quarta-feira , 23 agosto 2017
pten
Home / Colunas / Command Beacon / Spoiler Exclusivo: Commander 2017

Spoiler Exclusivo: Commander 2017

Olá senhoras e senhores!

Bem vindos ao Command Beacon, a nossa coluna sobre Commander multiplayer aqui na Eternal Magic!

Nessa semana interromperei a nossa série sobre Commander e a Color Pie por um motivo extremamente especial. O Eternal Magic vem trabalhando forte para produzir conteúdo jornalístico relevante. Surgiu há pouco mais de 2 meses e é sem sombras de dúvidas uma fonte ímpar de material de qualidade relacionado a Magic the Gathering na internet brasileira. Como uma forma de reconhecimento por nosso trabalho e dedicação, fomos agraciados com um spoiler exclusivo de uma carta do aguardado Commander 2017! E como representante do formato aqui no site, terei a honra de apresentar essa novidade!

Como bem sabemos, o novo produto voltado para o Commander terá como temática decks tribais – 4 decks de 100 cartas com um total de 56 cartas inéditas válidas no Commander, Legacy e Vintage. Há poucos meses, infelizmente, houve o vazamento de diversas cartas do deck temático de dragões, liderado por The Ur Dragon, mas ao menos pudemos ter um vislumbre do produto sensacional que nos espera e já começamos a botar a nossa cabeça deckbuilder pra funcionar.

Desde então, houve o spoiler do comandante de Feline Ferocity, tribal de gatos liderado por Arahbo, Roar of the World, e a divulgação das artes do comandantes dos 4 decks presentes, onde algumas fontes japonesas afirmam que as tribos representadas no produto serão Dragões (5C, ), Gatos (Selesnya ), Vampiros (Mardu, ) e Magos (Grixis, ).

Agora, já nessa semana de 07/08 houveram diversos spoiler, efervescendo a cabeça dos jogadores de Commander.

Sem mais delongas, contribuiremos para esse furor indo finalmente ao que interessa: o spoiler exclusivo para a América Latina, Ataque da Estirpe!

Feitiço vermelho por 6 manas (), que cria cópias de todas as suas criaturas de um tipo escolhido até o fim do turno? Meu amigo, em ambientes mais casuais, os pilotos de tribais com vermelho vão deitar e rolar! Porém, em ambientes mais competitivos, o seu custo elevado deve inviabilizar seu uso. Portanto, essa análise será voltado para ambientes mais amigáveis em termos de nível de poder.

SINERGIAS

Criar fichas de criaturas em massa pode ser bem interessante quando começamos a pensar em algumas sinergias que permitem abusar desse efeito. Destacarei algumas delas aqui para você se divertir quando a carta for lançada em 25 de Agosto. Embora eu não vá me aprofundar nesse aspecto, lembre-se que habilidades de criaturas que desencadeiem com sua entrada podem ser abusadas com a criação das fichas. E por fim, para efeitos de exemplo usarei como modelo uma mesa onde o piloto do deck tenha uma quantia razoável de 6 criaturas do mesmo tipo e tenha acabado de usar Ataque da Estirpe, totalizando 12 criaturas (6 originais e 6 cópias).

GERAÇÃO DE MANA – Existem efeitos que fazem uso de criaturas para gerar mana e obviamente podemos fazer uso da nossa novidade para criar uma quantidade expressiva de criaturas, consequentemente gerando quantidades absurdas de mana. Os melhores efeitos desse tipo estão na identidade Verde, fazendo com que um deck tribal de base Gruul () possa ser visto como uma verdadeira usina elétrica. No nosso exemplo padrão de 12 criaturas totais, usando Earthcraft, Cryptolith Rite, Gaea’s Cradle e Xenagos, the Reveler poderíamos gerar 12 manas. Harvest Season pode colocar uma quantia enorme de terrenos em jogo, o que pode ser bem interessante com efeitos da habilidade Aterragem. Já que as cópias mantém seu o custo das originais, Food Chain geraria quantias indecentes. Pressuponho que aquelas 6 criaturas originais fossem 3 criaturas custo 1, 2 custo 3 e 1 custo 4, ao usar a habilidade de Food Chain nas cópias já gerariam 19 manas para conjurar criaturas. Fora dessa identidade temos ainda dois artefatos fontes de sacrifício e de mana, Phyrexian Altar e Ashnod’s Altar. Já que as cópias serão exiladas ao fim do turno, por que não usá-las como combustível não é mesmo? Por fim, no quesito mana, destaco uma carta Vermelha que permite uma sinergia insana com nosso feitiço, Mana Echoes: no nosso exemplo anterior, devido a criação simultânea das 6 fichas (com as 6 originais em campo), geraríamos um total de 72 . Na minha terra isso costuma ganhar jogo.

AGRESSÃO – Como boa parte dos decks tribais orbitam ao redor da estratégia Aggro, nada mais natural que usar as fichas geradas com Ataque da Estirpe para esfregar a cara dos amiguinhos no asfalto, portanto destacarei aqui os efeitos mais impactantes. Coat of Arms é um clássico dos tribais mais agressivos. Suponha a mesa do exemplo anterior de 12 criaturas em campo, após usar nosso feitiço, compartilhando um tipo. Isso são um total de 132 de poder no mínimo, lembrando que uma mesa média conta com 120 pontos de vida dos oponentes. Grosso. Efeitos semelhantes são prorpocionados por Marton Stromgald, Shared Animosity e Tears of Rage (que nesse exemplo específico, infelizmente precisaria de um total de 10 manas para ser efetiva, mas…). Com a cor verde, podemos usar Beastmaster Ascension, para módicos 60 de dano e Pathbreaker Ibex para no mínimo 72 de dano. Pelo menos é alguém a menos na mesa e a satisfação de espancar aquele Stax ou Combo.

DANO OU PERDA DE VIDA – Alguns efeitos permitem causar dor e sofrimento sem ao menos declarar a Fase de Combate. Decks Vermelhos, especialmente Swarms e Linear Aggros, costumam usar e abusar de efeitos que desencadeiam com criaturas entrando em jogo. É o caso de Impact Tremors, Warstorm Surge e Purphoros, God of Forge. No caso do deus vermelho, temos total de no mínimo 12 pontos de dano em cada oponente, totalizando 48 de dano com uma única jogada em uma mesa com 3 oponentes. Após o combate, poderíamos usar Goblin Bombardment para abusar das fichas que seriam exiladas, causando, portanto, dano adicional ou efetivamente fazendo um estrago nas criaturas dos oponentes. Se tiver um Goblin Sharpshooter então, você cultivará o amor nos corações. Quando começamos a olhar para a porção Preta da Color Pie, temos ótimas fontes de dreno, como Zulaport Cutthroat, Blood Artist e Falkenrath Noble. Todos dependem de uma fonte de sacrifício para extrair valor das fichas, mas potencialmente podem drenar bons pontos de vida e te dar mais tempo para efetivar mais atrocidades.

CARD ADVANTAGE – O que pode ser quase tão bom quanto um campo cheio? Obviamente, ter uma mão cheia de cartas e nesse sentido existem boas cartas que podemos usar como fonte de Card Advantage. Infelizmente, elas em geral precisam de algumas condições para serem efetivas, seja ela uma fonte de sacrifício ou quantidades altas de mana para serem conjuradas no mesmo turno de Ataque da Estirpe. Entre as que necessitam de fontes de sacrífico destaco Fecundity, Dark Prophecy, Smothering Abomination e Skullmulcher, todas permitindo fazer uso das fichas que perderíamos. Greater Good permite ser essa fonte ao mesmo tempo que pode conceder mais Card Advantage e ainda alimentar o cemitério caso o deck faça uso do mesmo. As cores Verde e Azul permitem ainda um bom uso da quantia de criaturas em campo, embora infelizmente precisem de quantias grandes de mana. Claro, isso pode ser obtido com as cartas que destaquei mais acima como fontes de mana. Feita essa consideração, entre os destaques para comprar cartas temos ainda: Keep Watch, Tamiyo, the Moon Sage, Reprocess, Distant Melody, Shamanic Revelation, Collective Unconscious, Regal Force e Biomantic Mastery. Excetuando-se essas 2 condições que destaquei, podemos fazer um bom uso de Edric, Spymaster of Trest e Bident of Thassa, que desencadeiam com o ataque das nossas criaturas.

FICHAS – Ataque da Estirpe pode nos colocar uma quantidade interessante de fichas de alta qualidade em jogo, afinal, são cópias de criaturas. Mas jogadores de Commander são gananciosos e sempre querem mais. Por que ter uma cópia de cada criatura se podemos ter o dobro ou mais? Cartas como Doubling Season, Primal Vigor, Parallel Lives e Anointed Procession permitem isso. Caso seu deck seja um tribal que rode com outros efeitos que criem fichas, se tornam quase obrigatórias. Lembre-se, porém, que as fichas extras criadas também serão exiladas ao fim do turno, portanto podemos usá-las como combustível para criar mais fichas posteriormente, usando Mycoloth e Spawning Pits por exemplo.

CONTROLE DE PERMANENTES – Podemos usar ainda as nossas fichas para efetivar um controle de mesa. Alguns desses exemplos eu citei anteriormente, como Goblin Bombardment e Goblin Sharpshooter. Com uma fonte de sacrifício podemos efetivamente remover todas as criaturas dos oponentes abusando de Gravepact, Dictate of Erebos e Butcher of Malakir. Com mana suficiente, Attrition permitirá destruir todas as criaturas não-pretas que possam ser problemáticas. Phyrexian Plaguelord possibilita tirar aquelas com menor resistência e ocasionalmente algo maior. Outra forma de realizar controle usando nossas criaturas adicionais é por meio de descartes, e os melhores efeitos do tipo estão presentes em Sadistic Hypnotist e Mind Slash.  Tendo mana suficiente, podemos inclusive quebrar a base de mana inimiga, fazendo uso de Shivan Harvest.

ATAQUE DA ESTIRPE E AS TRIBOS

Como já destacado, o melhor emprego da nova carta será em decks tribais, o que nos leva a pergunta: Quais são os tribais relevantes que possuem a cor vermelha e que possam abusar de Ataque da Estirpe? Trago aqui, na minha visão, as melhores tribos para essa cor e de bônus menções a tribos mais exóticas.

Goblins

A inclusão de Ataque da Estirpe em um tribal dos verdinhos me soa como um acréscimo obvio. Inclusive está escancarado na própria arte. É uma das melhores tribos do formato e ela realmente se preocupa com a quantidade, algo que nosso spoiler oferece. Krenko, Mob Boss e Purphoros, God of Forge são as opções mais sólidas como comandantes para tribais de goblins, com uma menção honrosa aos outros Mono Red, como Grenzo, Havoc Raiser, Ib Halfheart, Goblin Tactician e Zada, Hedron Grinder. Vários são os goblins vermelhos que podem criar condições extremamente hostis para os oponentes, como Goblin Piledriver, Goblin Rabblemaster, Foundry Street Denizen e Goblin Chieftain por exemplo. Existem comandantes goblins com acesso a mais cores que podem nos oferecer uma visão diferenciada de como conduzir a tribo. Grenzo, Dungeon Warden e Wort, Boggart Auntie permitem acesso alguns goblins na identidade Preta bem como acesso a cartas sinérgicas dessa cor com Ataque da Estirpe, como Zullaport Cutthroat, Grave Pact e Sadistic Hypnotist. Com a cor Verde temos acesso Wort, the Raidmother, permitindo usar a habilidade Conspirar para quadruplicar o número dos nossos goblins ao usar Ataque da Estirpe, além de ter acesso a forte geração de mana e efeitos sinérgicos com fichas. Shattergang Brothers reúne as 3 cores Jund (), extraindo o máximo de Ataque da Estirpe ao contar com uma variedade enorme de possibilidades de interação nessas cores.

Elementais

Existem 2 comandantes bons para essa tribo: Horde of Notions e Omnath, Locus of Rage. Horde of Notions acaba funcionando quase como um Good Stuff de Elementais ao ter acesso as 5 cores, podendo fazer bom uso da nova carta. Omnath, Locus of Rage por sua vez acaba sendo um comandante mais efetivo pela grande quantidade de elementais que o mesmo pode criar. Qualquer Elemental morto é um Lightning Bolt. Com Ataque da Estirpe, podemos colocar uma quantia enorme de fichas de Elementais, tendo acesso a tudo que o Verde e o Vermelho pode nos fornecer nessa estratégia. Nesse cenário, usar nosso spoiler tendo em campo Parallel Lives e Goblin Bombardment, e após, conjurar Harvest Season me soa bem opressor.

Dragões (Possíveis comandantes: Scion of the Ur Dragon, Kolaghan, the Storm’s Fury e Atarka, World Render)

Não é apenas de criaturas pequenas que se vive um tribal. Dragões podem formar verdadeiras revoadas para acabar com o jogo de uma maneira muito, muito contundente. Para nossa estratégia com Ataque da Estirpe, copiar dragões grandes soa bem interessante, mesmo que sejam 3 ou 4 dragões apenas, continuam sendo criaturas de grande impacto. Some isso a cartas como Crucible of Fire, Dragon Tempest ou Scourge of Valkas. Scourge of Valkas por exemplo, sendo uma das criaturas copiadas com Ataque da Estirpe em uma mesa com 4 dragões pode causar um total de 64 de dano. Sem ao menos atacar. E quem pode liderar essa revoada? Vou destacar aqui alguns dragões lendários dos quais podemos tirar ótimo proveito: Kolaghan, the Storm’s Fury, fornecendo acesso ao Preto, e Atarka, World Render, com acesso ao Verde. Ambos desencadeiam com o ataque, sendo que Kolaghan pode desencadear +1/+0 para todas as suas criaturas para cada Dragão atacante. Com 2 dragões apenas e o nosso comandante, ao usar Ataque da Estirpe, contamos com um total de 5 dragões atacantes e um acréscimo de +5/+0 para todos os atacantes. Dolorido. O que me soa ótimo. Com Atarka, World Render cada dragão atacante recebe Golpe Duplo, podendo causar um estrago enorme. Agora imagine isso com todos os efeitos que possam permitir aumentar o poder deles, como Crucible of Fire, e podemos entender o porquê do nome da nossa dragoa. Temos Scion of the Ur-Dragon, que nos fornece acesso a absolutamente todos os dragões do jogo bem como inúmeras formas de sinergia com Ataque da Estirpe. Em breve, operando de forma semelhante e acredito que com uma pegada realmente tribal, teremos o próprio The Ur-Dragon, capa de um dos novos decks.

Fractius

E olha só que curioso, a tribo mais sinérgica que existe no Magic conta com a cor Vermelha na composição de todos os seus generais: Sliver Overlord, Sliver Queen, Sliver Hivelord e Sliver Legion. Com os Fractius, quanto maior a diversidade e o número deles, maior o seu poder no jogo, portanto, criar cópias com nosso feitiço me parece ser uma tech efetiva nesse tribal, principalmente se levarmos em conta que que possuem acesso a todas as 5 cores e sinergias possíveis com ele. Além disso, para se livrar das fichas pós-combate, contamos com diversos Fractius que concedem a habilidade de sacrifício com algum efeito, como Mindslash Sliver, Darkheart Sliver, Acidic Sliver, Cautery Sliver, Mindwhip Sliver, Firewake Sliver, Firewake Sliver, Mnemonic Sliver, Necrotic Sliver e gerando mana pra isso tudo, Basal Sliver, que pode ser especialmente aproveitado por Sliver Overlord. Porém, com Ataque da Estirpe, o que acredito se aproveitar melhor do grande número de Fractius é o Sliver Legion. Com uns 5 Fractius em jogo e esse comandante, após Ataque da Estirpe, ficamos com um total de 11 Fractius batendo no mínimo com 11 de poder (já que não existe nenhum de poder 0), ao menos 127 pontos de dano potenciais com acesso a todas as sinergiais imbecis que essa tribo permite. Grosso.

Elfos

Calma lá, tribal de elfos com vermelho? Como assim? Pois é, temos uma representante lendária com a combinação Gruul (): Rhada, Heir to Keld. É bem incomum, mas pode possuir alguns contornos interessantes não vistos nos tribais de elfos com as outras cores. A base tribal típica, usando cartas como Heritage Druid, Priest of Titania, Elvish Archdruid, Quirion Ranger, Birchlore Ranger, Wirewood Channeler, Ezuri, Renegade Leader podem passar a interagir com novos componentes, como Bloodbraid Elf, Shared Animosity, Tears of Rage, acesso a cartas como Wheel of Fortune e a melhor parte: cartas de combate extra como Relentless Assault, World at War, Fury of the Horde, e o melhor efeito possível nisso tudo vindo com Aggravated Assault, possivelmente gerando combates e mana infinita com os diversos geradores de mana.  Qual é a cereja nisso tudo? Ataque da Estirpe. Ela possibilita dobrar nosso exército de elfos, incluso todos aqueles com imbecis efeitos geradores de mana. Com um exército gigante de elfos e mana de sobra, a maldade é o limite.

Tribos Exóticas

O limite para o deckbuilding no Commander é a própria criatividade, especialmente em ambientes mais amigáveis, já que temos um formato eterno com uma pool enorme. Claro, as tribos se estendem muito além do que eu trouxe e vou colocar uma lista de algumas possibilidades com tribos com a identidade Vermelha e que podem fazer bom uso de Ataque da Estirpe.

Aliados:

General Tazri e Munda, Ambush Leader. (Vários triggers de novos aliados entrando em campo podem ser fatais).

Anões:

Depala, Pilot Exemplar.

Bestas:

Gahiji, Honored One e Marath, Will of the Wild. (Já imaginou copiar Craterhoof Behemoth e Pathbreaker Ibex com um Gahiji, Honored One em jogo?)

Espantalhos:

Reaper King. (Sinergia imbecil, destruindo várias permanentes)

Gigantes:

Kalemne, Disciple of Iroas, Brion Stoutarm e Ruhan of the Fomori.

Guerreiros:

Lovisa Coldeyes, Alesha, Who Smiles at Death e Stonebrow, Krosan Hero.

Minotauros:

Neheb, the Worthy.

Vampiros:

Olivia Voldaren e Olivia, Mobilized for War. (Essa tribo provavelmente alcançará um novo patamar com o lançamento do Commander 2017)

Essas são todas as sinergias possíveis com Ataque das Estirpe? É óbvio que não! Mas esse é um trabalho para as mentes criativas do deckbuilding e essa mente pode ser você. Com a aproximação do lançamento de Commander 2017 e a liberação de novos spoilers a criatividade de todos passa a fervilhar. Então, nas próximas semanas aguarde por mais análises dos novos produtos. Enxergou outras sinergias e possibilidades de combo usando Ataque da Estirpe? Deixe um comentário nos falando de suas percepções dessa novidade! Por fim, gostaria de agradecer a equipe da Eternal Magic pelo ótimo trabalhado realizado até então e a Wizards of the Coast pela confiança e oportunidade que nos deu. Muito obrigado! Espero que tenha feito uma boa leitura e espero por você nos próximos artigos. Até lá!

Sobre Mateus Nogueira

Professor da rede pública de ensino no Distrito Federal, formado em Ciências Biológicas, nerd multiclasse e jogador de diversos formatos de Magic: the Gathering. É especialmente apaixonado pelo Commander em sua vertente multiplayer, sendo um infeliz sem alma, apreciador de Stax e Combos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *