sábado , 20 outubro 2018
enpt
Home / Reports Campeões / A volta do “Stifler” Lenon no CLC

A volta do “Stifler” Lenon no CLC

Por Lenon Furtado

Oi, eu sou o Lenon/Lemon/Lois Lenon/Lênin… se alguém quiser saber mais sobre mim, tem esse artigo em que contam um pouco da minha história.
Na verdade eu passei uns bons seis meses afastado do Legacy, focando apenas na faculdade, jogando basicamente t2 no mol, mas no dia 2 de julho, o anúncio dos banimentos da querida wizards fez a minha mão e a de todos os rug players do mundo coçar, Deathrite Shaman estava finalmente banido. Não que o shaman sozinho ganhasse do deck, mas ele tornava metade das nossas cartas piores, e fazia as outras combinações BUG e grixis melhores por abusar das suas habilidades.
Vou falar um pouco sobre a lista e a escolha das cartas.

(54)
Polluted Delta
Flooded Strand
Tropical Island
Volcanic Island
Wasteland
Delver of Secrets
Nimble Mongoose
Tarmogoyf
Brainstorm
Ponder
Force of Will
Daze
Stifle
Lightning Bolt

Essas 54 eu acho que são o esqueleto de qualquer build de RUG.

(6)
Spell Pierce
Spell Snare
Dismember
Tarfire

Essas últimas variam do ambiente que você está esperando, apesar de eu nunca ter usado menos do que 2 Spell Pierce nas minhas listas. Além de Spell Pierce, outra carta que no momento é obrigatória nas listas é o Spell Snare, por causa de Baleful Strix, Thalia, Heretic Cathar, Snapcaster Mage, Stoneforge Mystic, Chalice of the Void, Tarmogoyf… e a lista segue. Não tenha vergonha de usar 3 Spell Snare se o ambiente onde você jogar pedir.
Tarfire e Dismember foram prevendo um ambiente com muitos eldrazis, então vi a necessidade de matar os aliens 4/4 e 5/5 ou fazer meu Tarmogoyf ficar 5/6 e ganhar a briga de monstros.

Em homenagem ao Lenon, apenas stifles ilustram a matéria.

Sideboard:

2 Abrade 1 Null Rod 1 Flusterstorm 1 Grafdigger’s Cage 2 Pyroblast 1 Sulfur Elemental 1 Submerge 2 Surgical Extraction 1 True-name Nemesis 1 Green Sun’s Zenith 2 Winter Orb

Única carta estranha para os olhos de todos eu imagino que seja o GSZ, a ideia é ser o 5º mangusto contra miracles, mas que nesse caso custaria 2 ,ou às vezes três manas, o que me ajuda a desviar de Counterbalance, ou o 5º goyf contra eldrazi. Numa situação ideal ele seria mais um TNN já que ele é uma criatura que não toma as Swords to Plowshares do Miracles e bate pra cima dos aliens gigantes. TNN é mais versátil e entra também em vários outros matchs, como mirror, D&T ou Maverick, mas como diz o ditado: se não tem tu, vai tu mesmo.
Agora, falando sobre o torneio e os matchs vou tentar falar bem resumidamente como foi o jogo e focar mais sobre as situações interessantes ou engraçadas que ocorreram, falar detalhadamente sobre como foi cada jogo seria muito maçante, mas aqui vai um resumo dos jogos no geral: boto um threat na mesa nos primeiros turnos, protejo ele, anulo as cartas principais do oponente que poderiam me atrapalhar, encaixo o combo de duas cartas do deck wasteland + stifle para o oponente ficar sempre atrás no jogo e bato até a vitória, basicamente fazendo o que o RUG faz de melhor, não deixar o oponente jogar Magic.

Match 1: UR delver 2-0 (esqueci teu nome, sorry ☹)
Boa parte do g1 achei que fosse um mirror, porque só tinha visto uma Scalding Tarn, uma Volcanic Island que tomou Wasteland e um Delver, jogo já estava decidido ao meu favor e meu oponente comenta que devia ter pego uma ilha com a Scalding tarn pra desviar da Wasteland, ele depois compra uma Ilha e uma Montanha e joga umas outras spells que confirmam que ele é um UR delver mesmo, o que muda totalmente a minha forma de sidear, porque eu sei que ele não vai ter goyfs.
SB
+ 1 Flusterstorm +2 Pyroblast +2 Abrade -1 Dismember – 2 Stifles -2 Spell Snare
G2: meu oponente abriu com uma boa sequência de spells, mas comprou mais de 6 terrenos e perdeu o gás.

Match 2: Dredge (Carlos Stofelli) 2-1
G1: Já conheço ele a alguns anos, e ele sempre joga de dredge, então eu já estava alerta, antes de começar o jogo ele deixa cair e mostra uma gemstone mine. Bom, qualquer dúvida que eu tivesse acabou ali. Como estava no draw, mulligo minha primeira mão por não ter fow e saber o deck dele, nesse match é muito importante vc anular as primeiras discard spells do dredge porque depois que ele começa a rodar o RUG não tem muitas formas de interagir com ele. Minha mão de 6 até tinha FOW, mas não foi o suficiente ele encaixou um Breakthrough com Lion’s Eye Diamond na mesa, nem deixei ele ter o trabalho de millar 40 cartas do deck, só aceitei e fui pro g2.
SB
+1 Flustertorm +1 Grafdigger’s Cage +2 Pyroblast +2 Surgical Extraction -1 Tarfire -1 Dismember -2 Spell Snare -2 Lightning Bolt
G2: anulo o primeiro Faithless Looting dele e volto de waste. Ele não compra nenhum land, eu resolvo uma cage e ele concede.
G3: ele mulliga a 4 e não consegue desenvolver o jogo dele rápido o suficiente.

Match 3: Maverick (também esqueci teu nome, sou uma tristeza com nomes e o painho sabe bem disso) 2-1
G1: esse jogo foi exatamente como aquele resumo que eu comentei lá em cima, mas isso só ocorreu por uma missplay do meu oponente. Ele começa o jogo com Noble Hierarch, botando uma Savannah no grave e passando, eu brinco sobre a Savannah estar no grave e ele diz que confundiu ela com uma fetch land, mas aceita o erro e passa, eu passo com fetch em pé, ele começa o turno e prontamente estoura uma fetch que toma Stifle, ele passa o turno sem bater, eu volto de goyf ele tenta Abrupt Decay e percebe que não tem mana preta e no desenrolar do jogo eu ganho. Esse é um exemplo de como uma simples troca de ordem nas suas lands gera um efeito bola de neve que te custa o jogo.
SB
+2 Abrade +1 Sulfur Elemental +1 Submerge +1 True-name Nemesis -4 Stifle -1 Nimble Mongoose.
G2 foi engraçado, ele abre de Nobre e passa, eu tenho uma mão com muitas opções: Delver, Spell Snare, Abrade, Tarfire, Ponder e 2 lands, eu penso e decido que é melhor só passar o turno, abrir de Tarfire no Nobre me faz ficar muito atrás caso ele resolva uma Thalia ou uma Sylvan Library, mesma coisa pro Delver, então decido apenas passar o turno pra ter a opção de dar um Tarfire ou Abrade em qualquer criatura relevante que ele fizer, ou Spell Snare caso seja uma Spell de custo 2, e aí então desvirar com duas manas e desenvolver meu jogo. Meu oponente pensa rapidamente e mete um “se tiver tu tem” e faz land e Choke, eu vejo minha mão com respostas pra tudo, menos pra isso, eu apenas respeito o culhão do meu oponente de fazer um Choke todo tapado contra um rug com uma mana aberta e parto pro g3.
G3 = resumo.

Vai estourar a fetch? Devagar aí, amiguinho.

Match 4: Grixis Control (Marcos Morelli) – ID da vergonha
Amigo meu de Floripa, me orefece ID mesmo tendo ainda outras duas rodadas. É como ele disse: melhor dar ID entre nós e jogar a próxima do que a gente se matar agora e dar id depois. Com a musiquinha do bope na cabeça aceito o ID pra evitar um match que eu nunca tinha jogado ou treinado.

Match 5: Grixis Control (Stefano) 2-0
Fugi de um Grixis Control pra enfrentar outro. Shit happens.
G1: Ele flooda horrores
SB
+2 Winter Orb +1 TNN +2 Pyroblast +1 Flusterstorm -1 Tarfire -4 Stifle -1 Lightning Bolt.
G2: ele keepa uma mão com poucos lands, eu resolvo um mangusto, ele se tapa pra fazer uma Baleful Strix, eu mato ela e volto de Winter Orb. Com ele restrito a fazer um spell relevante a cada 2 ou 3 turnos, e comigo comprando mais alguns permissions spells, Mangusto ganha o jogo tranquilamente.

Match 6: Eldrazi (Andreas moser) – ID
ID me colocava em 1º ou 2º e ele no top 8, nem fomos pra mesa.

Quartas-de-final: Eldrazi (andreas moser) – 2-0
Já entendi que não adianta evitar certos matchs, o destino vai me colocar contra eles novamente.
G1 ele mulliga a 5, toma uma waste e não desenvolve o jogo.
SB
+2 Abrade +1 TNN +1 GSZ +2 Winter Orb -4 Mangustos -2 Stifles
Mangusto é a minha carta preferida do rug, mas infelizmente ele não aguenta os ETs gigantes.
G2: deu um bom jogo, mas novamente = resumo. Detalhe mais importante desse match foi ele resolver uma Umezawa’s Jitte com um Endless One 3/3 na mesa, que se eu não tivesse resposta ia acabar com o jogo, mas o delver não é só uma criatura 3/2 flying por uma mana, ele também te ajuda a revelar as respostas que vc precisa no topo, nesse caso o Abrade para lidar com a Jitte.

Semifinal: Cunning Burning Tell (acertei o nome, Muy?) – 2-0
Antes de começar a nossa partida, a gente ficou conversando e rindo sobre assunto aleatórios por um tempo até que o Daniboy questiona “vocês não vão jogar não?” eu brinco dizendo que na verdade vamos decidir o jogo num concurso de piadas, quem contar a melhor ganha, então o muy diz “vou ganhar do Lenon” todos rimos, e ele ganhou, só que não, pode-se dizer que em termos morais apenas.
G1 eu floodo em criaturas e fico com poucas interações, mesmo tentando achá-las com alguns ponders e brainstorm, no turno chave ele tenta resolver um Show and Tell e eu tenho uma dual virada e duas em pé, dou um daze com minha land virada que ele paga, flutuo uma mana azul (lembrem bem disso) e faço um segundo Daze que toma FOW, acabaram meus counters e o Show and Tell resolve, eu coloco um goyf ele faz Ominiscience e prontamente faz um Emrakul, the Aeons Torn, tendo só uma carta na mão, dou Stifle com a mana azul flutuando na habilidade de turno extra do Emrakul tendo letal na volta caso meu Delver flipe no blind (spoiler, ele flipou). Mão dele era Daze, que eu podia pagar porque usei a mana flutuando para pagar o Stifle, detalhe aqui é que caso ele trocasse de fase depois de resolver a Omniscience ele anularia o meu Stifle, porque eu teria que usar minha última mana para dar o Stifle. Aí ele ganharia, mas é o tipo de coisa que ninguém pensa, eu já havia dado alguns Stifles no annihilator do Emrakul para ganhar, mas no turno extra foi um novo achievement.
SB
+1 Flusterstorm +2 Pyroblast +2 Winter Orb -1 Tarfire -1 Dismember -3 Lightning Bolt
Aqui, ter acesso à lista do oponente mudou muito a forma de sidear, Spell Snare é uma carta morta contra Show and Tell, mas como ele usava a lista com Burning Wish a história é outra, e normalmente se entra com um Abrade no g2 para destruir uma possível Defense Grid, mas como eu sabia que ele não tinha no side não precisei ficar com uma carta morta no deck.
G2 ele keepa uma mão arriscada com Boseiju, Who Shelters All, Montanha e o combo, eu dou Wasteland no Boseiju e ele não acha nunca uma mana azul.

Turno extra? Não tão fácil…

Final: UB Reanimator (Daniel jung) – 2-1
G1: keepo uma mão decente com um goyf como única criatura, o que já não é o ideal, porque tapar duas manas contra reanimator sorcery speed me deixa muito vulnerável contra o combo, compro outros 2 nos primeiros draws e não consigo impedir ele de colocar um Griselbrand na mesa contra um goyf 3/4 solitário.
SB
-1 Grafdigger’s Cage +2 Pyroblast +1 Flusterstorm +2 Surgical Extraction -1 Tarfire -1 Dismember -2 Tarmogoyf -2 Lightning Bolt
G2: mulligo pra uma mão com daze 4 lands e surgical, não é o ideal mas é o que tem pra hoje. Primeiro turno dele, compra e descarta um Tidespout Tyrant, ele tenta reanimar ele eu dou Daze, que toma Fow com pitch de Show and Tell, eu dou Surgical e ele não tem resposta, mão dele ainda tinha alguns reanimates mas nenhuma criatura ou forma de colocar criatura no grave, nos próximos turnos eu compro delver que falha no flip, mas ainda bem, porque veio uma cage :D, ele passa o resto do jogo tentando achar o abrupt pra quebrar a cage mas não consegue.
SB +1 dismember -1 goyf
G3: Como eu vi que ele tinha colocado Ashen Rider e Tidespout no deck, decidi voltar o Dismember por ter agora 2 alvos. Não é a melhor resposta, mas goyf já não é a melhor carta no match tbm, no draw tá ainda pior.
Durante o sb eu digo pra ele mandar eu começar, porque ele vai querer comprar uma carta passar o turno e descartar um bicho da mão, aí estar no draw é melhor. Ele não aceita o meu conselho, compra a mão pensa bastante, keepa a mão e fala vai… eu avisei. Minha mão era insanamente boa, 2 lands, Cage, Surgical, Fluster, Ponder e uma carta que não lembro, não faço Cage turno 1 porque sabia que o turno dele ia ser comprar e descartar, faço um Ponder e passo, ele descarta Ashen Rider, aí eu volto de Cage, ele tenta dar FOW que toma Fluster, ele faz Pântano, 2 Lotus Petal e passa, eu acho uma segunda Surgical, ele faz um Echoing Truth no final do turno na cage, eu deixo, ele tenta reanimar o Ashen Rider, que toma Surgical, e ele concede quando eu faço a Cage de novo. Campeão \o/

Foi bom rever os amigos, 38 players num final de semana que vários faltaram por ter concurso público é um ótimo quórum, foi um baita torneio, pretendia jogar só nas próximas férias, mas descobri que vou ter bye 1 no Open que vai ter em outubro, vamos ver se até lá o rug vai estar estabelecido como tier 1 no formato pra eu poder distribuir mais stifles por aí. vlw

Parabéns, Lenon (imagem meramente ilustrativa).

Sobre Paulo de Tarso

Jornalista de formação, vive a (e de) escrever. Joga (mal) Magic desde 1995, e encontra diversão para compensar a falta de talento para o jogo utilizando cartas e decks que não são muito usados por aí. De vez em quando flerta com algum relativo sucesso ao beliscar um top 8, mas não é muito afeito às mesas iniciais. Atualmente joga Legacy e alguns drafts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *