segunda-feira , dezembro 10 2018
Home / Reportagens / Novo recorde no Legacy em 2018

Novo recorde no Legacy em 2018

O Legacy alcançou um novo patamar em 2018 neste fim de semana. Nada menos que 53 jogadores participaram da Liga Paulista de Legacy (LPL), batendo por pouco o então recorde estabelecido pela Liga Mineira em junho (52). De acordo com Davi Pereira, um dos organizadores da LPL, a criação da Liga proporcionou aos jogadores um espaço privilegiado para quem quer jogar Legacy. Todas as etapas serão realizadas na Epic Games, que fica no famoso bairro da Liberdade, na capital paulista.

“Muita gente nem faz ideia, mas o Brasil tem uma grande comunidade de Legacy. Muitos tem vontade e condições de jogar Legacy, só não tem campeonatos que incentivem a entrada no formato, em São Paulo estamos dando esse incentivo, a comunidade aqui quer crescer junto com o formato e por isso os números só crescem”, comemora ele.

O Top8 ficou assim:

1 Edson Zerbinatti (4c Thorpter Foundry)
2 Diego Ganev (Elves)
3 Cauê Galbes (BG Depths)
4 Kauê Califoni (UWR Miracles)
5 Davi Pereira (Grixis Control)
6 Danilo Kiyan (Aggro Loam)
7 Rodrigo Martins (Grixis Shadow)
8 Carlos Tibério (Grixis Control)

Rio de Janeiro fazendo bonito – No Rio de Janeiro, 40 jogadores compareceram à Alpha Legacy, realizada na Magic Store Brasil. Com isso muito provavelmente passaremos dos 500 jogadores Legacy em todo o Brasil neste semestre (somando Minas, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pernambuco – faltando ainda incluir Brasília, cujo torneio será no próximo dia 5 de agosto.

1 Rodrigo Sousa (UW Helm)
2 Gabriel Torres (UW Blade)
3 André Albuquerque (Affinity)
4 Raphael Prais (Shardless BUG)
5 Cauê Costa (Sneak and Show)
6 Henrique (Reanimator)
7 Thiago Bellot (BUG Loam)
8 André Felipe (Jund)

Destacamos a vitória de Rodrigo Sousa – uma vez mais pilotando seu UW Helm – que se juntou a Mauro Edi, Rapahel Prais e Felipe Duarte no seleto grupo dos tricampeões do torneio. O deck consiste no combo de Rest in Peace com Elmo da Obediência, capaz de exilar com apenas uma ativação do artefato todas as cartas do grimório do oponente.

Outro deck que merece ser sublinhado é o Jund de André Felipe, superando o trauma do banimento do xamã e conquistando um lugar no Top8 num torneio com 40 jogadores. Não é qualquer coisa. Em pouco tempo André pesquisou diversas listas e fez uma adaptação livre para o field que esperava, diminuindo a curva do deck e utilizando cartas como Inquisição de Kozilek, Grim Flayer, Scavenging Ooze e Mirri’s Guile.

Se compararmos os dois Top8 é interessante notar a baixa presença de Delver decks e/ou similares (apenas um, em São Paulo, sem delver e com Death Shadow). Para ampliar o escopo da análise, coloco abaixo o Top8 da Lampions League, disputado no dia 29 de julho, quase um mês depois do banimento do xamã. Nenhum Delver, três decks com Sneak Attack:

Monored Sneak Attack
Sneak and Show
Miracles
Pox
BG Depths
Sneak and Show
Death and Taxes
Slivers

Com o novo field ainda em formação seria temerário fazer previsões. No entanto, é possível observar que os midranges/controles e combos estão se dando melhor que os aggros/tempo. Tanto aqui quanto nas estatísticas geradas pelo MtgTop8. Aggros/tempos  tiveram apenas um representante em cada uma das etapas acima mencionadas. Os combos tiveram dois representantes em São Paulo e no Rio, e quatro no Nordeste, enquanto os demais arquétipos ficaram espalhados pelos Top 8. A conferir.

Foto: André Franco/Epic Games

About Fausto de Souza

Fausto de Souza é pseudônimo do jornalista Marcelo Salles, que joga e coleciona desde 1994. Viciado nas cartinhas e em escrever, tem feito grandes amigos em toda a comunidade e é muito grato por isso.

2 comments

  1. Correção. Eu fui o jogador de grixis death’s Shadow de sp. NÃO havia delver no meu deck

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *