quarta-feira , 23 agosto 2017
pten
Home / Reportagens / O melhor do mundo
Ele não se cansa de ganhar.

O melhor do mundo

Ele ganhou duas vezes o Pro Tour, tem dois títulos de GPs, foi campeão nacional duas vezes. É o segundo jogador na história em presenças no Top 8 em Pro Tours (chegou lá 12 vezes e foi Top 8 em 19 GPs). Até antes do Pro Tour Kyoto, que acabou de vencer, era o terceiro jogador com maior premiação no Magic: The Gathering. Foi indicado ao Hall da Fama do jogo no primeiro ano em que foi elegível (2012) e também o mais jovem da história a chegar aos 300 Pro Points Vitalícios. E tudo isso, Paulo Vitor Damo da Rosa, o porto-alegrense conhecido como PV, conseguiu antes dos 30 anos de idade, que completará no dia 29 de setembro.

O Jogador do Ano de 2017 de Magic impressiona toda a comunidade do esporte por suas façanhas precoces e consistência. Além de tudo isso, ainda é um dos articulistas mais respeitados do jogo, escrevendo colunas periodicamente para o site do seu time, o Channel Fireball. Em Kyoto, quando todos davam como certo que o prêmio iria para o português Márcio Carvalho, qual não foi a surpresa em ver PV vencendo jogos emocionantes, com viradas inacreditáveis, até chegar à final para, da mesma forma, ou seja, com muita emoção, vencê-la. Ao site da Wizards, ainda um pouco enlevado pelas conquistas, disse: “Isso significa muita coisa. Quer dizer que, de todos no ano, eu fui o melhor!”

No último Pro Tour do ano, PV, que em 2017 tinha feito dois Top 4 em GPs e ficado em sexto lugar no Pro Tour Dublin, pilotou um monorred no Standard que acabou se dando melhor do que os outros quatro Red Deck Wins que estavam no Top 8. Ao final de três dias excruciantes, o garoto que começou a jogar Magic aos oito anos de idade no Rio Grande do Sul chegou ao topo do mundo. Qual será sua próxima façanha?

Sobre Paulo de Tarso

Jornalista de formação, vive a (e de) escrever. Joga (mal) Magic desde 1995, e encontra diversão para compensar a falta de talento para o jogo utilizando cartas e decks que não são muito usados por aí. De vez em quando flerta com algum relativo sucesso ao beliscar um top 8, mas não é muito afeito às mesas iniciais. Atualmente joga Legacy e alguns drafts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *