quarta-feira , 17 janeiro 2018
enpt
Home / Reportagens / Cobertura de eventos / Counter Company é campeão do 4º Mhysteria Modern, no Rio
Omnomnomnom!

Counter Company é campeão do 4º Mhysteria Modern, no Rio

Há duas semanas, Wendell Lemos estava empolgado com o fato da 4ª etapa do Mhysteria Modern, no Rio de Janeiro, acontecer em uma data sem concorrência de outros eventos de Magic, como Game days ou GP. A expectativa era bater a marca dos 50 participantes, o que aconteceu com folga. Nada menos do que 67 jogadores diputaram as sete rodadas na luta pelo Tarmogoyf reservado ao campeão. E quem levou, de forma invicta, foi Filipe Ambrosini, que jogou com a nova sensação do formato, o Counter Company, ou GW Counters. E é sempre bom lembrar que este evento, que aconteceu na Magic Store Brasil, não é só sobre Magic: The Gathering. Parte da verba arrecadada e a doação de 1 kg de alimentos não-perecíveis por parte dos jogadores ajuda instituições de caridade.

Filipe Ambrosini, com o Goyf na mão, não deu chances pra ninguém

“A organização sempre dá um show. A iniciativa deles em ajudar o próximo deve ser, e sempre será, impulsionada por nós jogadores, porque é essencial ajudar a quem precisa”, explica o campeão, que é soldador e, “quando possível, jogador de Magic”.

Filipe conta que escolheu o deck pela versatilidade que ele tem no meta. “Como o field é muito diversificado no Mhysteria Modern, é importante jogar bem ontra todos os decks que aparecerem”, justifica. Mas não foi fácil, principalmente contra os Grixis Death’s Shadow, Eldrazi and Taxes e Jund. “São decks com remoções suficiente e clock complicado. Contra o Eldrazi, quem me salvou foi a Collected Company. Como sempre, mostrou-se sensacional, comemorou Filipe, que começou a jogar Magic no bloco de Investida e deu uma parada na época de Kamigawa, retornando às atividades em Theros. Atualmente, dedica-se ao Modern, pois é o formato com o qual mais se identifica.

E, quando fala que o meta é diversificado no Mhysteria, Filipe pode estar mais certo. Entre 67 jogadores, houve nada menos do que 42 arquétipos diferentes. As listas com os decks que formaram o Top 8 será publicada em breve, de acordo com a organização. Assim que isso acontecer, o Eternal Magic irá disponibilizar o link.

Sobre Paulo de Tarso

Jornalista de formação, vive a (e de) escrever. Joga (mal) Magic desde 1995, e encontra diversão para compensar a falta de talento para o jogo utilizando cartas e decks que não são muito usados por aí. De vez em quando flerta com algum relativo sucesso ao beliscar um top 8, mas não é muito afeito às mesas iniciais. Atualmente joga Legacy e alguns drafts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *