sábado , 23 setembro 2017
pten
Home / Colunas / Duels in Time / Portabilidade de formatos
Quem é essa aí papai,....

Portabilidade de formatos

Bem-vindos duelistas de todo o multiverso, mais uma semana e, com ela, um novo post na coluna Duel’s In Time para o site Eternal Magic. Nessa semana vamos falar sobre Portabilidade de formatos.

Como mencionei no meu post Adentre o Legacy, ele é um formato eterno, onde não há restrição de cartas por sua idade ou aparência, mas sim pelo seu nível de poder e interação com o restante da coleção. No formato há algumas cartas banidas pelo seu “poder”, de forma a garantir um equilíbrio de forças e permitir um desenvolvimento saudável e igualitário entre os decks e arquétipos.
Nesse sentido, vamos avaliar alguns decks que encontraram no Legacy um ambiente saudável para se desenvolver e, principalmente, divertir-se.

Mi casa, su casa……

Regularmente o jogo é monitorado pela Wizards of the Coast para a manutenção dos ambientes e a expulsão de cartas que ponham algum deck em grande vantagem. Este evento é polêmico e, por vezes, divide a comunidade sobre a justiça de tal ato e o investimento perdido por alguns na tentativa de fechar o deck. Isto pode pode acontecer em qualquer formato, mas nem por isso devemos nos abater e desistir do jogo. Sempre podemos achar um lugar onde a estratégia do deck poderá ser justa, ou até melhorada e voltar a ativa. A seguir vou citar alguns exemplos de decks que surgiram em outros formatos e após o banimento, ou mesmo sem banimento, podem ser vistos em torneios Legacy.

Colorless Eldrazi

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (26)

Criaturas (23)

Instantâneas e Feitiços (4)

Artefatos (7)

Vou começar de olho no que foi um problema para o Modern, os Eldrazi. Banido em 4 de abril de 2016, tinha o Olho de Ugin (Eye of Ugin) como sua carta fundamental para acelerar o jogo e permitir conjurar bichos grandes e poderosos. Durante esta vida, o deck colecionou tantas vitórias como inimigos e foi questionado o seu impacto no Legacy, mas digo que o deck encontrou bons amigos, tanto na base de mana como em outras criaturas. Começando pela base de mana, as “Sol lands”, como são conhecidas hoje dia a Tumba Antiga (Ancient Tomb) e Cidade dos Traidores (City of Traitors), são ótimas acelerações para o deck explodir com suas jogadas pesadas, realizando suas travas iniciais com Cálice do Vácuo (Chalice of the Void) e Espinho de Ametista (Thorn of Amethyst), ou tirar monstros como Arrebentador da Realidade (Reality Smasher) e Vidente do Nó do Pensamento (Thought-Knot Seer) da jaula. Além disso, podemos adicionar à lista de arsenais do deck cartas como Jitte de Umezawa (Umezawa’s Jitte), entre outros membros do pastafarianismo. Há ainda a versão Eldrazi & Taxes, com decktech aqui no site.

UR Splinter Twin

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (20)

Criaturas (6)

Instantâneas e Feitiços (14)

Artefatos (10)

Encantamentos (8)

Planeswalker (2)

O Splinter Twin, no Modern, foi um deck que marcou uma época e ditou uma das regras de ouro do Modern: “Não combarás até o turno 4.“. Com uma estratégia simples, mas versátil, pegava os incautos de surpresa com um clima de tensão que, se o oponente possuísse três manas em aberto e recebesse a possibilidade de jogar, talvez não houvesse o turno de volta. Isto, mais a presença massiva do deck em top 8, fez deste mais uma vítima do banimento e a grata possibilidade de jogar legacy.

O deck conta com travas iniciais muito fortes como Cálice do Vácuo, no mesmo padrão que o deck de Eldrazi, e Lua Sangrenta (Blood Moon), que para alguns decks é GG. Adicione a isto alguns dos mais famosos anulas e/ou compras e verá que a fama que ele carrega não é à toa.

Jeskai Copy Cat

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (20)

Criaturas (4)

Instantâneas e Feitiços (22)

Artefatos (4)

Encantamentos (4)

Planeswalker (6)

Não vou falar sobre as questões que cercam os banimentos no T2, mas desde a primeira vez que vi este combo pensei se ele teria chance no Legacy. O deck é uma variação do UR Splinter Twin, mas com acesso à cor branca, tendo foco principal na combinação da Saheeli Rai com Guardião Felidar (Felidar guardian), além de proteger e buscar essa combinação.

Gatinho, vem cá,… Hora de morfar.

Bomberman

Main Deck (60) Sideboard (15)
Terrenos (18)

Criaturas (14)

Instantâneas e Feitiços (4)

Artefatos (24)

Ao contrário dos outros, este deck não vem dos irmãos mais novos do Legacy, mas sim do mais velho, o VINTAGE. Muitos acreditam que o Vintage é o ambiente onde aquele que ganha na jogada da moeda ganhará o jogo, ledo engano.

Ele é um deck que vai do agressivo ao combo de um modo surpreendente, onde todas as criaturas ajudam a acelerar o jogo, ou então a finalizá-lo. Com várias fontes de mana alternativsa para ajudar na aceleração inicial, o deck gira em torno do Salvádegos dos Aurioques (Auriok Salvagers) para criar uma tempestade de mana e finalizar o jogo com um leque de opções que contornam a maioria das respostas que dispomos no ambiente.

Conhecer outros formatos é bom para todos, não se deixe abater se o formato que você joga sofreu algum banimento, ou melhor ainda, vá explorar novos formatos e tecnologias, além de conhecer novos amigos, como o próprio nome do jogo diz.

Abraços e até a próxima semana!

Sobre BRKamus

Erick Santos é marido, pai, engenheiro, amante de magic e adora colecionar decks, principalmente os inesperados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *