sábado , 20 outubro 2018
enpt
Home / Colunas / Command Beacon / Análise de Commander 2017: Feline Ferocity

Análise de Commander 2017: Feline Ferocity

Olá senhoras e senhores!
Bem vindos ao Command Beacon, a nossa coluna sobre Commander multiplayer aqui na Eternal Magic!

Finalmente, spoilers completos, um spoiler exclusivo para a nossa coluna e decklists  do aguardado Commander 2017!

No dia 25 de Agosto serão lançados os decks:
Feline Ferocity / Ferocidade Felina ()
Vampiric Bloodlust / Sede de Sangue Vampírica ()
Draconic Domination / Dominação Dracônica ()
Arcane Wizardry / Feitiçaria Arcana ()

Nesse artigo, farei uma análise do deck Feline Ferocity. Além disso, abordarei o potencial e como as novas cartas podem ser inseridas efetivamente na selva chamada Commander! Para iniciar,  trarei as novidades presentes em múltiplos decks e darei sequência com as cartas exclusivas do nosso tribal de Gatos.

Novas Cartas Presentes em Múltiplos Decks

A primeira vista, não soa como uma carta impressionante. Seu custo é equivalente ao de Phyrexian Delver, porém com efeito restrito a Magos e Vampiros e felizmente sem a perda de vida. Ele carece da flexibilidade proporcionado por Phyrexian Delver, e a não ser que você o use em um deck voltado para essas tribos, isso torna essa carta ruim. Entretanto, quando olhamos com mais atenção uma das nossas novidades, temos um bom potencial de Bloodline Necromancer a ser explorado. Trarei nos próximos artigos a análise da comandante do deck Arcane Wizardry, Inalla, Archmage Ritualist, mas já descreverei uma de suas interações mais interessantes: Bloodline Necromancer + Innala, Archmage Ritualist (até mesmo na Zona de Comando) + Ashnod’s Altar/Phyrexian Altar é capaz de criar um loop de entrada e saida de criaturas ao criar uma cópia de Bloodline Necromancer com a maga, sacrificá-los para gerar mana, reanimar o próprio vampiro, reanimar outro mago ou vampiro e continuar o ciclo. Com Ashnod’s Altar é possível fazer mana infinita. O que fazer com isso, trarei num próximo artigo, mas, mas algumas sugestões? Venser, Shaper Savant, Azami, Lady of Scrolls e Prodigal Pyromancer. Deixe a maldade fluir.

Temos aqui o ciclo de cartas do cara mais azarado do multiverso! Todo o ciclo é formado por maldições, uma de cada cor, que desencadeiam algum efeito quando o jogador encantado é atacado. No caso de Curse of Bounty, você e o atacante podem desvirar todas as permanentes não-terreno. Isso é estímulo suficiente para focar o infeliz para sempre, além de acelerar os oponentes dele e especialmente você. Me soa como uma ótima adição em decks com muitos mana dorks, como Ezuri, Renegade Leader, que abusem de mana rocks, especialmente naqueles que sejam bons mana sinks, como Thrasios, Triton Hero e Kruphix, God of Horizons.

Para decks que abusem de zumbis, fichas ou que precise de combustível para sacrifícios, Curse of Disturbance pode se encaixar muito bem. Decks como Meren of Clan Nel Toth e Mazirek, Kraul Death Priest podem abusar dos sacrifícios para alimentar seus efeitos, e no caso de Mazirek, criar hordas imensas. Grimgrin, Corpse-Born garante criaturas para sacrificar e desvirar e The Scarab God consegue criar uma horda de zumbis para o bom uso de sua habilidade desencadeada. Se você gosta desse tipo de efeito, essa maldição merece sua atenção e vale o teste.

Rapaz, na minha terra acelerar mana costuma ganhar jogo. E é exatamente o que essa carta faz e pela bagatela de 1 mana. O recurso gerado é efêmero, já que só pode ser usado uma única vez, mas possibilita tornar alguém um alvo fácil, cria alegria no coração de alguns oponentes mas o seu fica feliz em dobro. Em uma única rodada típica, com 3 oponentes, sendo 1 o infeliz, e você espancando o alvo, é possível produzir 5 manas a mais. Em uma única rodada e por apenas 1 mana. Alguns podem dizer que evitariam rampar o coleguinha dono da maldição, mas se tem uma coisa que jogador de Commander é, é ser ganancioso. Além da aceleração, lembre-se que a ficha de Ouro é um artefato, o que pode ser bem aproveitado em decks como Daretti, Scrap Savant, Breya, Etherium Shaper e Shattergang Brothers.

Outro efeito que estimula a ganância dos jogadores: comprar cartas. Quem já esteve com um Edric, Spymaster of Trest sabe que nesse momento não existe amizade e bom senso. Até quem não se importa em atacar, vai dar um jeito de bater. O que talvez segure os coleguinhas é o quanto o dono da maldição pode passar a frente dos demais em termos de card advantage. A beleza da coisa é que sempre terá alguém para fazer esse favor para você e vai acabar batendo no amaldiçoado. E mesmo que não o façam, você ainda estará comprando suas cartas decorrente do seu próprio ataque. Pode esperar encontrar Curse of Verbosity em muitos decks a partir do lançamento de Commander 2017.

Infelizmente a maldição branca não é lá essas coisas quando comparamos com as anteriores. Ela custa 3 manas para seu efeito, e ganhar vida no Commander é uma estratégia pouco eficiente. No máximo, talvez, seja aproveitada em decks como Karlov of the Ghost Council e Ayli, Eternal Pilgrim. Mas sinceramente, você daria vida para um oponente que abuse desse tipo de efeito? Não é um estímulo grande o suficiente ganhar vida, logo a tendência natural é muitas vez ignorar o infeliz amaldiçoado ou simplesmente focar no dono do efeito. Credo.

Heirloom Bladetalvez possa ser interessante em decks Voltron Aggro, já que fornecer +3 de poder com essa carta pode sair relativamente barato, em um total de 4 manas no conjuração e custo para equipar. Obviamente existem formas de burlar esses custos, como Sigarda’s Aid e Puresteel Paladin. Mas para extrair o real potencial desse equipamento é necessário focar na sinergia existente ao perder uma criatura e permitir repô-la com outra que compartilhe um tipo para a sua mão. Um tanto quanto esquisito ter um Voltron com elementos tribais, o que caracterizaria um deck sem um foco claro. Talvez uma de suas melhores proveitos resida justamente entre os Gatos, já que vários deles compartilham interações com equipamentos.

Baratear custos algumas vezes pode ser superior a usar fontes de mana tradicionais, como mana rocks. Efetivamente existe a possibilidade de conjurar muitas mágicas, economizando, 1, 2, 3, 10 manas. Dependendo do quanto você depende de manas coloridas e de quantas cartas tem disponíveis para fazer uso. Baratear custos é tão poderoso que o Eldrazi Winter no Modern está para provar como pode ser desleal. Herald’s Horn é um dos melhores efeitos desse tipo? Não. Mas ao menos é um artefato incolor, o que o flexibiliza para entrar em qualquer deck. O que limita seu uso a principio é ter um deck construido em torno de um tipo específico de criatura. E mesmo construído ao redor disso, não há garantias que você encontrará essas cartas no topo. Claro, isso pode ser melhorado por cartas como Sylvan Library, Mirri’s Guile e Sensei’s Divining Top, mas ainda continua sendo um benefício condicional. O custo 3 não auxilia tanto em decks que necessitem ser muito rápidos. Em um tribal de Goblins por exemplo, você vai preferir descer um Goblin Warchief, Goblin Chieftain ou Herald’s Horn? Talvez em tribos mais lentas valha o testa, mas particularmente não me empolguei muito.

Em um mundo com Mirage Mirror pouca coisa justifica usar Mirror of the Forebears. Embora tenha um menor custo, é uma carta muito menos flexível por permitir copiar apenas criaturas e de um único tipo. Talvez dê pra fazer um bom uso em tribais que necessitam de algumas peças chaves. Copiar um Priest of Titania com uma mesa entupida de elfos parece ser uma boa jogada. Porém é o tipo de carta que muitas vezes acaba sendo cortada quando começa a faltar espaço no deck e ter apenas 100 cartas se torna um martírio. Mas se você gosta de redundância de efeitos semelhantes a Mirage Mirror e consiga realmente abusar de criaturas chave, talvez você encontre um lar para essa carta.

  • Path of Ancestry (Presente em: Feline Ferocity, Vampiric Bloodlust, Draconic Domination e Arcane Wizardry)

Path of Ancestry está presente nos 4 decks pré-montados de Commander 2017 e é um terreno interessante. Pode gerar mana de qualquer cor da identidade do seu comandante e se for usado para conjurar uma criatura que compartilhe um tipo com o mesmo desencadeia Vidência 1. A parte triste? O terreno entra virado. Uma característica que realmente me desanima em tribais, que costumam ser explosivos, é justamente atrasar seu próprio jogo. Se você não se importar com o fato do terreno ser lento e usa uma base de terrenos com muitas taplands, pode fazer bom uso. Mesmo que não esteja com um tribal e nomeie apenas o tipo do seu comandante. Em metagames mais competitivos dificilmente verá jogo pelo atraso proporcionado e mesmo a Vidência não compensa essa desvantagem. Por muito pouco não tivemos uma carta fenomenal.

Feline Ferocity

Deck – Feline Ferocity (Produto Selado) (0)

Commander (1)
Arahbo, Roar of the World

Criaturas (25)
Alms Collector
Balan, Wandering Knight
Stalking Leonin
Hungry Lynx
Kindred Summons
Jazal Goldmane
Jareth, Leonine Titan
Kemba, Kha Regent
Leonin Arbiter
Leonin Shikari
Mirri, Weatherlight Duelist
Nazahn, Revered Bladesmith
Raksha Golden Cub
Seht’s Tiger
Spirit of the Hearth
Jedit Ojanen of Efrava
Fleecemane Lion
Phantom Nishoba
Leonin Relic-Warder
Oreskos Explorer
Sunspear Shikari
Taj-Nar Swordsmith
Temur Sabertooth
Qasali Pridemage
Qasali Slingers

Artefatos (19)
Argentum Armor
Behemoth Sledge
Bloodforged Battle-Axe
Dreamstone Hedron
Grappling Hook
Hammer of Nazahn
Heirloom Blade
Hedron Archive
Herald’s Horn
Hero’s Blade
Lightning Greaves
Loxodon Warhammer
Quietus Spike
Skullclamp
Sol Ring
Staff of Nin
Swiftfoot Boots
Sword of the Animist
Sword of Vengeance

Encantamentos (5)
Abundance
Curse of Bounty
Curse of Vitality
Mirari’s Wake
Zendikar Resurgent

Feitiços (8)
Divine Reckoning
Rout
Hunter’s Prowess
Soul’s Majesty
Cultivate
Harmonize
Nissa’s Pilgrimage
Traverse the Outlands

Mágicas Instantâneas (5)
White Sun’s Zenith
Condemn
Wing Shards
Crushing Vines
Relic Crush

Terrenos (37)
Blighted Woodland
Blossoming Sands
Command Tower
Elfhame Palace
Evolving Wilds
Forest
Grasslands
Graypelt Refuge
Krosan Verge
Mosswort Bridge
Myriad Landscape
Opal Palace
Path of Ancestry
Plains
Rogue’s Passage
Saltcrusted Steppe
Secluded Steppe
Selesnya Guildgate
Selesnya Sanctuary
Stirring Wildwood
Temple of the False God
Terramorphic Expanse
Tranquil Expanse
Tranquil Thicket
Vivid Meadow
Vivid Grove

O produto selado, liderado por Arahbo, Roar of the World, é um deck com características de um Linear Aggro voltado para a sinergia de Arahbo com seus Gatos e um sub-tema de equipamentos, ao qual o deck pode contar com Skullclamp, Lightning Greaves, Sword of the Animist, Quietus Spike, Bloodforged Battle-Axe e Herald’s Horn, comum a vários Gatos lendários ao longo da história do Magic. Conjure gatos, conjure equipamentos e os equipe, transforme seu gatinho em um leão e bata. Repita o processo até acabar com todos. Simples assim. O pacote de remoções é medíocre: Condemn, Relic Crush, Crushing Vines, Rout, Divine Reckoning, Wing Shards, Qasali Pridemage, Leonin Relic-Warder e os novos Qasali Slingers e Stalking Leonin. Possui uma base de mana razoável para produtos selados, mesmo sendo um deck Selesnya (), infelizmente contando com um excesso de taplands, fazendo com que a vantagem de ser um deck bicolor com essa base mais consistente frente aos demais decks, tricolors e pentacolor, acaba não se tornando necessariamente melhor. Em uma partida com os demais decks selados potencialmente pode causar bastante dano, mas não está entre os mais fortes.  Porém, no espectro mais amplo, o que Feline Ferocity tem a oferecer de exclusividade para o formato?

Novas Cartas em Feline Ferocity

Alms Collector é o tipo de hatebear que pode chatear algumas estratégias. Sabe aquele cara que adora abusar de Consecrated Sphinx? Pois é. Ele pode ser parcialmente frustrado por esse gato, fazendo com que ele e você comprem 1 carta cada. O que a torna pouco efetiva é a limitação para desencadear quando um oponente compra somente 2 cartas ou mais, fazendo com que efeitos muito comuns que comprem pontualmente, como Rhystic Study, Mystic Remora, Azami, Lady of Scrolls e Sram, Senior Edificer não sejam punidos. Se a ideia é restringir, Spirit of the Labyrinth e Chains of Mephistophelis são muito mais efetivos. Porém, tanto essas cartas quanto Alms Collector podem andar de mãos dadas com efeitos de Wheel of Fortune. No caso do gato, efetivamente você deixa seus oponentes com apenas 1 carta e passa a ter 10 cartas na sua mão. Me faz ter saudades de Leovold, Emissary of Trest.

Interessante carta para os adeptos de estratégias Pillowfort. Por apenas 3 manas você planta um instrumento de dissuasão e discórdia Ao escolher secretamente um jogador, garante que os jogadores Aggro e Midrange vão pensar 2 vezes antes de atacá-lo, já que perder uma criatura chave para a estratégia pode ser desastroso. Melhor e mais vantajoso atacar um terceiro. O defeito dessa carta? Ser uma criatura, o que torna muito simples removê-la. Em compensação, facilita muito efeitos de Blink. Roon of the Hidden Realms e Brago, King Eternal podem encontrar aqui um bom companheiro para desestimular aquele amiguinho esquentado.

Efeito divertidíssimo para Group Hugs! Por apenas 2 manas, beneficie seus oponentes bem comportados, ou distribua as fichas de rato de forma a criar intriga e assista enquanto os oponentes se estapeiam e seus gatos crescem. A galera da mesa da cozinha pira! Obviamente, Hungry Lynx pode ser usado sozinho, mas em um tribal de gatos ou um deck com um grande número deles, pode tornar suas criaturas grandes relativamente rápido.

Carta sensacional nos decks certos, podendo funcionar melhor do que Genesis Wave em algumas estratégias, com a vantagem de ser uma mágica instantânea. E quais seriam esses decks? Basicamente qualquer tribal com verde e que consiga gerar mana rapidamente com uma mesa consideravelmente cheia. Obviamente a melhor tribo para Kindred Summons são os Elfos, mas Druidas (Seton, Krosan Protector), Fractius (Sliver Overlord, Sliver Queen, Sliver Hivelord e Sliver Legion) e Elementais (Omnath, Locus of Rage e Horde of Notions) podem efetivamente abusar desse efeito, potencialmente ganhando logo após conjurar essa mágica poderosa. Facilmente uma staple em decks tribais verdes.

Se você gosta de Aura Shards e gosta de Gatos, você vai gostar de Qasali Slinger. O fato de limitá-lo a tribais de Gatos, ter custo 5 e ser frustrado por Torpor Orb e Hushwing Gryff vai restringi-lo principalmente a mesas casuais, onde pode realmente fazer algum estrago. Fora delas, dificilmente a veremos trazendo terror e pânico.

Esse é o tipo de efeito imbecil criado para pessoas que gostam de imbecilidades. Por 5 manas e a mesa correta é possível filtrar muitos terrenos do deck e acelerar quantidades insanas de mana para o turno seguinte. Decks como Xenagos, God of Revels, Arahbo, Roar of the World e Omnath, Locus of Mana vão rampar quantias insanas. Cartas com Aterragem, como Omnath, Locus of Rage, Avenger of Zendikar e Rampaging Baloths podem criar verdadeiras hordas e Lotus Cobra pode gerar quantias insanas de mana. Claro, se usar essa carta de forma justa, sem criar presença de campo, um Armageddon pode acabar com seu jogo e um simples Swords to Plowshares na sua maior criatura no momento da conjuração, ou mesmo Aven Mindcensor, podem atrapalhar todo o seu desenvolvimento. Isso torna a carta fraca? Não. Mas obviamente, não deverá ser qualquer deck com verde que a usará. Mas se você usar criaturas muito grandes ou efeitos que as tornem muito grandes, Aterragem e boas quantias de terreno básico, essa carta é para você.


Um equipamento que cria cópias de si mesmo é uma novidade em termos de mecânica e uma boa adição em algumas estratégias. Por um econômico custo 1, e apenas 2 para equipar pode se tornar staple em decks Voltron, efetivamente tornando uma única criatura equipada com vários machados especialmente ameaçadora. Se você estiver em campo com efeitos como Sigarda’s Aid e Puresteel Paladin, o arsenal de machados pode ser bem opressor. Entre os melhores amigos desse equipamento temos Sram, Senior Edificer, Raksha, Golden Cub, Balan, Wandering Knight e especialmente Kemba, Kha Regent.

Criaturas Lendárias

Arahbo é um ser primordial, pai dos felinos em todos os planos do Multiverso. Seu rugido ecoa pelo Multiverso empoderando o coração de suas criações com ferocidade e força. Porém como carta é razoável. Infelizmente, sua melhor escolha caso opte por realmente montar um tribal dos felinos. A habilidade Eminência presente nos comandantes dos 4 decks é potencialmente muito forte por permitir extrair valor do seu comandante sem ao menos conjurá-lo ao longo da partida. No caso de Arahbo, Roar of the World, permite fornecer +3/+3 para um outro Gato, o que permite que quaisquer Savannah Lions se torne uma criatura 5/4 já espancando no turno 2. A sua segunda habilidade é potencialmente bem perigosa, já que permite dobrar o poder dos Gatos atacantes mediante pagamento para cada um. Infelizmente, apenas outros, privando-o de ser um Voltron sensacional. Porém, isso permite que por exemplo que com ele em campo, 6 manas, Savannah Lions e um Prowling Serpopard, você possa dar +3/+3 para o Gato Cobra, bater com os 2 e Arahbo, duplicar poder de ambos, podendo causar 23 de dano brincando. Ai.

Deck – Arahbo, Roar of the World (Linear Aggro) (0)

Commander (0)

Arahbo, Roar of the World (0)

Criaturas (27)
Adorned Pouncer
Aven Mindcensor
Brimaz, King of Oreskos
Elesh Norn, Grand Cenobite
Fleecemane Lion
Grand Abolisher
Hungry Lynx
Jungle Lion
Leonin Relic-Warder
Leonin Skyhunter
Loam Lion
Lost Leonin
Mirri, Weatherlight Duelist
Oreskos Explorer
Pride Sovereign
Prowling Serpopard
Qasali Pridemage
Qasali Slingers
Regal Caracal
Sacred Cat
Savannah Lions
Scythe Leopard
Serra Ascendant
Silverblade Paladin
Skyhunter Skirmisher
Steppe Lynx
Wild Nacatl

Artefatos (7)
Chrome Mox
Mana Crypt
Mana Vault
Mox Diamond
Sol Ring
Strionic Resonator
Winter Orb

Encantamentos (9)
Aura Shards
Beastmaster Ascension
Duelist’s Heritage
Earthcraft
Exploration
Land Tax
Mirari’s Wake
Sylvan Library
True Conviction

Feitiços (7)
Armageddon
Farseek
Nature’s Lore
Ravages of War
Skyshroud Claim
Sylvan Tutor
Three Visits

Mágicas Instantâneas (14)
Beast Within
Chord of Calling
Crop Rotation
Eladamri’s Call
Enlightened Tutor
Faith’s Reward
Heroic Intervention
Hunter’s Insight
Krosan Grip
Nature’s Claim
Path to Exile
Swords to Plowshares
Teferi’s Protection
Worldly Tutor

Terrenos (35)
Ancient Tomb
Arid Mesa
Canopy Vista
Cathedral of War
Cavern of Souls
Command Tower
Flagstones of Trokair
Flooded Strand
Forest
Gaea’s Cradle
Horizon Canopy
Kor Haven
Marsh Flats
Misty Rainforest
Path of Ancestry
Plains
Savannah
Sunpetal Grove
Temple Garden
Verdant Catacombs
Windswept Heath
Wooded Bastion
Wooded Foothills

A lista que montei para Arahbo foi óbvia: um Linear Aggro com sinergia entre Gatos. Não é um deck que considero competitivo, mas acredito que seja a melhor linha de montagem a seguir com esse comandante. A lista conta com 7  Gatos custo 1, 8 custo 2 e 6 custo 3, criando uma curva naturalmente agressiva. Isso permite causar dano gradativamente mais alto a cada turno, mantendo pressão sobre os decks mais lentos. Descer e estourar uma Windswept Heath com Steppe Lynx e a habilidade de Arahbo, já permite causar facilmente 7 de dano no segundo turno. Mais dano ainda se tiver Exploration e mais fetchlands.  Adorned Pouncer é uma mana mais lento, porém tem Golpe Duplo e sem esforço bate 8 de dano. Se ele se tornar um Eterno, são 14 de dano. Esse é o plano de jogo, bem simples. Baixe criaturas e agrida o máximo que conseguir. Aqui cabe uma menção especial a criatura mais letal do deck: Lost Leonin e seu Infectar. Lost Leonin + Arahbo em jogo + 3 manas disponíveis para dobrar o poder = 1 Morto. Entre o restante do deck temos respostas pontuais, tutores (Worldly Tutor, Syvan Tutor, Eladamri’s Call, Chord of Calling e Enlightened Tutor), elementos de stax (Winter Orb, Aven MindcensorAura Shards). E por fim, para o desespero dos oponentes, Armageddon e Ravages of War. Porque atrasar infinito seus oponentes enquanto os espanca me parece um ótimo plano.

Balan ruge Voltron. Custo, poder e resistência razoáveis e Iniciativa. Até ai, nada de mais. Porém o seu valor reside na interação com equipamentos e aqui, pelo flavor e mecânica, quanto mais equipamentos melhor. Com 2 ou mais equipamentos anexados a ela, passa a ter Golpe Duplo, uma das melhoras habilidades se você pretende matar 1 a 1 com 21 de dano de comandante. Sua habilidade ativada traz um detalhe interessante: por anexa todos os equipamentos que você controla a ela. Isso corrige um problema de Voltrons em geral, que é a lentidão para voltar a agredir de forma contundente após uma remoção. Muitas vezes até conjurar seu comandante novamente e re-equipar tudo de novo há a perda de tempo precisa. Não com Balan, já que com 2 manas permite economia de mana e tempo, permitindo avançar sua mesa com a mana que sobrar. Infelizmente ela não se protege com Resistência a Magia ou Indestrutível, mas se você gosta desse tipo de estratégia, ela certamente vale o teste.

Deck – Balan, Wandering Knight (Voltron Aggro) (0)

Commander (1)
Balan, Wandering Knight

Criaturas (10)
Aven Mindcensor
Grand Abolisher
Hushwing Gryff
Imposing Sovereing
Linvala, Keeper of Silence
Mother of Runes
Puresteel Paladin
Silent Arbiter
Sram, Senior Edificer
Stoneforge Mystic

Artefatos (28)
Batterskull
Bloodforged Battle-Axe
Champion’s Helm
Chrome Mox
Cloud Key
Conqueror’s Flail
Darksteel Plate
Fellwar Stone
Grim Monolith
Hero’s Blade
Loxodon Warhammer
Mana Crypt
Mana Vault
Masterwork of Ingenuity
Mox Diamond
Mox Opal
O-Naginata
Rogue’s Gloves
Sculpting Steel
Sol Ring
Swiftfoot Boots
Sword of Feast and Famine
Sword of Fire and Ice
Sword of Vengeance
Sword of War and Peace
Torpor Orb
Trailblazer’s Boots
Umezawa’s Jitte

Encantamentos (9)
Act of Authority
Authority of the Consuls
Blind Obedience
Gideon’s Intervention
Grasp of Fate
Karmic Justice
Nevermore
Rest in Peace
Sigarda’s Aid

Feitiços (9)
Armageddon
Austere Command
Catastrophe
Council’s Judgment
Open the Armory
Ravages of War
Steelshaper’s Gift
Tragic Arrogance
Wrath of God

Mágicas Instantâneas (10)
Disenchant
Dispatch
Enlightened Tutor
Faith’s Reward
Oblation
Path to Exile
Return to Dust
Swords to Plowshares
Teferi’s Protection
Unexpectedly Absent

Terrenos (34)
Ancient Den
Cathedral of War
Cavern of Souls
Flagstones of Trokair
Kor Haven
27 Plains
Strip Mine
Wasteland

Temos aqui Balan, Wandering Knight liderando um Voltron Aggro, recheado com um total de 17 equipamentos: Bloodforged Battle-Axe, Masterwork of Ingenuity, O-Naginata, Hero’s Balde, Conqueror’s Flail, Rogue’s Glove, Swiftfoot Boots, Trailblazer Boots, Umezawa’s Jitte, Champion’s Helm, Darksteel Plate, Loxodon Warhammer, Sword of Feast and Famine, Sword of Fire and Ice, Sword of War and Peace, Sword of Vengeance e Batterskull.  Essa quantidade facilmente ativa o Golpe Duplo de Balan e viabiliza torná-la grande o suficiente para finalizar um oponente em 2 pancadas. Sram, Senior Edificer e Puresteel Paladin fornecem o fluxo de Card Advantage, principal falha dos mono white,  enquanto mantem o plano de jogo correndo. Contamos ainda com Stoneforge Mystic, Steelshaper’s Gift, Open the Armory e Enlightened Tutor para procurar por nossas armas. Assegurando que não perca por falta de respostas, o deck conta com diversas remoções pontuais e peças de Stax, como por exemplo Linvala, Keeper of Silence, Hushwing Gryff, Torpor Orb, Rest in Peace, Imposing Sovereing, Blind Obedience e Authority of the Consuls. Há várias respostas pontuais  e como no deck anterior, a sujeira que só  Armageddon, Ravages of War e Catastrophe podem proporcionar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nazahn é um leonino de Naya, onde era um ferreiro comum até o Conflux fundir Naya e Bant, quando então tornou-se um ferreiro famoso, forjando poderosas armas com seu martelo mágico que lhe fornece invulnerabilidade até mesmo ao metal fundido no qual trabalha. Mecanicamente ele traz contornos interessantes para os típicos Voltron com base Branca baseados em equipamentos: a cor Verde. Muitas vezes esse tipo de deck é demasiadamente lento ou se tornar inviável frente a hate aos mana rocks por exemplo. Ao acrescentar o Verde há o acesso a ramps consistentes, respostas mais versáteis e Card Advantage. Ele por si só não é nada impressionante, sua habilidade de virar criaturas é mais ou menos, mas a sua habilidade desencadeada de procurar um equipamento ao entrar o torna bem mais interessante. Sua escolha principal em geral é seu martelo pessoal, Hammer of Nahzan, também novidade em Commander 2017. O custo para conjurar é relativamente alto, mas ao entrar, ele e qualquer equipamento, pode ser anexado a uma criatura, aumentando seu poder e tornando-a Indestrutível. O pulo do gato (senhor, me perdoe pelo trocadilho) é que a habilidade de Nazahn já pode colocar o martelo diretamente em campo, tornando-o na prática uma criatura 7/4, Indestrutível, que vira uma criatura ao atacar e permite aos novos equipamentos entrarem em campo se anexando. Isso por 6 manas em um deck que tem base Verde. Claro, Hammer of Nahzan é suscetível à remoções, retirando valor desse comandante. Assim como disse em Balan, se gosta desse tipo de estratégia, vale o teste.

Deck – Nazahn, Revered Bladesmith (Voltron Aggro) (0)

Commander (0)

Nazahn, Revered Bladesmith (0)

Criaturas (12)
Aven Mindcensor
Birds of Paradise
Eternal Witness
Gaea’s Herald
Grand Abolisher
Lotus Cobra
Mother of Runes
Oracle of Mul Daya
Prowling Serpopard
Puresteel Paladin
Sram, Senior Edificer
Stoneforge Mystic

Artefatos (25)
Batterskull
Bloodforged Battle-Axe
Champion’s Helm
Chrome Mox
Conqueror’s Flail
Crucible of Worlds
Fireshrieker
Grappling Hook
Grim Monolith
Hammer of Nazahn
Loxodon Warhammer
Mana Crypt
Mana Vault
Mox Diamond
Mox Opal
O-Naginata
Rogue’s Gloves
Selesnya Signet
Sol Ring
Swiftfoot Boots
Sword of Feast and Famine
Sword of Fire and Ice
Sword of Vengeance
Talisman of Unity
Umezawa’s Jitte

Encantamentos (6)
Duelist’s Heritage
Exploration
Keen Sense
Rest in Peace
Sigarda’s Aid
Sixth Sense

Feitiços (12)
Armageddon
Austere Command
Cataclysm
Day of Judgment
Farseek
Nature’s Lore
Open the Armory
Ravages of War
Regrowth
Rishkar’s Expertise
Three Visits
Wrath of God

Mágicas Instantâneas (10)
Beast Within
Enlightened Tutor
Heroic Intervention
Hunter’s Insight
Krosan Grip
Nature’s Claim
Noxious Revival
Path to Exile
Swords to Plowshares
Teferi’s Protection

Terrenos (34)
Ancient Den
Arid Mesa
Canopy Vista
Cathedral of War
Cavern of Souls
Command Tower
Flagstones of Trokair
Flooded Strand
Forest
Horizon Canopy
Kor Haven
Marsh Flats
Misty Rainforest
Plains
Savannah
Strip Mine
Sunpetal Grove
Temple Garden
Tree of Tales
Verdant Catacombs
Wasteland
Windswept Heath
Wooded Foothills

Temos aqui uma base Voltron Aggro típica para decks baseados em equipamentos, aqui com 14 desses artefatos. O fato de Hammer of Nahzan tornar Nazahn, Revered Bladesmith indestrutível abre possibilidades para abusar de remoções globais como Cataclysm, Day of Judgment, Wrath of God e Austere Command, podendo limpar o campo enquanto nosso general se mantem colocando pressão, que pode se intensificar com as remoções globais de terrenos. Para voltar dessa situação de jogo temos bons ramps, de baixo custo como Birds of Paradise, Lotus Cobra, Nature’s Lore, Farseek  e Three Visits, bem como os mana rocks clássicos, além do pacote Crucible of Worlds, Exploration e Oracle of Mul Daya, que com Strip Mine e Wasteland podem ser letais nessa etapa de jogo.  Para manter o fôlego e continuar espancando os demais, temos o pacote Sram, Senior Edificer e Puresteel Paladin somados ao lado Verde, Sylvan Library, Hunter’s Insight, Keen Sense, Sixth Sense e Rishkar’s Expertise.

Mirri foi uma grata surpresa para os fãs de longa data de Magic! Uma personagem clássica da saga dos Bons Ventos, companheira de aventuras de Gerrard Capashen e parte fundamental da tripulação da aeronau. Ela já foi apresentada em duas cartas distintas, Mirri, Cat Warrior e Mirri the Cursed, portanto Mirri, Weatherlight Duelist representação em carta. Ela possui identidade Selesnya (), um baixo custo e uma habilidade interessante para fields mais agressivos. Permitir apenas um bloqueador e ser atacado por apenas uma criatura pode atrapalhar muito estratégias Swarm e Linear Aggro, o que a torna não somente uma comandante interessante como uma boa adição a decks Aggro e Midrange.

Deck – Mirri, Weatherlight Duelist (True Midrange) (0)

Commander (0)

Mirri, Weatherlight Duelist (0)

Criaturas (39)
Avacyn’s Pilgrim
Aven Mindcensor
Azusa, Lost but Seeking
Birds of Paradise
Containment Priest
Courser of Kruphix
Dauntless Escort
Eidolon of Rhetoric
Elesh Norn, Grand Cenobite
Elvish Mystic
Eternal Witness
Gaddock Teeg
Grand Abolisher
Hokori, Dust Drinker
Imposing Sovereign
Kataki, War’s Wage
Knight of the Reliquary
Leonin Relic-Warder
Linvala, Keeper of Silence
Llanowar Elves
Lotus Cobra
Manglehorn
Mother of Runes
Oracle of Mul Daya
Pathbreaker Ibex
Prowling Serpopard
Qasali Pridemage
Ramunap Excavator
Reclamation Sage
Recruiter of the Guard
Scavenging Ooze
Serra Ascendant
Spirit of the Labyrinth
Sun Titan
Sylvan Safekeeper
Thalia, Guardian of Thraben
Thalia, Heretic Cathar
Vizier of the Menagerie
Vryn Wingmare

Artefatos (5)
Crucible of Worlds
Mana Crypt
Null Rod
Sol Ring
Thorn of Amethyst

Encantamentos (6)
Aura Shards
Beastmaster Ascension
Earthcraft
Exploration
Lurking Predators
Stony Silence

Feitiços (5)
Armageddon
Austere Command
Green Sun’s Zenith
Ravages of War
Sylvan Tutor

Mágicas Instantâneas (11)
Beast Within
Chord of Calling
Crop Rotation
Eladamri’s Call
Heroic Intervention
Krosan Grip
Nature’s Claim
Path to Exile
Swords to Plowshares
Teferi’s Protection
Worldly Tutor

Terrenos (33)
Arid Mesa
Canopy Vista
Command Tower
Dryad Arbor
Flagstones of Trokair
Flooded Strand
Forest
Gaea’s Cradle
Horizon Canopy
Kor Haven
Marsh Flats
Misty Rainforest
Plains
Savannah
Strip Mine
Sunpetal Grove
Temple Garden
Verdant Catacombs
Wasteland
Windswept Heath
Wooded Foothills

A última lista do artigo é um True Midrange baseado em hatebears no qual a combinação Selesnya se sobressai. Usualmente, Gaddock Teeg costuma ser a escolha de comandante para esse tipo de deck, porém como dito mais acima, um field fortemente baseado em criaturas e com muitos deck Aggro, Mirri, Weatherlight Duelist se torna uma escolha melhor.  O deck é infestado por criaturas de baixo custo, extremamente irritantes: Containment Priest, o próprio Gaddock Teeg, Grand Abolisher, Imposing Sovereign, o terror dos artefatos Kataki, War’s Wage, Leonin Relic-Warder, Qasali Pridemage, Scavenging Ooze, Spirt of the Labyrinth, Thalia, Guardian of Thraben, Ave Mindcensor, Eidolon of Rhetoric, Manglehorn, Reclamation Sage, Thalia, Heretic Cathar, Vryn Wingmare, Hokori, Dust Drinker, Linvala, Keeper of Silence, auxiliados por Null Rod, Thorn of Amethyst, Aura Shards e Stony Silence. Podemos exterminar com as lands dos oponentes com a tech de Strip Lock, ao usar Strip Mine ou Wasteland em conjunto com Crucible of Worlds ou Ramunap Excavator com Azusa, Lost But Seeking, Oracle of Mul Daya  ou Exploration. Ou podemos acabar com os terrenos  logo de uma vez usando remoções globais. Para auxiliar no controle, contamos com várias remoções pontuais e para buscar as criaturas corretas no momento certo, contamos com muitos tutores. A postura mais agressiva pode ser facilmente imposta pelas numerosas criaturas, que poderão ser bloqueadas por uma única criatura por oponente, auxiliadas com Beastmaster Ascension, Pathbreaker Ibex e Elesh Norn, Grand Cenobite. Isso enquanto ainda protegemos nosso jogo com cartas como Mother of Runes, Sylvan Safekeeper, Dauntless Escort, Heroic Intervention e a novíssima Teferi’s Protection.

Meus queridos, por hoje é isso. Nos próximos artigos voltaremos os nossos olhos para os demais lançamentos de Commander 2017: na semana que vem, Draconic Domination! Espero que tenham feito uma boa leitura e até a próxima!

Sobre Mateus Nogueira

Professor da rede pública de ensino no Distrito Federal, formado em Ciências Biológicas, nerd multiclasse, já jogou e aprecia diversos formatos de Magic: the Gathering. É especialmente apaixonado pelo Commander em sua vertente multiplayer, sendo um infeliz sem alma, apreciador de Stax e Combos.

4 Comentários

  1. bem top o artigo ! fico feliz que esteja se divertindo bastante com o crack(magic), melhorei bastante meus decks e tenho sempre lido seus artigos, melhorei ultimo desde a ultima vez que jogamos EDH, se tudo der certo final do ano vou pra DF ai terei a minha revanche !

    • Seu maldito, me botou no crack e olha onde eu vim parar!

      Ou seja, tenho muito a te agradecer! Aguardando ansioso pela revanche! Vai ter que suar! Kkkkkkkkkkk

  2. Uma dúvida referente ao tipo de criatura que a habilidade de Arahbo possui: gatos e felinos contam como mesmo tipo? Sei que parece uma dúvida nada a ver, mas está levantando uma grande “enquete” entre meus amigos de mesão hahahahahaaaha
    E aí, contam como gato e felino, ou ambos contam como o mesmo tipo?
    By the way, ótimo artigo. Ajudou muito no meu deck de gatíneos.

    • Obrigado, Mônica! Fico feliz em ser útil! =)
      Quanto a polêmica no seu grupo, o subtipo oficial é “Felino”, embora seja comum uma confusão quanto ao termo “Gato” (já que o tipo em inglês é Cat). Eu mesmo vivo me confundindo. Se você fizer uma busca por “Gato” em subtipo de criatura, não vai encontrar nada.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *