sábado , 16 dezembro 2017
enpt
Home / Reportagens / Seja legal com o(a) coleguinha

Seja legal com o(a) coleguinha

Por Henrique Belumat (*)

Quero compartilhar algumas percepções que tenho sobre o jogo e sobre a comunidade. São temas que eu sempre converso com as pessoas próximas e vou mesmo, na cara dura, aproveitar essa visibilidade como oportunidade pra levar mais longe esses temas. Vamo lá.

Magic é coisa séria. Eu levo a sério. Todos os 149 jogadores do Nacional Legacy levam a sério. Mas é importante manter a essência de jogo, de hobby, de brincadeira. É muito comum, num ambiente competitivo como o que encontramos no fim de semana, observar frustração e desgosto, e até aí tudo bem, sei que todo mundo quer ganhar. O bicho pega é quando a gente vê raiva e decepção em um nível claramente profundo:

Magic precisa ser uma experiência agradável para você.

Temos um hobby caro, que demanda muito tempo, estudo e treino. Pessoalmente, se em algum momento o jogo se tornar para mim uma atividade sofrida, maçante, desgastante e que me deixa triste ou bravo, não vou hesitar em abandonar o jogo e, sei lá, jogar bocha. E tudo piora quando essas reações negativas influenciam o ambiente em volta:

Magic precisa ser uma experiência agradável para todos.

Nosso hobby é caro (em grana e tempo) para você e para todo mundo que está em volta. Ninguém quer sair de casa para entrar num ambiente agressivo e negativo. Todo mundo quer sair de casa para ter um momento legal, divertido e saudável. Pra conversar com outras pessoas enquanto joga o jogo que ama. Se você tem raiva enquanto joga, problema seu. Se já tá ruim assim, imagina quando você projeta no seu adversário, que não tem nada a ver com isso. Esse tipo de atitude cria ambientes tóxicos que afastam jogadores, principalmente novatos.

É missão de TODO JOGADOR contribuir com a comunidade.

Gosta de jogar sozinho? Clique aqui para jogar Paciência Online. Magic é um jogo de comunidade, de encontros, de GATHERING. Se você não se incomoda com determinada atitude, não tome como verdade que ninguém deveria se importar. É sua tarefa SIM contribuir para um ambiente inclusivo, receptivo, diverso e seguro para toda e qualquer pessoa que compartilhe esse momento com você.

TLDR: Curta o jogo e deixe as pessoas curtirem também.

Por que eu estou falando disso tudo? Esse Nacional Legacy ficou marcado para mim por alguns motivos. O primeiro deles: tive a oportunidade de conversar com muuuuita gente e de fazer amigos! O segundo: me cerquei de jogadores experientes e pude perceber que a grande maioria deles compartilha esses pensamentos, enquanto na internet ainda temos muito o que melhorar (basta um passeio pelos grupos de facebook para perceber o quanto a comunidade ainda é intolerante).

O terceiro: depois da final, tivemos um momento de celebração incrível. Na mesa estávamos: eu, recém campeão; Stefano, campeão em 2016; Matheus Alves, streamer em 2016; uma turma boa de jogadores do sul; e o Guma, streamer em 2016. Me marcou uma fala do Guma, que disse: “cara, eu fico feliz demais quando vejo que o pessoal que ganha os torneios é gente boa”.

Será que podemos estabelecer um padrão? Será que a simpatia e a educação estão relacionadas aos resultados? Não sei, mas na dúvida, SEJA LEGAL COM O(A) COLEGUINHA.

(*) Henrique Belumat é redator e foi campeão do Nacional Legacy 2017.

Sobre Redação

2 Comentários

  1. Parabéns pelo artigo, falou e disse!
    Precisamos de mais pensamentos assim para agregar na comunidade! Abraço!

  2. É isso ai ! artigo TOP DEMAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *