segunda-feira , 25 junho 2018
enpt
Home / Reports Campeões / Mexicano joga como nunca… e ganha de novo!

Mexicano joga como nunca… e ganha de novo!

Por André Felipe Sampaio

Olá galera, venho aqui hoje fazer um report (meio torto como sempre) sobre como foi minha experiência no Super Alpha Legacy RJ do dia 19/08/2017. Sou André Felipe, vulgo Mexicano de Niterói. Fiz uma caravana e a cidade compareceu com aproximadamente 10 jogadores.

Muitos já sabem que sou jogador de Jund Legacy há alguns anos, buscando me especializar em um deck de cada vez, assim conseguindo minimizar os erros de jogadas.

Torneio de porte internacional, 96 jogadores Legacy reunidos de diversas partes e dispostos a buscar o troféu e a Volcanic Island.

A premiação era incrível como sempre, em especial dessa vez. O top8 garantia uma dual land e os 24 primeiros voltariam para casa com algum card, além dos diversos brindes sorteados, incluindo uma Forest guru land (!) cedida por um dos jogadores, realmente gente finíssima.

O nível se mostrou bastante competitivo, não me recordo de ver nenhum deck que não se encaixe nessa definição durante o evento.

Como estava jogando sem muitas pretensões de premiação, acabei por anotar apenas o primeiro nome de alguns jogadores (foi mal galera), em especial no início do torneio, fora que não fiz observações que poderiam me ajudar num report.

Evitarei colocar os side ins e outs pois realmente não me lembro e poderia falar besteira, mas destaco alguns que tiveram efeito relevante.

Deck List

Vamos aos matchs:

R1 – Vinícus Ramalho (Colorless Eldrazi)


Lembro pouquíssimo desse match. De início sei que o cara colocou na mesa um playmat com 5 tritões diferentes desenhados.

G1 – Ele abre de waste, vai.
Eu de shaman vai. Faz land, chalice pra 1 e cita que acreditava que meu deck tinha mais coisas de custo 1. Olho minha mão, tudo 2 de custo, tá suave. Mais tarde faz Espinho de Ametista, que sempre me atrasa um pouco, mas lembro de não me preocupar muito com isso, pois estava com terrenos suficientes e um Decay na mão, caso necessário.
Liliana mantém a mão dele vazia enquanto o que entra toma édito. Dominei o jogo dessa forma e algum finisher mais tarde trouxe a vitória.

G2 – Lembro apenas dele fazer Matter Reshaper, Thought-Knot Seer, ir me batendo, eu fazendo bichos que morrem e assim vai até que entra um Cálice pra 2. Nesse match lembro de fazer 2 ou 3 Bloodbraid Elfs, que deram cascata em spells úteis nos momentos oportunos. No late game sobra na mesa um Smasher e eu com BBE, shaman e Bob (a mão tinha muita coisa custo 2…). Ele bate com Smasher, dou bloqueio duplo com elfo e Bob. Dismember no elfo. Então, a essa altura era rushar com Shaman na mesa, causando 2 e eu com 2 bolts na mão. Life dele tava 10, vai que dá… Nesse último golpe do smasher eu passo de 9 pra 5. Na passagem eu dou shaman levando a 8, raio, 5… desvirei, shaman causa 2 nele e o raio termina. Oponente revela jitte na mão e um revoker. Chalice dói em todo mundo.

1-0-0

R2 – Raphael Cirino (ANT)


G1 – Oponente abre de U. Sea, Probe e Preordain. Eu penso “Grixis, quero”. Mas fica assim, faço um shaman, ele volta de cantrip. Faço Bob, ele volta de cantrip. Faço Goyf, ele abre a deck box, coloca marcadores de mana e storm, começa fazer LEDS, infernal tutor pra mais LEDS, “storm conter 10 ok?”, ”Ok”, “Tendrils Ok?”, “Ok”.

Cadê o Grixis prometido?

G2 – Eu, animado e feliz, já começo a imaginar “Da pra premiar top 24 se eu perder essa hein”

Abro uma mão bruta e crua. 2 lands, Surgical, 2 mindbreaktrap + cards aleatórios que eu não lembro porque os 3 de side me hipnotizavam. Oponente abre de Probe, Mox, imprinta algo azul, Pétala e Cabal pra Trap. Eu exilo o cabal com umas das traps. Nisso o oponente não comba mais porque sabe meu side na minha mão. Pelo que consta da vida dele foi 20~16~12~6. Eu chutaria que foi Goyf.

G3 – Abro com uma mão de Shaman,Surgical, lands e mais coisas, mas não importa, tá ali a Surgical. Oponente mete Defense Drid no turno 2. Eu olho pro surgical na minha mão “hellodarknessmyoldfriend.mp3”. Daí eu percebo, tenho shaman agora e 2 lands na mesa, pago 2 life mais 3 manas e dá para jogar, parece fair.
Oponente faz Seize e tira meu Surgical.

Pior não é nem isso, cara, toda cantrip era “storm counter 1 aqui”, mas passava o turno. Eu tinha uma pequena pontada no coração cada vez que ele falava isso, foram umas 4. Voltando, perdi o Surgical, ele passa e eu compro outro. Back in the game. Ele começa a combar, blablablá tudo no grave, quando vi que não tinha mais mão e tinha só Past in Flames no grave, removi o past e gg.

Ganhei dessa atrocidade, “Será que tem mais algum combo unfair..? Né possível”, pensei eu ingenuamente.

2-0-0

R3 – Gabriel (BR Reanimator)


G1 fica bem claro contra o que eu tô jogando, mas apenas depois de eu keepar uma mão que só jogaria contra um fair deck. Era algo como 3 Decays, Badlands, Seize, Bob e Waste.

Oponente revela 2 Chancellor of the Annex para habilidade dele. No play faz land, Unmask em si mesmo, Reanimate para chanceler. Magic é divertidão.

G2 – Objetivo claro: ‘’quero jogar’’.
Abro uma mão com resposta. 2 Lands, Surgical, Liliana, Seize + cards aleatórios. Oponente abre jogando na retranca, fazendo Faithless looting e não reanimando nada turno 1~2. Mais tarde ainda consegue tirar o Surgical e reanima um Griselbrand com Animate Dead. Sei que ele compra 7 e eu fico pensando “é só 6/7 voar lifelink que draw 7, poderia ser pior… um 7/7 talvez”. Faço um Decay no Animate Dead, tendo um bob na mesa revelando uma Surgical. Ele tenta animar e eu exilo. Faço Liliana deixando ela com 3 counters e mesmo com um mundo de cartas na mão ele não reanima mais nada. Ao final o oponente fala que tinha todas as criaturas do deck na mão, me mostrando.

G3 – Objetivo claro: “quero fazer igual o G2”

Abro uma mão sem nenhum side, mas com Shaman, Liliana, bichos e lands suficientes.
Triste foi o oponente no play revelar o Chanceler e eu pensar “a lá o Shaman não entrando mais no T1, tô triste”. Ele, no play, faz land, vai. Eu imito seu play. Ele faz outra land vai, e eu já pensando “será que ele acha que tenho Surgical e tá se segurando?”. Faço Shaman, pago o Chanceler. Ele faz uma terceira fetch e vai. Tudo lindo. Shaman já não enjoado e eu com land verde. O pequeno elfo quase planeswalker intimida qualquer bicho a entrar no grave, e quando tem brecha ainda causa 2. Vai entrando Bob, Liliana e o Shaman lá, na dele, calmo, frio e concentrado. Oponente já não volta mais depois dessa.

Não tem como cara, como eu ganhei esse match?

Agora eu quero algum combo mais zoado e unfair.

3-0-0

R4 – Bruno Vieira (Colorless Eldrazi)
Brunão é parceiro da caravana, ambos cientes do deck de cada um.


G1 – Foi bem rápido e unfair, mas nesse caso eu que fui o agressor. Oponente mulliga pra 5 e abre de Karakas. Eu faço land pra Shaman e passo. Ele faz Mishra Factory. Dou Wasteland na Factory e Hymn, que tira Smasher e Thought-Knot Seer. Ele compra land e volta de Endless One 2/2. Dou removal no bicho e faço algum finisher que leva.

G2 – Lembro que um Matter Reshaper vai me batendo aos poucos, surge um Eldrazi Mimic e outro Reshaper. Removo o Mimic. Apanho um pouco para os 3/2 até que dou pulse e tiro ambos. Nisso faço uma Liliana e bichos que seguram o jogo e não deixam ele voltar.

4-0-0

R5 – Phellipe Ribeiro (Grixis Delver)


Primeiro oponente do torneiro jogando contra mim que usa Force of will.

G1 – Lembro de ter um Punishing combo bem estabelecido que tirava Delvers, Shamans, Pyromancers e seus tokens. Nisso chego até 8 de life. Ele encaixa um TNN na mesa vazia, eu volto de Lili. Sei que eu não tinha threat e o life dele vai descendo só de 1 em 1 pelo punishing combo, constando mais de 20 marcações de vidas diferentes só do oponente nesse jogo. No fim um Shaman e uns burns in the face finalizam.

G2 – Lembro dele encaixar um Delver de early game, mas consigo matar dps de levar só 1 ataque dele. Ele faz Pyromancer e tokens, dá Cabal Therapy tirando elfo da minha mão. Eu deixo um Bob na mesa que vive e vai me dando cards até que, com o oponente com 1 pPyromancer, 1 TNN e 1 token, o Bob me revela um Golgari Charm. Limpo a mesa, faço 2 Goyfs 3/4. Oponente volta de Gurmag. Bato com os Goyfs e ofereço a trade pois tenho Punishing e Grove, que o oponente já sabia. Trocamos. De resto o outro Goyf termina o jogo junto com o Punishing eliminando qualquer aspirante a block.

5-0-0

R6 – Raphael Prais (Grixis Pyromancer)


Sabemos o deck de cada um.

G1- Lembro dele não fazer nenhum bicho nos 10 primeiros turnos, só cantrips e remoções pra Shamans e Goyfs. Porém, Sylvan Library de turno 2 e um Bob de turno 3 ficam na mesa até o fim do jogo. No desenrolar da partida sei que o Bob encaixou muitos ataques até o jogo acabar com ele mesmo finalizando. Vale lembrar que alguma hora um Gurmag entrou, mas tomou édito da Lili.

G2 – Mulligan pra 6. Abro uma mão com 3 lands, Bob, Lili, e Decay. Dou scry num Choke. Pro fundo. Oponente abre de Underground vai. Eu compro uma Waste, olho pra minha mão, olho pra ele e dou Waste na underground pensando “que jogada ruim”, oponente responde com Brainstorm, vida que segue. Turno dele, compra e passa. Sem lands… eu acho cômico o fato de eu pensar que a jogada deu certo. Nisso eu desenvolvo board, faço Bob, Liliana, Goyf e só vejo o oponente baixar land depois de uns 3 turnos de draw-go. Tarde demais.

6-0-0

R7 – Gustavo Castilho (Death&Taxes)


Depois de pegar um armagedon de badmatchs no início, um good match ta aí… será que perco logo pra ele? O medo era real.

G1 – Já sabia do que meu oponente estava jogando a essa altura do torneio e ele também sabia o meu deck, logo tenho em mente a ideia de que ele me ganha principalmente se me zicar. Tenho uma mão com 2 terrenos, removals e Shaman. Ele abre de Plains, Vial. Eu abro de fetch pra Badlands, Shaman. Oponente sobe Vial, volta de Rishadan Port e já me dá tap na minha próxima upkeep. Faço uma Bayou e passo, segurando um Punishing Fire e desejando que fosse um Decay pro Vial. Ele faz Thalia, Guardian of Thraben pelo Vial e Wasteland na Bayou. Fico triste, lock tá rolando perfeito. O jogo vai nesse lock um tempo, ele faz 2 portos e fica me virando, eu só tentando encaixar qualquer removal esporádico incluindo uma Liliana, que morre rápido após um édito. Mesmo quando acho que consigo dar Decay no Vial, Flickerwisp blinka ele. Nisso vai indo até o oponente fazer gaga pra Batterskull, Revoker pra Shaman e eu com no máximo 2 lands, mas preso no lock todo turno pelo porto. Oponente flooda a mesa de bicho enquanto desço um Goyf que entrou por milagre, com corpo 4/5 pra segurar a batter. Revoker trava meu Shaman. Na volta faço cara de que tá tudo bem e passo, sem lands usáveis ainda. No turno seguinte do oponente tomo Flickerwisp no Goyf e morri numa pancada que tinha Revoker, Spirit of the Labyrinth, Gaga e Batter.

G2 – Já antecipo que esse foi um match longo demais e um dos jogos mais emocionantes que o Magic e em especial o Legacy já me proporciaram. Começo com o trauma da zica violenta. Mulligan pra 6 de ambos os lados. Tô no play e dou scry pra uma land no topo, tendo 2 fetchs na mão, Shaman, Punishing, Raio e Golgary Charm. Estouro a fetch pra Badlands e faço Shaman, só nisso já lembrei que perdi a terceira land do topo. Penso comigo mesmo e até comento com o oponente “pensei tanto no scry e dei shuffle”… vivendo perigosamente. Faço Shaman e passo. Oponente faz Plains, Vial e passa. Eu volto de fetch, Bayou, Decay no Vial e Shaman agride. Oponente volta de land e outro Vial, triste. Volto de Grove. Oponente faz agulha pra Shaman. Removo uma Thalia na passagem com Punishing. Compro mais lands e passo… Oponente a essa altura dá Waste no Grove. Volto de land e Praga pra humanos, já que ele não tinha criaturas na mesa, vamos evitar. Ele faz Council’s Judgment na praga e Thalia. Tenho um Golgari Charm na mão a essa altura, mas com 20 de life deixo a Thalia me bater uns turnos para ver se tiro mais valor do -1/-1. Oponente faz uma outra Thalia, a 3/2 que toma raio. Continuo levando a 2/1 até que, num momento onde estou tapado ele faz uma Jitte, equipa e bate. Thalia agora é 2/1 segurando uma Jitte de 2 counters. O sonho acabou. Faço um BBE na esperança de resolver a jitte, ele me revela um toxic deluge. Penso e decido, -5/-5 pra todo mundo, meu Life cai pra 8 e o do oponente tá 22. Tô sem criaturas, o oponente volta de Flickerwisp segurando a Jitte. Eu na mão só com 1 Golgari Charm, todo tapado vejo a história se repetir. Volto e compro…land. Oponente equipa e bate. Flickerwisp agora segura jitte com 4 marcadores. Na volta eu morro, tenho que resolver essa Jitte. Compro Decay. Meu turno faço Decay na Jitte, ele ganha 8 de life indo a 30, em seguida faço o Golgari Charm e tiro o 3/1. Na passagem ele faz outro 3/1 pelo vial (possui 2) que me leva a 2 de vida. Na volta compro Raio que mata o 3/1. Todos no top draw mode. Ele compra e passa, eu compro Lili que sobe pra 4 counters. Ele volta, compra e passa. Eu volto de shaman e subo Lili. Ele compra mais Plains. Começo a ganhar life com o Shaman removendo bichos e subo em algum tempo de 2~4~6~8. Enquanto o oponente só compra Gaga que toma édito da Lili e alguns bichos que tomam spot removals. Pulse nos 2 vial pra não ter surpresas. Nisso eu já faço Bob e sempre ganhando life no final do turno com Shaman. Com Grove agora novamente, tudo mais tranquilo, começo a ficar voltando 2 Punishing e subindo Liliana. Com o tempo o life de 30 vai diminuindo lentamente como consta 30~28~26~27~25~23~24~22~23. Notando-se o Bob batendo e o Punishing voltando. Meu life oscila entre 9 e 7 graças ao Bob e Shaman dando life. Até que compro 1 Goyf que faz o life do oponente ir de 23~16~12. Ele tenta encaixar bichos, porém Liliana com 8 marcadores dá ultimate e deixa ele com 3 Plains apenas, além do Punishing, que não permite blockers. Desço mais 2 Goyf que fazem de 12 ir a 0. GG.

G3 – Estávamos cientes de que o tempo era curto, logo as decisões teriam que ser rápidas. Mulligo pra 5 dps de abrir 2 mãos com 1 land e 3 BBE. Última mão, Swamp, Bayou, Decay, Goyf, Punishing. Oponente abre de Plains, Vial. Eu faço Swamp, go. Ele faz land, Jitte. Eu faço Bayou, go. 5 TURNOS. Ele faz Gaga vai. Eu, na passagem, dou Decay na Jitte. Volto de Goyf. Ele remove Goyf e faz Thalia. Eu não faço nada e passo. Ele volta de alguns bichos e o jogo acaba. Empatou.

6-0-1

A essa altura eu sabia que o empate me era favorável na pontuação do suíço e comemoro com os amigos a vitória do torneio.

Fica aqui o meu agradecimento aos amigos, em especial de Niterói, que ajudaram, deram força e apoiaram durante não só esse torneio, mas todos os anos de Legacy.

Agradeço também à comunidade e à organização do torneio que, sempre unida, consegue proporcionar eventos de grande porte no que é, para mim, o melhor formato do Magic.

Sobre Fausto de Souza

Fausto de Souza, jogador e colecionador desde 1994. Viciado nas cartinhas e em escrever, tem feito grandes amigos em toda a comunidade e é muito grato por isso.

Um comentário

  1. Grande Mexicano! E o segundo já né? Tá ficando ruim de aturar!
    Evento foi muito bom. Melhor comunidade Legacy do planeta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *