sábado , 20 outubro 2018
enpt
Home / Colunas / God Hand / Legado da diversidade

Legado da diversidade

Num fim de semana marcado pela diversidade no Legacy, 81 jogadores competiram em quatro torneios realizados em Recife, Betim, Rio de Janeiro e Brasília. A capital pernambucana foi onde tivemos um maior número de jogadores (31), seguido de Betim (26), depois Brasília com 14 e Rio com dez players. Vamos dar uma olhada na diversidade que o Legacy nos proporcionou essa semana.

No Recife, a primeira etapa da Lampions League foi um sucesso absoluto, mesmo debaixo de chuva. Com um field extremamente variado, onde apenas o Grixis Delver teve três cópias e todos os demais tiveram duas ou menos, 31 jogadores levaram 21 decks diferentes à competição, realizada na Geek Pit. E, pasmem, NENHUM deck com azul figurou entre os oito melhores!

Quem levou a melhor foi Carlos Mendes, pilotando o cada vez mais bem posicionado Monored Prision. Ao fim de cinco rodadas, numa campanha inquestionável, o garoto levou pra casa uma Karakas e garantiu 13 pontos para o ranking da competição.

A FORÇA DO LEGACY NO RECIFE

Torneio no Recife com público recorde. Foto: Tiago Guillen

Alex Martins, organizador da Lampions, ressaltou o saldo positivo do torneio. “Mais do que um recorde de players, alcançando a marca dos 31 jogadores, tivemos um domingo de muita diversão, confraternização e nostalgia por jogar o formato tão amado quanto o Legacy que cresce a cada dia através da força desta comunidade”, comemora.

O Top8 ficou assim:

1- Monored Prison
2- Pox
3- Eldrazi
4- Monored Prison
5- Turbo Depths
6- 8-Rack
7- Lands
8- Death and Taxes

Já em Minas Gerais, o LML Series lotou a Mana Factory, charmosa loja na cidade de Betim, com 26 jogadores, sendo que nada menos que 25 decks eram diferentes. Uma demonstração de que o Legacy é um dos formatos com maior possibilidade de opções para se jogar.

Ao contrário do field recifense, que não teve rigorosamente nenhum deck com azul entre os melhores colocados, Minas teve um Top8 com mais da metade dos decks com Brainstorm. Entretanto, o grande campeão, João Carvalho, jogou BG Depths, um combo explosivo que vem se destacando como uma das melhores opções, ao lado do BR Renimator, pra quem curte esse estilo de jogo.

Vejamos como ficou o Top8, pelo Suíço:

1- Bug Delver
2- BG Depths
3- Junk
4- Pox
5- UW Stoneblade
6- UWR Stoneblade
7- UR Delver
8- Omnitell

POX DE VOLTA?

A presença do Pox no Top8 de dois campeonatos distintos, ambos com cinco rodadas, é digna de nota. Claro que ainda é necessário tempo para alcançar uma análise mais acurada, porém é possível dizer que o deck pode estar se aproveitando da maré baixa dos combos que, como temos lembrado aqui, se deve principalmente ao banimento do Tampo, em abril do ano passado – o que trouxe mais Delver decks ao field que, por sua vez, fazem o controle natural dos combos.

Pox tem um bom jogo contra Delver e pode ser um tormento para os midrange/controle, já que muitas vezes a resolução de um smallpox vai representar uma vantagem expressiva. Além disso, é um deck que ataca bastante a base de mana do oponente, e nem todos os decks estão preparados para lidar com isso no field atual, que tem entre suas principais características uma base de mana gananciosa e frágil.

Por fim, complementaram o fim de semana Legacy as cidades de Brasília, com 14 jogadores, e Rio de Janeiro, com dez. Brasília, um field ainda em construção, tem encontrado na Asgard um porto seguro para a realização de seus torneios. Será necessário perseverança para que a capital da República avance para um field médio. Já no Rio, o pessoal foi mais em ritmo de treino para a Mana, Meles & Orcs, já que na semana anterior a Alpha Legacy tinha acabado de realizar sua etapa mensal.

FEVEREIRO PROMETE

No sábado teremos a final do CLM, que apenas na edição passada começou a organizar também torneios Legacy. O CLM9 reuniu 47 jogadores e teve Davi Pereira como campeão. Todos esperamos que o CLM10 avance, aproveitando o ano de ouro do Legacy.

Mas o formato vai bombar mesmo é no fim de semana dos dias 17 e 18. Nada menos do que cinco grandes torneios estão confirmados: Minas, Rio, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Recife prometem levar, quem sabe, 150 jogadores no total.

A expectativa é especialmente grande para Santa Catarina, único estado cuja Liga ainda não começou e tradicionalmente um dos celeiros do Legacy nacional. Não custa lembrar que o campeão do Nacional Legacy 2016 e vice-campeão em 2017, Stefano Garcia, joga por aquelas bandas.

Não se esqueçam de enviar suas sugestões de temas para abordarmos nas próximas colunas, que tem se dedicado ao Legacy. Quem sabe poderemos falar do Shopless da próxima vez? Escreva para eternalmagic@eternalmagic.com.br e diga qual tema você gostaria de ver abordado aqui.

Um grande abraço do
Fausto

Foto de capa: Tiago Guillen

Sobre Fausto de Souza

Fausto de Souza é pseudônimo do jornalista Marcelo Salles, que joga e coleciona desde 1994. Viciado nas cartinhas e em escrever, tem feito grandes amigos em toda a comunidade e é muito grato por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *