seria viável, o que limitaria a 3 ataques para eliminar alguém, e não 4. Vá ter quem monte, mas eu não aconselho.

Wasitora, Nekoru Queen


Pertencente a uma das raças draconianas secundárias de Dominária, os gato-dragões, e uma das únicas 3 de sua raça a possuir magia verde de cura. Nascida em Jamuraa, derrotou todas as fêmeas de sua espécie, se auto intitulando a Rainha dos Nekoru. Após cruzar com o macho alfa, estabelece seu ninho na costa de Madara. Os moradores da região incomodados em pagar tributos em peixe para a Nekoru pedem ajuda ao Império de Madara, que envia seu campeão Tetsuo Umezawa. A rainha e Umezawa entram em conflito, que é interrompido por um vorme. Após se unirem para matar a criatura, Tetsuo decide nomear Wasitora protetora da vila, e para tanto deveria ser paga em peixes. Quando Tetsuo se revolta contra o Imperador e seu Regente (Nicol Bolas), Wasitora se muda para a Mansão de Umezawa e a defende do exército Imperial. Sua prole, milênios depois, passam a controlar os restos do Império.

Pra quem esperava um novo comandante Jund, Wasitora é uma comandante razoável. Causar dano de combate, tendo evasão, e forçar um sacrifício, é interessante. Pode ser bem aplicado em construções de deck Midrange, nos quais um jogo de atrito e disputa de recursos é sua casa. Caso o oponente não posso sacrificar, coloca uma ficha Jund 3/3, com Voar, de Gato Dragão.

É, essa é a zoeira da vez! Mas não espere encher o campo com uma grande quantidade de gatinhos cuspidores de fogo, é uma habilidade um tanto condicional. Se tivesse Impeto e colocasse ficha quando um oponente sacrificasse uma criatura, seria muito, mas muito mais interessante. Além disso não tem nenhuma forma de se proteger. Em suma, dá pra brincar com essa comandante. Pode brilhar em um field mais lento e menos competitivo, mas passa mal para comandantes poderosos.

Os dois próximos leaks eu darei um pouco mais de atenção devido ao seu potencial.

Ramos, Dragon Engine


Em tese, foi criado para servir a Mishra durante a guerra dos irmãos, mas acabou sendo capturado e reprogramado por Urza para proteger o povo de Terisiare. Durante a explosão do Sylex Golgotiano, Ramos levou humanos e tritões de Argoth para Phyrexia (seu plano natal) e de lá os guiou para um portal para Mercadia. Porém, na sua aterrissagem acabou aniquilando uma cidade. Os sobreviventes  salvos por ele construíram cidades no local, e nos séculos seguintes o adoraram como um Deus (os Cho-arrin, Rishadans e os tritões Sapprazans). Quando a Bons Ventos vai a Mercadia, e encontra com Ramos, ele concede 5 partes de seu corpo e sua essência – que fazem parte do Legado – além de lhes ajudar a escapar de Volrath.

Esse é um comandante sensacional e pode talvez vir a figurar entre os melhores decks do formato. Primeiramente, ele tem um custo genérico de 6 manas, sendo portanto facilmente conjurado com por exemplo, mana rocks (artefatos geradores de mana). Porém, a identidade de Ramos não é incolor, mas sim pentacolor, devido a sua habilidade. O interessante aqui é que as cores presentes na sua base de mana, na pratica, não fazem a menor diferença. Se quiser pode montá-lo com absolutamente qualquer uma das 32 combinações de cores possíveis e não terá problema algum tendo todas as cores como para conjurar um comandante pentacolor típico.

Mas o que o torna realmente interessante é a habilidade de gerar 10 MANAS COLORIDAS! Com ele em campo, toda mágica castada desencadeará colocar 1 marcador +1/+1 para cada cor da mágica, ou seja, com um Vampiric Tutor, coloca 1. Com um Sultai Charm, 3. E um Maelstrom Archangel, 5 marcadors. A partir do momento que tiver marcadores suficientes, poderá retirar 5 deles e gerar as 10 manas, 1 vez por turno. Isso nos dá um leque de opções interessantes e trago 2 listas que imaginei para Ramos: uma Goodstuff (basicamente um deck construido com cartas de alta qualidade individual) e uma Storm (um combo gerado por uma grande quantidade de cartas conjuradas em um único turno), embora outras versões não retratadas aqui sejam plenamente possíveis, como uma Voltron Aggro (Focado em eliminar os demais oponentes com dano de comandante). Ambas as listas podem e devem ser refinadas já que não foram testadas e são uma primeira versão. Deve ser lembrado que não existem listas definitivas no formato e essas foram apenas ideias que tive. Mais uma observação é que estou levando em consideração listas otimizadas, portanto, não budgets (embora existam obviamente, formas de barateá-las).

Deck – Ramos, Dragon Engine (5C Goodstuff) (0)

Commander: (1)
Ramos, Dragon Engine

Criaturas: (11)
Birds of Paradise
Consecrated Sphinx
Deadeye Navigator[mtg_card]
Deathrite Shaman
Lotus Cobra
Maelstrom Archangel
Magister Sphinx
Mikaeus, the Unhallowed
Palinchron
Triskelion
Verdurous Gearhulk

Encantamentos: (3)
Maelstrom Nexus
Omniscience
Rhystic Study

Artefatos: (21)
Azorius Signet
Boros Signet
Chromatic Lantern
Crucible of Worlds
Dimir Signet
Gilded Lotus
Golgari Signet
Grim Monolith
Gruul Signet
Izzet Signet
Mana Crypt
Mana Vault
Orzhov Signet
Paradox Engine
Prismatic Geoscope
Rakdos Signet
Selesnya Signet
Simic Signet
Sol Ring
Swiftfoot Boots
Voltaic Key

Feitiços: (25)
Armageddon
Capture of Jingzhou
Conflux
Demonic Tutor
Expropriate
Farseek
Imperial Seal
Increasing Savagery
Merciless Eviction
Nature’s Lore
Part the Waterveil
Ravages of War
Soul’s Might
Supreme Verdict
Temporal Manipulation
Temporal Mastery
Three Visits
Time Spiral
Time Stretch
Time Warp
Tooth and Nail
Toxic Deluge
Walk the Aeons
Wheel of Fortune
Wrath of God

Mágicas Instantâneas: (6)
Anguished Unmaking
Cyclonic Rift
Jund Charm
Lifecraft Awakening
Utter End
Vampiric Tutor

Terrenos: (33)
Ancient Tomb
Arid Mesa
Badlands
Bayou
Blood Crypt
Bloodstained Mire
Breeding Pool
Command Tower
Flooded Strand
Godless Shrine
Hallowed Fountain
Marsh Flats
Misty Rainforest
Overgrown Tomb
Plateau
Polluted Delta
Sacred Foundry
Savannah
Scalding Tarn
Scrubland
Steam Vents
Stomping Ground
Taiga
Temple Garden
Tropical Island
Tundra
Underground Sea
Urborg, Tomb of Yawgmoth
Verdant Catacombs
Volcanic Island
Watery Grave
Windswept Heath
Wooded Foothills

Essa lista usa a habilidade de Ramos para abusar de mágicas poderosas. Como podem perceber, conta com 17 mana rocks (artefatos geradores de mana), 2 mana dorks (criaturas geradoras de mana, no caso, Birds of Paradise e Deathrite Shaman, 3 se contar Lotus Cobra) e 3 ramps (Nature’s Lore, Three Visits e Farseek. Todos os 3 se aproveitam da nossa base da mana com tipos especificos de terrenos), ou seja, os custos pesados não serão tão problemáticos, mesmo se o Plano A falhar (gerar mana com o Ramos).

A partir do momento em que estivermos com nosso comandante em campo, existem vários formas de abuso, como o uso de mágicas que coloquem marcadores +1/+1 por exemplo. Nessa categoria trago algumas opções: Verdurous Gearhulk, Increasing Savagery, Soul’s Might, Lifecraft Awakening e Jund Charm. Todos potencialmente conseguem colocar 5 marcadores em Ramos. Ainda é possível colocar marcadores pelo simples conjurar de mágicas de 5 cores, como Maelstrom Nexus, Maeltrom Archangel ou Conflux.  Dessa forma podemos causar muito dano com o dragão artefato, usar sua habilidade e jogar algo como turnos extras ou destruições globais de terrenos. A maldade é o limite. Uma opção é vencer com o uso de Tooth and Nail, colocando Mikaeus, the Unhallowed e Triskelion, combando de dano infinito. Para quem não conhece o combo: tire 1 marcador do Triskelion, cause dano, tire mais 2, cause dano nele mesmo já que estará 2/2 (+1/+1 devido ao Mikaeus). Volte com o Imortal concedido por Mikaeus. Repita.

Deck – Ramos, Dragon Engine (5C Storm) (0)

Commander: (1)
Ramos, Dragon Engine

Criaturas: (9)
Azusa, Lost but Seeking
Baral, Chief of Compliance
Birds of Paradise
Deathrite Shaman
Lotus Cobra
Ornithopter
Shield Sphere
Tinder Wall
Walking Ballista

Encantamentos: (6)
Carpet of Flowers
Hardened Scales
Mystic Remora
Phyrexian Unlife
Rhystic Study
Squandered Resources

Artefatos: (16)
Aetherflux Reservoir
Chromatic Lantern
Chrome Mox
Defense Grid
Grim Monolith
Helm of Awakening
Isochron Scepter
Lotus Petal
Mana Crypt
Mana Vault
Mox Diamond
Mox Opal
Paradox Engine
Sensei’s Divining Top
Sol Ring
Voltaic Key

Feitiços: (16)
Cruel Tutor
Demonic Tutor
Diabolic Intent
Farseek
Grim Tutor
Imperial Seal
Infernal Plunge
Mizzix’s Mastery
Nature’s Lore
Ponder
Preordain
Summer Bloom
Three Visits
Wheel of Fortune
Windfall
Yawgmoth’s Will

Mágicas Instantâneas: (19)
Ad Nauseam
Angel’s Grace
Brainstorm
Burnt Offering
Cabal Ritual
Culling the Weak
Dark Ritual
Desperate Ritual
Dramatic Reversal
Enlightened Tutor
Lifecraft Awakening
Manamorphose
Mystical Tutor
Noxious Revival
Pact of Negation
Pyretic Ritual
Sacrifice
Seething Song
Vampiric Tutor

Terrenos: (33)
Ancient Tomb
Arid Mesa
Badlands
Bayou
Blood Crypt
Bloodstained Mire
Breeding Pool
Command Tower
Flooded Strand
Godless Shrine
Hallowed Fountain
Marsh Flats
Misty Rainforest
Overgrown Tomb
Plateau
Polluted Delta
Sacred Foundry
Savannah
Scalding Tarn
Scrubland
Steam Vents
Stomping Ground
Taiga
Temple Garden
Tropical Island
Tundra
Underground Sea
Urborg, Tomb of Yawgmoth
Verdant Catacombs
Volcanic Island
Watery Grave
Windswept Heath
Wooded Foothills

Aqui deve entrar uma surpresa para muitos: existem decks Storm no Commander. E estão entre os decks mais poderosos do formato e, curiosamente, são comuns não constar com nenhuma mágica com a habilidade Storm na lista, pois esses decks contam com um novidade recente que trouxe mais consistência ao arquétipo: Aetherflux Reservoir, a nossa querida caixa d’água. Usualmente leva por volta de 15 mágicas para explodir uma mesa com 4 pessoas. Para essa estratégia ser efetiva e não pifar, precisamos encher a mão com mágicas suficientes para vencer. A carta chave aqui é uma das mais poderosas do formato e uma conhecida dos jogadores de Legacy e Modern: Ad Nauseam. Para ser bem sincero, com um bom deck Storm basicamente é usar essa mágica instantânea e simplesmente vencer o jogo, muitas vezes até com todas os terrenos virados. Comprando facilmente umas 30 cartas, é muito provável que venha algum gerador de mana de custo 0, e a partir dele outros geradores de mana um pouco mais pesados, abastecendo sua pool suficiente para permitir conjurar Artherflux Reservoir, continuar com suas mágicas e vencer o jogo com uma quantidade suficiente delas como geradores de mana, tutores para as peças que permitam dar continuidade a sequência de mágicas e cartas de baixo custo em geral.

E o que Ramos, Dragon Engine traz de interessante para esse tipo de deck? Primeiramente, todas as opções de cores. Storms costumam ter uma base Preta e Azul, sendo complementada normalmente por Vermelho ou Verde. O mais incomum é o Branco, mas essa cor traz 2 opções muito boas ao deck: Angel’s Grace e Phyrexian Unlife, ambos muito bons para serem castados antes do Ad Nauseam e efetivamente comprar o deck inteiro. A segunda vantagem no nosso comandante nesse tipo de deck é a facilidade com que o conjuramos, usamos várias mágicas pequenas e geramos 10 manas coloridas. Essas manas a mais trazem um grande poder para esse tipo de lista e imagino, portanto, que veremos Ramos figurando efetivamente entre os melhores comandantes do do formato.

Um detalhe importante: A lista postada possui praticamente zero de interação e aconselho fortemente que analise seu field e veja aquilo mais comum e que mais atrapalha seu combo, trazendo portando as respostas adequadas (Flusterstorm, Nature’s Claim, Duress, Swords to Plowshares, etc).

Taigam, Ojutai Master


Originalmente, um monge que traiu Narset, Khan dos Jeskai, passando a servir como enviado e representante direito da Khan Sultai, Sidisi. Na nova realidade de Tarkir, passou a disputar com Narset a posição de maior pupilo (humano ao menos) de Ojutai. Após Narset descobrir a verdade sobre o passado de Tarkir e ser declarada como herege por Taigam, este se torna o maior mestre humano dentre os seguidores de Ojutai.

Esse é um exemplo de carta claramente feita por estagiários. Seu power level certamente deverá colocá-lo entre a elite dos comandantes. Com Mana Crypt e Sol Ring, facilmente cai no 2º turno e a partir de então suas mágicas instantâneas e feitiços (e de bônus, dragões) não podem ser anulados. Isso dá uma grande segurança para suas jogadas. Mas a parte que realmente interessa é a seguinte: todos os seus feitiços e mágicas instantâneas ganham Rebound caso Taigam tenha atacado (o detalhe está em atacar, não causar dano, o que não é impedido por bloqueadores). Com Rebound, a mágica é exila após ser resolvida e pode ser conjurada novamente na próxima upkeep. Na prática, cada coisa imbecil que fizer será duplicada com leve atraso. Aqueles sem amor no coração já devem ter pensado uma grande quantidade de jogadas maléficas. Na lista abaixo, trago uma versão Combo Control do deck.

Deck – Taigam, Ojutai Master (Combo Control) (0)

Commander: (1)
Taigam, Ojutai Master

Criaturas: (4)
Baral, Chief of Compliance
Consecrated Sphinx
Jace, Vryn’s Prodigy
Teferi, Mage of Zhalfir

Planeswalkers: (2)
Elspeth, Sun’s Champion
Jace, the Mind Sculptor

Encantamentos: (7)
Back to Basics
Dovescape
In the Eye of Chaos
Land Tax
Mystic Remora
Reconnaissance
Rhystic Study

Artefatos: (20)
Aetherflux Reservoir
Azorius Signet
Chrome Mox
Fellwar Stone
Gilded Lotus
Grim Monolith
Isochron Scepter
Lightning Greaves
Mana Crypt
Mana Vault
Mind Stone
Mox Diamond
Paradox Engine
Sapphire Medallion
Sensei’s Divining Top
Sol Ring
Talisman of Progress
Thought Vessel
Thran Dynamo
Voltaic Key

Feitiços: (12)
Bribery
Capture of Jingzhou
Council’s Judment
Fabricate
Manifold Insights
Personal Tutor
Supreme Verdict
Temporal Manipulation
Time Stretch
Time Warp
Treasure Cruise
Wrath of God

Mágicas Instantâneas: (22)
Arcane Denial
Capsize
Counterspell
Cryptic Command
Cyclonic Rift
Dig Through Time
Disallow
Disenchant
Enlightened Tutor
Force of Will
Mana Drain
Mystic Confluence
Mystical Tutor
Opportunity
Path to Exile
Render Silent
Rewind
Silence
Sphinx’s Revelation
Swan Song
Swords to Plowshares
Trickbind

Terrenos: (32)
Ancient Tomb
Arid Mesa
Cavern of Souls
Command Tower
Flooded Strand
Glacial Fortress
Hallowed Fountain
10 Island
Marsh Flats
Maze of Ith
Misty Rainforest
Plains
Polluted Delta
Prairie Stream
Scalding Tarn
Tundra
Windswept Heath

Vocês devem ter percebido que o deck é recheado de respostas. Várias formas de anular as jogadas dos oponentes, bem como remover suas criaturas e frustá-los. Um outro detalhe da lista é Dovescape e In the Eye of Chaos: as mágicas dos oponentes serão anuladas e as suas não, tornando esse efeito originalmente assimétrico em simétrico, ao atrapalhar somente os demais jogadores. Enquanto atrasa a vida dos demais, você junta recursos suficientes para começar uma enxurrada de turnos extras, que serão jogados 2 vezes se o plano correr conforme o previsto (Time Stretch permite jogar 4 turnos. 4 TURNOS INTEIROS com uma única conjuração. Jesus).

Como vencer com esse deck? A melhor forma é novamente com Aetherflux Reservoir, mas diferente de um deck Storm, aqui precisaremos de Isochron Scepter, com uma mágica instantânea de custo 2 ou menos estampada,  Paradox Engine e ao menos 2 manas geradas por mana rocks. Tanto o motor quanto a caixa d’água desencadeam com o cetro, permitindo gerar vida, dano e mana infinita (caso tenha ao menos 3 manas geradas por artefatos). Com vários turnos extras e tutores duplicados, passa a ser relativamente simples alcançar essa condição. Se tudo mais falhar, você pode matar todos com os pombos do Dovescape.

Meus queridos, por hoje é isso. Espero que tenham gostado e se possível, me deem um feedback. Essa coluna é para vocês!

Ah! Gostaria de deixar um beijo molhado e sedutor para o lindo do Felipe Galdino, que me ajudou com as lores das criaturas vazadas. Muito obrigado cara!

Sobre Mateus Nogueira

Professor da rede pública de ensino no Distrito Federal, formado em Ciências Biológicas, nerd multiclasse e jogador de diversos formatos de Magic: the Gathering. É especialmente apaixonado pelo Commander em sua vertente multiplayer, sendo um infeliz sem alma, apreciador de Stax e Combos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *