sexta-feira , 24 novembro 2017
enpt
Home / Colunas / Duels in Time / Contagem Regressiva Nacional Legacy 2017: 149 dias
Let the drums frill...

Contagem Regressiva Nacional Legacy 2017: 149 dias

Bem-vindos duelistas de todo o multiverso, mais uma semana e com ela um novo post na coluna Duel’s In Time para o site Eternal Magic. Dessa vez venho começar a Contagem Regressiva para o Nacional Legacy 2017: 149 dias.

Primeiro Nacional sem o Tampo!

Sei que é pouco menos de 5 meses para o maior evento legacy do país, mas como o diz o ditado: “Em tempos de paz, prepare-se para guerra“.

“Em tempos de paz, prepare-se para guerra.”

Então daqui até o grande dia abordarei o metagame do formato, os posicionamentos dos decks e suas principais adversidades. Assim possibilitando a todos um preparativo para participar desta confraternização do Legacy e de quebra pegar uma fatia dos R$ 10.000,00 em prêmios.

E no post de hoje, vamos avaliar os principais decks que fizeram top 8 nos campeonatos regionais (Alpha Legacy, Circuito Legacy Catarinense, Lampions League Legacy, Legacy RS, Liga Mineira de Legacy) e que tem grandes chances de aparecer no Nacional Legacy 2017.

Decks presentes nos top8 dos regionais. (LLL Top 4)

Pela lista acima, vale destacar a presença de 19 com base no Delver of Secrets. Desde o seu surgimento, ele tem feito pressão no formato e imposto o ritmo do jogo com sua evasão e apelido de trovão azul. Lembrando ainda que o Grixis Delver foi o deck vice campeão do Nacional 2016:

Grixis Delver – Mauro Edi (Vice campeão Nacional Legacy 2016)

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (18)

Criaturas (14)

Instantâneas e Feitiços (28)

O deck tem muitos recursos e atualmente teve adição de fatal push, ou ainda a variante para uma versão mais controle:

Grixis Pyromancer – Fukudome Yuu (Campeão 79° KMC)

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (20)

Criaturas (12)

Instantâneas e Feitiços (27)

Artefatos (1)

Planinautas (1)

A versão mais agressiva, tem sua maior fragilidade a base de mana que sofre para wasteland, blood moon e similares, já em sua versão mais controle, que usa alguns terrenos básicos, a meta é exaurir os recursos do oponente e usar todo o potencial do deck. Mas tanto em sua versão mais agressiva, ou controle, o deck tem garantido presença e resultados nos campeonatos regionais e internacionais, então é bom treinar contra e preparar o sideboard contra aquele que já garantiu seu espaço na lista de decks to beat.

Outro deck que está brilhando, ainda mais com o resultado no GP Vegas é o Death & Taxes:

Death & Taxes – Andrew Calderon (GP Legacy Las Vegas 2017)

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (22)

Criaturas (27)

Instantâneas e Feitiços (4)

Artefatos (7)

O deck é uma das melhores combinações das estratégias agressiva e controle tendo resposta para muitas situações. O deck ainda fez dobradinha na Lampions League Legacy, saiba mais aqui.

Para quem diz que Legacy é um formato caro, a próxima estrela é uma bela indicação de deck “budget”.

Burn – Alex Romine (GP Legacy Las Vegas 2017 – Trial Winners)

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (20)

Criaturas (14)

Instantâneas e Feitiços (25)

Encantamentos (1)

Na minha opinião, o burn é a melhor representante da categoria agressivo. Com pressão  constante em campo e de recursos “explosivos”, os oponentes costumam ter trabalho por não ter tempo para por em prática o seu plano de ação. Há ainda as variantes com pitadas de branco para uso de deflecting palm, wear / tear e boros charm ou ainda para verde, então cuidado para não se queimar.

O último deck de hoje traz os amigos de Legolas e de Reid Duke, após o banimento do tampo, foi cogitado a ser um dos combos que moldariam o formato, e acho que ele o fez.

Elves – Felipe Alheiro (Vice campeão – 22º Alpha Legacy)

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (20)

Instantâneas e Feitiços (12)

Criaturas (28)

Este deck é muito versátil e tem a beleza de ter dois modos de funcionamento, o combo e o beatdown. No modo combo, o deck faz uso do glimpse of nature fazer muitos elfos, comprar muitas cartas, fazer mais elfos suplantando em números no campo de batalha, isso tudo muito rápido e até o 4° turno. No modo beatdown é  melhor definido como arregaçar as mangas e resolver no braço, uma vez que a estratégia principal foi inviabilizada por qualquer motivo, atacar com infantaria pode resolver o problema.

Dessa vez abordei os decks que foram mais expressivos e com grande possibilidade de enfrentarmos nas rodadas iniciais do torneio. Mas vale a pena atenção e treino contra decks como:

Falarei mais sobre estes decks em outras oportunidades, continue aqui a nossa jornada até o grande evento legacy do Brasil.

E agora o eternal magic conta com uma agenda com os eventos que estão acontecendo, quer saber mais? Clique aqui e saiba como cadastrar o teu campeonato regional ou da loja.

Abraços e até a próxima semana.

Sobre BRKamus

Erick Santos é marido, pai, engenheiro, amante de magic e adora colecionar decks, principalmente os inesperados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *