segunda-feira , 16 outubro 2017
pten
Home / Colunas / Dano na Pilha / 36 terrenos e um sonho

36 terrenos e um sonho

Olá! No domingo, dia 24/09, em Jaraguá do Sul aconteceu a oitava etapa do Circuito Legacy Catarinense. Eu mantenho, mesmo sem ter ganho nenhuma etapa, o primeiro lugar geral do Circuito que, além da vaga no super Top16, garante ao campeão Bye2 no Nacional Legacy 2017, que será disputado nos dias 25 e 26 de novembro, em São Paulo. Depois de dois anos jogando de Eldrazi e variações, na sétima etapa eu joguei de Jund Burn (artigo completo aqui) e para a oitava eu mudei novamente. Desta vez joguei de Lands! Segue a lista que registrei:

Jogar com esse deck é fazer tudo diferente do que você está acostumado com Magic. Descer na maioria dos jogos mais de um terreno por turno, utilizar o cemitério quase sempre, não se importar com descartes em geral, travar o oponente e combar para vitória… tudo isso é possível com essa lista.

Antes de continuar a escrever sobre o deck, quero deixar claro que este torneio foi minha primeira vez jogando com o arquétipo. Assisti a muitos vídeos, principalmente de jogadores renomados como Jarvis Yu e Jody Keith, mas não pratiquei nem senti pessoalmente como eram os matchups.

Pra quem não conhece vou começar pelo básico. O combo é:

E como funciona? Vamos na sequência:

  1. Ative Thespian’s Stage com alvo no Dark Depths;
  2. Quando a habilidade resolve você precisa escolher qual dos Dark Depths deseja sacrificar por causa da regra de lenda;
  3. Escolha para sacrificar o Dark Depths com marcadores;
  4. Escolha sacrificar o Dark Depths sem marcadores para colocar o token de Marit Lage.

E como seu oponente pode interagir? Das seguintes maneiras:

  • Quando você ativa a habilidade do Thespian’s Stage:
  • Quando você está escolhendo sacrificar Dark Depths sem counters:
    • Oponente destrui-lo com Wasteland, Ghost Quarter ou similares;
    • Anular a habilidade com Stifle ou similares; A habilidade desencadeia novamente, não seja enganado!
  • Quando você tem o token de Marit Lage:
    • Ele pode ser exilado;
    • Ele pode voltar para a mão ou sair do campo de batalha;
    • Ele pode ser sacrificado; e
    • A menos provável é que receba marcadores -1/-1 suficientes para morrer.

Quando seu oponente consegue responder de qualquer uma das formas que citei, o deck utiliza Life from the Loam para recuperar os terrenos e combar novamente. Life from the Loam é considerado o motor do deck. Através dele você consegue utilizar Wasteland ou Ghost Quarter todos os turnos. Consegue também buscar os terrenos do combo de três em três ao invés da compra simples do turno.

A principal forma do deck lidar com criaturas é através do Punishing Fire. Quando Punishing Fire está no cemitério você gera [man a]r[/mana] com Grove of the Burnwillows dando um de vida ao oponente. Punishing Fire desencadeia sua habilidade do cemitério. Se você pagar poderá voltar ele para mão. Importante lembrar que com 1 de vida que o oponente ganhou, todos os Punishing Fire do seu cemitério vão desencadear. Dessa forma é mais rápido matar o oponente.

Acho que isso é o básico do deck. Vamos a algumas situações práticas que você pode se deparar ao jogar de Lands!

Dica #1 – Wasteland no Thespian’s Stage

Oponente usa Wasteland com alvo no seu Thespian’s Stage. Com a habilidade na pilha você pode copiar qualquer terreno básico para proteger seu terreno.

Dica #2 – Pithing Needle na pilha

Oponente conjurando Pithing Needle. Com o artefato na pilha você pode copiar qualquer outro terreno (básico de preferência). Quando o artefato resolver o oponente terá que escolher nomear Thespian’s Stage ou o terreno que você copiou.

Dica #3 – Surgical no Loam

Oponente conjurando Surgical Extraction com alvo no seu Life from the Loam. Você pode substituir qualquer compra que fizer com a habilidade de dredge. Cycling do Tranquil ThicketSheltered Thicket ou compra do token de pista feito pelo Tireless Tracker. A forma mais rápida de se precaver é Gamble para Tranquil Thicket. O Sheltered Thicket está na lista porque você pode buscar com qualquer fetchland. Em seguida Ghost Quarter nela e finalmente Life from the Loam para ter o terreno com Cycling na mão.

Dica #4 – Marit Lage com vigilância

Você pode atacar e defender com o token de Marit Lage se controlar um Maze of Ith. No final da etapa de dano, Marit Lage ainda é uma criatura atacante e pode ser desvirada com Maze of Ith.

Dica #5 – Barbarian Ring X Mãe ou Prelate

A principal função do Barbarian Ring no deck é matar Mother of Runes ativa e Sanctum Prelate para 2.

Dica #6 – Turno 1 Sphere of Resistance

Sempre que entrar com Sphere of Resistance do sideboard, lembrar de entrar com Ancient Tomb também. Você aumenta muito a probabilidade de castar turno 1 quando Crop Rotation em qualquer terreno busca a sol land.

Mais dicas gerais:

Plano de Side

Death and Taxes:

-2 Gamble
-1 Bojuka Bog
-1 Dark Depths
-2 Ghost Quarter
-1 Glacial Chasm

+3 Krosan Grip
+2 Nissa, Vital Force
+2 Tireless Tracker

Eldrazi:

-4 Crop Rotation
-1 Molten Vortex
-1 Bojuka Bog
-1 Karakas

+3 Krosan Grip
+2 Nissa, Vital Force
+2 Tireless Tracker

Elves:

-1 Bojuka Bog
-2 Ghost Quarter
-1 Karakas
-2 Maze of Ith

+1 Ancient Tomb
+1 Chalice of the Void
+4 Sphere of Resistance

Grixis/4-Color Delver:

-1 Glacial Chasm
-1 Karakas

+2 Tireless Tracker

Sneak and Show:

-1 Molten Vortex
-3 Punishing Fire
-1 Barbarian Ring
-1 Bojuka Bog
-1 Glacial Chasm
-3 Maze of Ith
-1 Sheltered Thicket
-1 The Tabernacle at Pendrell Vle
-1 Tranquil Thicket

+1 Ancient Tomb
+1 Chalice of the Void
+3 Krosan Grip
+2 Nissa, Vital Force
+4 Sphere of Resistance
+2 Tireless Tracker

Storm:

-1 Molten Vortex
-3 Punishing Fire
-1 Barbarian Ring
-1 Glacial Chasm
-1 Karakas
-3 Maze of Ith
-1 Sheltered Thicket
-1 Tranquil Thicket

+1 Ancient Tomb
+1 Chalice of the Void
+2 Faerie Macabre
+2 Nissa, Vital Force
+4 Sphere of Resistance
+2 Tireless Tracker

Sultai/Bant Midrange:

-1 Barbarian Ring
-1 Karakas

+2 Tireless Tracker

Considerações finais

A etapa de Jaraguá foi muito boa. Eu me senti perdido no mirror-match do round 2 que acabei empatando depois de ganhar o game 1 com quase 40 minutos. Os outros rounds peguei matchs favoráveis e isso que mais me chamou atenção. Quando o match é bom, não é aquele 60-40 que se está acostumado… a maioria senti que foi 80-20. Joguei contra Ale, Jund, Elfos, Nic Fit e o mirror. Nas quartas dei muita sorte contra o Jesus que estava de Sneak and Show. Game 1 ele zicou no terceiro terreno e o Game 2 eu separei uma land da mão inicial e ele achou o jogo todo que era Krosan Grip. Com Sphere of Resistance">Sphere of Resistance na mesa eu combei antes dele. A semi-final foi contra Andreas Moser (segundo lugar no ranking geral do CLC) de Eldrazi. Eu passei em terceiro no suiço e ele em segundo. O turno 1 dele foi Eye of UginEldrazi MimicEldrazi MimicEndless One pra 2. Eu abro de Taiga + Crop Rotation para The Tabernacle at Pendrell Vale matando os 3 eldrazis. A final foi contra o Xis de Maverick! Como ele joga de mais com o deck e eu errando na estratégia sua vitória foi mais do que merecida.

Agradecer em especial ao Paulo de Tarso (jornalista do Eternal Magic) que me emprestou o The Tabernacle at Pendrell Vale. Eu sempre sonhei em jogar com o deck e, quando comentei, ele prontamente ofereceu a carta emprestada. Mais uma vez obrigado!

Dia 22 tem a nona etapa em Itajaí. Como o Paulo já disse que vai de Lands, mudarei o deck novamente. Tomara que dê certo mais uma vez 🙂

– Morelli

Sobre Morelli

Morelli é um entusiasta do Magic há 15 anos. Voltou a jogar competitivo em 2012. Jogando de Standard a Legacy passando por Duel Commander. Conquistou Top 32 em GP Rio e atualmente busca o Pro Tour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *