terça-feira , 23 outubro 2018
enpt
Home / Colunas / Command Beacon / Análise de Commander 2018: Adaptive Enchantment

Análise de Commander 2018: Adaptive Enchantment

Olá senhoras e senhores!
Bem vindos à Command Beacon, a nossa coluna sobre Commander multiplayer aqui na Eternal Magic!

Hoje chegamos ao nosso último artigo de análise dos decks e cartas de Commander 2018. Semana passada fizemos  a análise do deck Nature’s Vengeance e você pode conferir o artigo clicando aqui. Nosso foco hoje será no deck Bant().

Adaptive Enchantment / Encantamento Adaptável ()
Exquisite Invention / Invenção Requintada ()
Subjective Reality / Realidade Subjetiva ()
Nature’s Vengeance / Vingança da Natureza ()

Resultado de imagem para commander 2018 products

Deck – Adaptive Enchantment (0)

Commander (1)
Estrid, the Masked

Criaturas (25)
Bruna, Light of Alabaster
Eidolon of Blossoms
Kestia, the Cultivator
Tuvasa the Sunlit
Heavenly Blademaster
Nylea’s Colossus
Ravenous Slime
Arixmethes, Slumbering Isle
Hydra Omnivore
Ajani’s Chosen
Celestial Archon
Silent Sentinel
Boon Satyr
Herald of the Pantheon
Cold-Eyed Selkie
Daxos of Meletis
Elderwood Scion
Loyal Unicorn
Loyal Drake
Loyal Guardian
Archetype of Imagination
Whitewater Naiads
Aura Gnarlid
Reclamation Sage
Yavimaya Enchantress

Artefatos (1)
Sol Ring

Encantamentos (25)
Estrid’s Invocation
Ever-Watching Threshold
Octopus Umbra
Myth Unbound
Sigil of the Empty Throne
Dictate of Kruphix
Bear Umbra
Enchantress’s Presence
Epic Proportions
Ground Seal
Spawning Grounds
Finest Hour
Righteous Authority
Sage’s Reverie
Soul Snare
Unquestioned Authority
Eel Umbra
Vow of Flight
Dawn’s Reflection
Fertile Ground
Overgrowth
Snake Umbra
Vow of Wildness
Wild Growth
Unflinching Courage

Feitiços (7)
Empyrial Storm
Genesis Storm
Martial Coup
Phyrexian Rebirth
Winds of Rath
Creeping Renaissance
Kruphix’s Insight

Mágicas Instantâneas (2)
Dismantling Blow
Bant Charm

Terrenos (39)
Plains
Island
Forest
Forge of Heroes
Azorius Chancery
Blossoming Sands
Command Tower
Evolving Wilds
Krosan Verge
Meandering River
Mosswort Bridge
Seaside Citadel
Selesnya Sanctuary
Simic Growth Chamber
Terramorphic Expanse
Thornwood Falls
Tranquil Cove
Tranquil Expanse
Woodland Stream

Adaptive Enchantment é liderado por Estrid, the Masked, e possui como comandantes secundários Kestia, the Cultivator e Tuvasa the Sunlit. É um deck muito proativo, de pouca interação não-combativa,  contando com apenas 2 mágicas instantâneas (Dismantling Blow e Bant Charm), 3 remoções globais que pouco ajudam nesse plano de jogo  (Martial Coup, Phyrexian Rebirth e Winds of Rath), apenas 2 encantamentos (Ground Seal como grave hate e Soul Snare como remoção) e 2 criaturas (Reclamation Sage como remoção de artefatos e encantamentos e Ravenous Slime como uma forma de grave hate).

O restante do deck? Criaturas grandes e/ou que interajam com encantamentos assim como permanentes que desencadeiem habilidades com entrada de encantamentos (Bruna, Light of Alabaster, Kestia, the Cultivator, Tuvasa the Sunlit, Heavenly Blademaster, Nylea’s Colossus, Eidolon of Blossoms, Arixmethes, Slumbering Isle, Hydra Omnivore, Ajani’s Chosen, Celestial Archon, Silent Sentinel, Boon Satyr, Herald of the Pantheon, Elderwood Scion, Whitewater Naiads, Aura Gnarlid e Yavimaya Enchantress, Sigil of the Empty Throne e Enchantress’s Presence). Dos encantamentos, 12 são voltados principalmente ao combate (Octopus Umbra, Bear Umbra, Epic Proportions, Finest Hour, Righteous Authority, Sage’s Reverie, Unquestioned Authority, Eel Umbra, Vow of Flight, Snake Umbra, Vow of Wildness e Unflinching Courage) e os 13 restantes possuem funções um pouco mais variadas, desde card advantage e criação de fichas até ramp (Estrid’s Invocation, Ever-Watching Threshold, Myth Unbound, Sigil of the Empty Throne, Dictate of Kruphix, Enchantress’s Presence, Ground Seal, Spawning Grounds, Soul Snare, Dawn’s Reflection, Fertile Ground, Overgrowth e Wild Growth).

Atente-se aos custos, pois esse é um deck relativamente pesado. O motor para corrigir essa deficiência passa pela fontes de compra, que o levará aos cadenciamento correto de jogar um terreno por turno e não engasgar o deck devido aos custos mais altos. Então não menospreze essas fontes. No ambiente selado, indo na contramão de muitos, não acredito que esse seja um dos melhores decks, inclusive, pela falta de interações, pode sofrer contra os decks Exquisite Invention e Nature’s Vengeance. É uma pena, pois o design do deck é extremamente simplista e linear, mesmo com a existência de inúmeros encantamentos mais versáteis ou interativos no jogo, o que vai na contra mão do próprio nome do deck (Adaptive Enchantment).

Novas Cartas em Adaptive Enchantment

Por 6 manas, esse feitiço permite criar uma ficha de Anjo 4/4 Voar e criar um número de cópias de Empyrial Storm igual a quantidade de vez que você conjurou seu comandante da Zona de Comando. O número mais comum de anjos a serem criados provavelmente será 2, mas potencialmente podem ser criados mais, especialmente quando falamos de comandantes com baixo custo de mana convertido, como Rhys the Redeemed, Isamaru, Hound of Konda e Saffi Eriksdotter. É uma mágica lenta para um plano de jogo lento, mas se em seu meta há espaço para desenvolver estratégias subótimas não vejo porque não.

Usualmente estratégias que envolvam Auras e Equipamentos costumam orbitar o arquétipo Voltron Aggro, já que é possível condensar todo o dano de combate ao dano de comandante. Dessa forma não precisamos dividir a atenção entre conjurar criaturas e conjurar Auras e Equipamentos, além de pagar o custo equipá-los. Dessa forma, ganhamos tempo e velocidade. Por esse motivo não creio que, apesar de ter a principio ótimas habilidades, Heavenly Blademaster vá encontrar espaço em muitos decks, justamente por ter que dividir essa atenção no que seria um misto de Voltron e Linear Aggro/Swarm. O fato de não ser uma criatura lendária dificulta ainda mais. Caso pudesse ser um comandante, poderíamos pensar nessa estratégia de uma forma mais viável. Cabe observar porém, que essa criatura consegue encontrar um ótimo espaço ao lado de uma comandante mono-white: Kemba, Kha Regent. Essa comandante permite forçar uma estratégia Voltron enquanto se cria uma exército de Gatos turno a turno. Em uma mesa povoada, Heavenly Blademaster entra para tornar as fichas em uma ameaça real.

Estrid’s Invocation é uma espécie de Copy Enchantment muito superior, mesmo copiando somente encantamentos que nós controlemos. Em uma estratégia voltada para esse tipo de permanente, entrará como uma cópia de nosso encantamento mais relevante. Obviamente deve-se priorizar efeitos que se acumulam. Por que não ter em campo 2 Rhystic Study, 2 Suppression Fied, 2 Mana Vortex ou, caso tenha feito reserva no inferno, 2 Nether Void? A melhor parte em Estrid’s Invocation é que conforme o estado do jogo mudar, ele poderá se adaptar para algo mais adequado. Um Swarm tomou conta da mesa e você possui uma Propaganda que não será suficiente? Agora, que tal transformar a cópia de um Energy Flux que você possui, que está em uma mesa agora sem artefatos, em mais uma cópia de Propaganda? Essa é apenas uma situação de jogo perfeitamente viável e corriqueira. As possibilidades de uso para esse encantamento são inúmeras e considero uma ótima carta para se ter disponível.

É muito comum determinados tipos de estratégias serem focadas, como Full Combos, Combo Control ou Storms. Justamente por sua velocidade, toda e qualquer oportunidade de combate costuma ser voltada contra esse jogador. Em geral, para esse tipo de estratégia, abusar de cartas Pillowfort como Propaganda e Ghostly Prison não costumam ser uma boa jogada, visto que não aceleram seu plano de jogo e o protegem apenas de maneira parcial. Porém, Ever-Watching Threshold surge como uma opção viável de “proteção” para essas estratégias, pois ele não impõe um custo para atacar esse jogador, mas algo muito melhor: Card Advantage. Você irá atacar o jogador de Full Combo? OK, você dará mais uma carta para ele, e, muitas vezes, basta um único ponto de vida para ele vencer o jogo, desde que tenha cartas o suficiente para assimilar seu combo. Potencialmente, esse encantamento é capaz de comprar até 3 cartas por rodada de jogo, considerando 4 jogadores, caso eles sejam incautos e provavelmente são as mesmas pessoas que não pagam a mana do Rhystic Study. Portanto, costuma ser focado pelos deck Aggro e Midrange? Seu meta é mais agressivo? Ever-Watching Threshold pode ser o que você precisa para inibir ataques ou comprar muitas cartinhas.

Auras são permanentes controversas. Favorecem o famoso “2 por 1”, onde uma única remoção na criatura encantada pode levar a perder 2 cartas (a criatura e a Aura) para 1 carta (a remoção). Armadura de totem é uma habilidade que existe para minimizar esse tipo de desvantagem e favorecer determinados tipos de estratégias baseadas em Auras e/ou Equipamentos. No Commander uma das estratégias mais comuns são os Voltron, onde se costuma focar na vitória por dano de comandante, onde Auras com essa habilidade costumam ser muito bem vindas como uma forma de proteção a mais, onde o encantamento pode substituir a destruição da criatura. Octopus Umbra resgata essa habilidade. Transforma o poder e resistência base da criatura em 8/8, o que pode ser interessante para comandantes que naturalmente possuem poder mais baixo e identidade azul. Por exemplo, Rafiq of the Many, com apenas esse encantamento, é capaz de causar facilmente 18 pontos de dano. Com qualquer aumento em 2 de poder é hit kill. A outra habilidade dessa Aura é virar qualquer criatura de poder 8 ou menos mediante o ataque. Importante para tirar chump blockers do caminho. O que você deve se perguntar entretanto é: meu deck tem espaço para uma aura com custo 5? Ela será relevante em comparação com outras Auras de menor custo? Provavelmente a resposta é não. É o típico caso de “Meu deck está com 115 cartas, preciso cortar algumas”.

Genesis Storm é a última carta do ciclo de “Commander Storm”, sendo copiada para cada vez que você conjurou seu comandante da Zona de Comando. Seu efeito entra na família de cartas como que permitem conjurar permanentes do grimório, burlando seus custos, como podemos ver nos efeitos como Genesis Wave, Genesis Hydra, Selvala’s StampedeSee the Unwritten e Summoning Trap (as duas últimas restritas a criaturas). Sem um forte controle de topo (seja com tutores como Worldly Tutor ou reorganização de topo como Sensei’s Divining Top), a carta perde muito de seu potencial, já que podemos investir muita mana e correr um risco alto de cair por exemplo um Llanowar Elves ou uma mana rock como Fellwar Stone (em um estágio de jogo que mais mana não é seu objetivo). Quando comparamos com outras cartas equivalentes como Selvala’s Stampede, facilmente Genesis Storm perde espaço e passa a ser uma escolha terciária.

Myth Unbound está entre algumas das boas cartas dessa coleção. No próprio cerne do formato, é extremamente comum e relevante o fato do comandante ser a carta chave de um deck, tornando inclusive alguns decks extremamente dependentes deste. Em um jogo longo e com muita interação facilmente perdemos nosso comandante diversas vezes e é nesse contexto que esse encantamento traz um grande diferencial. Primeiramente, diminuindo a taxa de comandante. Em um exemplo hipotético, digamos que você esteja jogando de Atraxa, Praetor’s Voice e ela foi colocada 2 vezes na Zona de Comando. Em geral, com a taxa, você deveria pagar um custo total de 8 manas. Com Myth Unbound esse custo cai para viáveis 6 manas. Isso nos traz também outro ponto interessante que é a habilidade relacionada a compra de cartas. Para cada vez que for para a Zona de Comando, 1 carta a mais, te gerando uma compensação e Card Advantage real. Isso abre brecha para abusos, como combos que envolvam o comandante ir e voltar da Zona de Comando diversas vezes. Um exemplo é o famoso combo Food Chain + Prossh, Skyraider of Kher, que permite gerar mana infinita (para criaturas), usando o comandante e parte das fichas para conjurar o comandante múltiplas vezes, criando um looping. Com Myth Unbound em jogo você garante que irá comprar sua condição real de vitória (como um Zulaport Cutthroath) durante o combo. Porém tome cuidado. A compra não é opcional, então se usar de modo displicente correrá o risco de perder por tentar comprar de um grimório vazio.

Habilidade e corpo 6/6 interessantes. Custo horrível. Sozinho, há pouco valor a ser aproveitado, já que dobrará o poder e resistência de uma criatura, mas ele por si só não possui Ímpeto, nesse sentido sendo melhor aproveitado em um Big Aggro ou Voltron Aggro. Em um deck com múltiplos encantamentos, supondo que ao chegar na curva de mana 7 sua mão não esteja vazia, poderá conjurar múltiplos encantamentos e desencadear a Constelação diversas vezes. Quem pode fazer estrago com esse gigante é Xenagos, God of Revels, pois já entra aumentando alguma criatura já assustadora ou batendo 24 de dano com a ajuda do comandante. Mas esse custo não o faz ser uma das escolhas racionais.

Seu meta é recheado com decks que abusem de sacrifício de criaturas? Loopings degenerados envolvendo o cemitério? Sua resposta pode vir na forma de Ravenous Slime. Essa criatura é mais uma forma de grave hate de forma passiva, podendo frear justamente esse tipo de deck sem precisar utilizar recursos (como Scavenging Ooze, que necessita ativar habilidade). Esse lodo inclusive pode punir muito bem que insistir no erro de sacrificar criaturas, ou você mesmo com um plano mais proativo em forçar sacrifícios,  pode deixá-lo enorme. Cabe observar que Ravenous Slime também é uma excelente pedida contra um dos bichos papões do formato: Protean Hulk.

Novos Comandantes

Estrid, the Masked possui algum potencial. Por um bom custo de mana entra em jogo com 3 marcadores de lealdade. Sua habilidade +2 é um bom motivo para olhá-la com atenção, pois permite desvirar cada permanente encantada que você controla. A principio a melhor forma para se abusar dessa habilidade é gerar quantias enormes de mana com auras voltadas para terrenos (Utopia Sprawl, Wild Growth, Overgrowth, etc), o que pode ser fundamental em algumas estratégias Stax ou Combo. Seu -1 também traz perspectivas interessantes ao criar uma ficha de Máscara, uma Aura com Armadure de totem, efetivamente ajudando a proteger permanentes chave, desde peças de Stax fundamentais (Stasis, por exemplo) a terrenos, mana rocks, mana dorks (uma beleza com Bloom Tender) ou permanentes com boas habilidades que envolvam virar, como The Chain Veil, uma carta importantíssima para os bons decks de Estrid, como veremos na lista mais abaixo. As duas primeiras habilidades podem ser usadas portanto de forma sinérgica e altamente estratégica. O ultimate de Estrid, the Masked, com -7, consiste em colocar 7 cartas do grimório para o cemitério e depois um efeito similar a Replenish, voltando todos os encantamentos para jogo. É um efeito forte, porém não um finalizador como costumam ser essas habilidades.
Deck – Estrid, the Masked (Full Combo) (0)

Commander (1)
Estrid, the Masked

Criaturas (5)
Aven Mindcensor
Manglehorn
Thalia, Heretic Cathar
Kataki, War’s Wage
Scavenging Ooze

Planeswalkers (2)
Tezzeret the Seeker
Teferi, Temporal Archmage

Artefatos (4)
The Chain Veil
Sol Ring
Mana Crypt
Candelabra of Tawnos

Encantamentos (27)
Utopia Sprawl
Wild Growth
Fertile Ground
Overgrowth
Song of the Dryads
Imprisoned in the Moon
Verdant Haven
Market Festival
Dawn’s Reflection
Gift of Paradise
New Horizons
Stasis
Sylvan Library
Sunken Field
Weirding Wood
Blind Obedience
Sheltered Aerie
Unbridled Growth
Enchantress’s Presence
Root Maze
Wellspring
Mirari’s Wake
Mystic Remora
Rhystic Study
Carpet of Flowers
Energy Flux
Oath of Teferi

Feitiços (8)
Fabricate
Sylvan Scrying
Replenish
Supreme Verdict
Personal Tutor
Time Warp
Capture of Jingzhou
Temporal Manipulation

Mágicas Instantâneas (20)
Blue Sun’s Zenith
Sphinx’s Revelation
Pull from Tomorrow
Nature’s Claim
Swords to Plowshares
Spell Pierce
Swan Song
Mana Drain
Force of Will
Pact of Negation
Whir of Invention
Enlightened Tutor
Crop Rotation
Mystical Tutor
Negate
Delay
Silence
Pull from Eternity
Beast Within
Teferi’s Protection

Terrenos (31)
Misty Rainforest
Flooded Strand
Windswept Heath
Arid Mesa
Marsh Flats
Polluted Delta
Scalding Tarn
Wooded Foothills
Verdant Catacombs
Tundra
Tropical Island
Savannah
Breeding Pool
Hallowed Fountain
Temple Garden
Sea of Clouds
Bountiful Promenade
Command Tower
Nykthos, Shrine to Nyx
Serra’s Sanctum
Mana Confluence
Tarnished Citadel
City of Brass
Hinterland Harbor
Island
Forest
Plains
Forge of Heroes
Arch of Orazca

Essa lista foi criada como um Combo Control, voltado para finalizar com o combo entre Estrid, the Masked e The Chain Veil. Aviso de antemão que esse é um deck complexo de pilotar, fácil para jogadas erradas e que envolve vários cálculos. Mas então, como funciona? O setup básico é gerar uma grande quantidade de manas a partir de geradores encantados e que possam ser desvirados com a primeira habilidade da nossa comandante. Por esse motivo abusamos de Auras que encantem terrenos, tais como: Utopia Sprawl, Wild Growth, Fertile Ground, Overgrowth,Wellspring, Verdant Haven, Market Festival, Dawn’s Reflection, Gift of Paradise, New Horizons, Sunken Field, Weirding Wood, Sheltered Aerie e Unbridled Growth. Em caso de emergência, ainda podemos usar alguns encantamentos incapacitantes (Song of the Dryads e Imprisoned in the Moon) para essa função. Lembrando que nossa própria comandante pode trabalhar nessa função com sua segunda habilidade. Lembre-se, o melhor terreno para ser encantado nesse deck é Serra’s Sanctum, motivo pelo qual usamos Crop Rotation e Sylvan Scrying.

A partir desse momento o ideal é ter mana o suficiente para conjurar The Chain Veil e ativar sua habilidade. Então, a principio precisamos gerar 8 manas e ter nossa comandante com uma quantidade par de marcadores de lealdade, sendo esse um detalhe relevante para uma vitória garantida como veremos mais a frente. Para garantir o artefato, contamos com Enlightened Tutor, Whir of Invention, Fabricate e Tezzeret the Seeker, além de Mystical Tutor e Personal Tutor que podem buscar alguns desses tutores. Com The Chain Veil e Estrid, the Masked em campo, usamos a habilidade -1 para encantar o artefato. Na sequência, pagamos 4 manas para ativar o artefato, permitindo usar habilidades de planeswalkers mais uma vez. Usamos o +2 para desvirar as permanentes encantadas, incluindo nossos terrenos e The Chain Veil. Ativamos novamente e repetimos o processo. A partir daqui, caso tenhamos permanentes encantadas que gerem ao menos 5 manas, efetivamente podemos fazer mana infinita e finalizar o jogo com algum mana sink (Blue Sun’s Zenith, Sphinx’s Revelation e Pull from Tomorrow para comprar o deck, sendo o primeiro uma kill condition por si só), ou com Teferi, Temporal Archmage permitindo comprar o deck com múltiplas ativações de seu +1 ou ainda com Arch of Orazca encantado comprando uma carta a cada ativação.

Mas suponha que você não tenha nenhuma dessas condições de vitória em sua mão, apenas o setup inicial do combo. É necessário que, após encantar The Chain Veil, Estrid fique com 3 marcadores de lealdade. A partir dai o processo consiste em ativar seu +2 duas vezes, chegando a um total de 7. Devemos então usar seu ultimate e enviá-la para a Zona de Comando. Nesse ponto devemos ter mana o suficiente para conjurá-la novamente. Cabe agora uma observação relevante: The Chain Veil possui uma regra que poucos sabem. Suas ativações se acumulam para quando um planeswalker entra em campo. Ou seja, no nosso exemplo do deck,  teriamos ativado esse artefato até aqui um total de 4 vezes. Ao conjurar a comandante novamente, podemos ativá-la então 5 vezes.  Gere mana suficiente, ative o artefato mais vezes e garanta que ela chegue em 7 marcadores de lealdade para usar seu novamente seu ultimate e repetir quantas vezes forem necessárias esse looping. Atente-se sempre para a quantidade de mana. Nesse estado de jogo iremos colocando cartas no cemitério e trazendo todos os encantamentos para jogo. Isso deve ocorrer até cair a nossa verdadeiro finalizador: Blind Obedience. Com essse encantamento podemos usar a habilidade de Extorquir para causar dano nos oponentes a cada vez que conjuramos uma mágica. Como podemos fazer um looping de conjuração com Estrid, podemos conjurá-lá, Extorquir, usar suas habilidades para zerá-la e enviá-la de volta para a Zona de Comando, para então podermos repetir o processo e drenar mais 1 ponto de vida com Blind Obedience a cada vez.

Nossa comandante ainda permite mais um combo, nessa vez na forma de Stax. Com alguns terrenos encantados, podemos colocar em campo Root Maze, para que todos os artefatos e terrenos entrem em jogo virados, em conjunto com Stasis, impedindo que permanentes sejam desviradas. Como devemos pagar toda manutenção é ai que entra Estrid, desvirando todas as permanentes encantadas e permitindo sempre pagar o custo de Stasis enquanto travamos os oponentes e continuamos nosso jogo.

Por fim, temos várias cartas como suporte. Anulações (Spell Pierce, Swan Song, Mana Drain, Force of Will, Pact of Negation, Negate, Delay e Sunken Field), remoções (Nature’s Claim, Swords to Plowshares, Beast Within e Supreme Verdict), proteção e recursão (Silence, Teferi’s Protection, Pull from Eternity, Replenish, Eternal Witness e Riftsweeper), compras (Blue Sun’s Zenith, Sphinx’s Revelation, Pull from Tomorrow, Enchantress’s Presence, Sylvan Library, Mystic Remora, Rhystic Study e Arch of Orazca), turnos extra (Time Warp, Capture of Jingzhou e Temporal Manipulation), peças de Stax (Energy Flux, Root Maze, Stasis, Blind Obedience, Aven Mindcensor, Manglehorn, Thalia, Heretic Cathar e Kataki, War’s Wage) além dos já mencionados tutores (Enlightened Tutor, Whir of Invention, Fabricate e Tezzeret the Seeker,Mystical Tutor e Personal Tutor).

Quando olhamos Kestia, the Cultivator por si só temos a nítida sensação que não é uma boa comandante. Apesar do custo justo com um bom corpo 4/4, que pode ser utilizada para Agraciar uma criatura por , fornecendo +4/+4 ao encantá-la. Sua última habilidade permite comprar cartas para cada criatura encantada ou criatura encantamento que você controla atacar. Dessa maneira, sozinha já é capaz de nos fornecer uma compra por turno. Em decks que abusem de Auras e um grande número de criaturas pode permitir comprar uma boa quantia de cartas. Nada grandioso ou a principio forte. Caso queira abusar dessa comandante, atente-se ao detalhe: ela é uma criatura encantamento na zona de comando, permitindo que habilidades que desencadeiam com criaturas ou encantamentos desencadeiem com sua entrada. O que nos leva a lista que usarei como exemplo.

Deck – Kestia, the Cultivator (Full Combo) (0)

Commander (1)
Kestia, the Cultivator

Criaturas (19)
Arbor Elf
Avacyn’s Pilgrim
Birds of Paradise
Elvish Mystic
Fyndhorn Elves
Llanowar Elves
Noble Hierarch
Bloom Tender
Eternal Witness
Riftsweeper
Drift of Phantasms
Laboratory Maniac
Argothian Enchantress
Mesa Enchantress
Satyr Enchanter
Verduran Enchantress
Eidolon of Blossoms
Eternal Scourge
Misthollow Griffin

Artefatos (9)
Chrome Mox
Fellwar Stone
Mana Crypt
Mox Diamond
Azorius Signet
Selesnya Signet
Simic Signet
Paradox Engine
Candelabra of Tawnos

Encantamentos (21)
Burgeoning
Curiosity
Exploration
Keen Sense
Mirri’s Guile
Mystic Remora
Utopia Sprawl
Wild Growth
Copy Artifact
Earthcraft
Fertile Ground
Sylvan Library
Enchantress’s Presence
Food Chain
Myth Unbound
Overgrowth
Rhystic Study
Song of the Dryads
Verdant Haven
Leyline of Anticipation
Market Festival

Feitiços (7)
Idyllic Tutor
Time Spiral
Timetwister
Manipulate Fate
Extract
Foresight
Wargate

Mágicas Instantâneas (14)
Enlightened Tutor
Flusterstorm
Natural State
Nature’s Claim
Swords to Plowshares
Silence
Swan Song
Mana Drain
Delay
Snap
Frantic Search
Unwind
Turnabout
Force of Will

Terrenos (29)
Misty Rainforest
Flooded Strand
Windswept Heath
Arid Mesa
Marsh Flats
Polluted Delta
Scalding Tarn
Wooded Foothills
Verdant Catacombs
Tundra
Tropical Island
Savannah
Breeding Pool
Hallowed Fountain
Temple Garden
Sea of Clouds
Bountiful Promenade
Command Tower
Nykthos, Shrine to Nyx
Serra’s Sanctum
Mana Confluence
Tarnished Citadel
City of Brass
Hinterland Harbor
Island
Forest
Plains

Essa lista, com algumas pequenas modificações, é do jogador de Brasília, Lucas Bonifácio, um dos moderadores do grupo de Facebook cEDH Brasil e principal nome do canal Torre de Comando. O que ele visualizou foi justamente o ponto de que temos um encantamento na Zona de Comando e é a partir desse detalhe que focamos a lista, um Full Combo com contornos de Storm.

Primeiramente, a lista gera uma quantia gigantesca de Card Advantage por meio de efeitos como os de Argothian Enchantress, Mesa Enchantress, Satyr Enchanter, Verduran Enchantress, Eidolon of Blossoms e Enchantress’s Presence. Todos permitem comprar cartas quando um encantamento entra no campo de batalha sob seu controle. Esse card advantage ainda é complementado pela comandante e por Myth Unbound, Curiosity, Keen Sense, Mystic Remora, Sylvan Library, Timetwister e Time Spiral. Embora o foco seja realmente nas cartas da família de Enchantress’s Presence, pois são fundamentais a nossa estratégia.

A carta chave para o funcionamento do deck é Food Chain, pois permite exilar uma criatura e gerar o custo dela em mana de uma cor adicionada em mais um. Esse encantamento aliado a Eternal Scourge ou Misthollow Griffin permite gerar mana infinita para para criaturas, já que o grifo e o eldrazi podem ser conjurados do exilio, sempre deixando 1 mana na reserva. A partir desse cenário, conjuramos a comandante, que desencadeia a compra devido aos encantamentos tipo Enchantress’s Presence. Usamos ela para gerar mana com Food Chain e repetimos o processo, efetivamente comprando quantas cartas quisermos. Condições ideias para uma vitória comLaboratory Maniac. Para colocar as criaturas necessárias no exílio, usamos Manipulate Fate, Extract e Foresight. Para Food Chain, Drift of Phantasms, Enlightened Tutor, Idyllic Tutor e Wargate.

O restante do deck basicamente é formado por anulações (Swan Song, Mana Drain, Delay, Unwind, Force of Will e Flusterstorm), remoções (Song of the Dryads, Snap, Natural State, Nature’s Claim e Swords to Plowshares), recursão e proteção (Eternal Witness, Riftsweeper e Silence) e formas de aceleração, como mana dorks (Arbor Elf, Avacyn’s Pilgrim, Birds of Paradise, Elvish Mystic, Fyndhorn Elves, Llanowar Elves, Noble Hierarch e Bloom Tender), mana rocks (Chrome Mox, Fellwar Stone, Mana Crypt, Mox Diamond, Azorius Signet, Selesnya Signet e Simic Signet) e as auras de terrenos (Utopia Sprawl, Wild Growth, Fertile Ground, Overgrowth, Verdant Haven e Market Festival), ótimas com o suporte de compras de cartas e que sinergizam muito bem com formas de desvirar terrenos (Arbor ElfCandelabra of Tawnos, Time Spiral, Snap, Frantic Search, Unwind e Turnabout). Já os rocks e dorks são muito bem aproveitados por Paradox Engine, que pode levar a uma vitória nos moldes de um Storm.

A nossa terceira comandante Bant é Tuvasa the Sunlit, uma tritão com ótimo custo de 3 manas e um bom potencial Voltron, já que recebe +1/+1 para cada encantamento que controlamos. Isso abre possibilidades reais para usar encantamentos diversificados sem necessariamente focar no uso de Aura e Equipamentos como os Voltrons tradicionais, o que abre possibilidade de decks mais próximos a Good Stuff ou até mesmo Stax. Sua segunda habilidade nos fornece card advantage ao possibilitar a compra de uma carta quando conjurar seu primeiro encantamento do turno. Pode casar muito bem com habilidades Enchantress (Enchantress’s Presence, etc) e levar a uma progressão de compras que facilmente pode sobrepujar os oponentes.

Deck – Tuvasa, the Sunlit (Voltron Control) (0)

Commander (1)
Tuvasa, the Sunlit

Criaturas (9)
Eidolon of Rhetoric
Aven Mindcensor
Linvala, Keeper of Silence
Noble Hierarch
Llanowar Elves
Birds of Paradise
Avacyn’s Pilgrim
Bloom Tender
Thassa, God of the Sea

Artefatos (6)
Chrome Mox
Sol Ring
Mana Crypt
Null Rod
Torpor Orb
Winter Orb

Encantamentos (42)
Rhystic Study
Suppression Field
Aura of Silence
Duelist’s Heritage
Estrid’s Invocation
Sylvan Library
Aqueous Form
Utopia Sprawl
Wild Growth
Sterling Grove
Oblivion Ring
Grasp of Fate
Banishing Light
Ancestral Mask
Imprisoned in the Moon
Song of the Dryads
Detention Sphere
Rest in Peace
Stony Silence
Greater Auramancy
Blind Obedience
Leyline of Anticipation
Exploration
Root Maze
Ever-Watching Threshold
Land Tax
Nevermore
Rule of Law
Frozen Aether
Energy Flux
Pendrell Mists
Mana Vortex
Arcane Laboratory
Land Equilibrium
Mana Maze
Finest Hour
Steel of the Godhead
Ethereal Armor
Shield of the Oversoul
Overburden
Back to Basics
Monastery Siege

Feitiços (5)
Idyllic Tutor
Wargate
Replenish
Supreme Verdict
Armageddon

Mágicas Instantâneas (7)
Swords to Plowshares
Enlightened Tutor
Swan Song
Force of Will
Teferi’s Protection
Cyclonic Rift
Nature’s Claim

Terrenos (30)
Misty Rainforest
Flooded Strand
Windswept Heath
Arid Mesa
Marsh Flats
Polluted Delta
Verdant Catacombs
Wooded Foothills
Scalding Tarn
Tundra
Savannah
Tropical Island
Breeding Pool
Hallowed Fountain
Temple Garden
Command Tower
Island
Forest
Plains
Nykthos, Shrine to Nyx
Serra’s Sanctum
The Tabernacle at Pendrell Vale

A lista proposta aqui é um Voltron Control, fortemente pautado em Stax. Cabe observar que a dificuldade de muitos decks Stax reside justamente na capacidade de finalizar uma partida com eficiência, as vezes desacelerando brutalmente o jogo e devido a capacidade reduzida de finalização, acabar perdendo mesmo assim. O fato de Tuvasa, the Sunlit custar tão pouco e possuir uma progressão no seu poder faz facilmente  com que se torne uma ameaça real nas condições comuns de um jogo desse arquétipo, ainda mais se levarmos em conta que esse é um deck com um total de 42 encantamentos.

A base do deck são nossos encantamentos que restringem a progressão acelerada do jogo: Eidolon of Rhetoric, Suppression Field, Aura of Silence, Rest in Peace, Stony Silence, Blind Obedience, Root Maze, Nevermore, Rule of Law, Frozen Aether, Energy Flux, Pendrell Mists, Mana Vortex, Arcane Laboratory, Land Equilibrium, Mana Maze, Overburden e Back to Basics. Essas peças ainda complementados por peças de Stax não-encantamentos, como Linvala, Keeper of Silence, Aven Mindcensor, Null Rod, Torpor Orb, Winter Orb e The Tabernacle at Pendrell Vale. Infernizamos os oponentes também com boas interações, na forma de encantamentos (Oblivion Ring, Grasp of Fate, Banishing Light, Imprisoned in the Moon, Song of the Dryads e Detention Sphere) e de feitiços e mágicas instantâneas (Supreme Verdict, Armageddon, Swords to Plowshares, Cyclonic Rift, Nature’s Claim, Swan Song e Force of Will).

Para acelerar o clock sobre os adversários,, tornamos nossa comandante ainda mais letal com o uso de Duelist’s Heritage, Aqueous Form, Thassa, God of the Sea, Ancestral Mask, Finest Hour, Steel of the Godhead, Shield of the Oversoul e Ethereal Armor. Para manter a pressão sempre constante, além da compra proporcionada por Tuvasa, ainda podemos comprar com Rhystic Study, Ever-Watching Threshold e Sylvan Library. Protegendo o nosso campo, além de precisarem passar por cima das peças de Stax, deverão lidar com cartas como Sterling Grove, Greater Auramancy, Monastery Siege, Replenish e Teferi’s Protection. Acelerando tudo isso, temos nossa base de mana dorks e mana rocks, além de auras para terrenos (Utopia Sprawl e Wild Growth), Exploration e Land Tax (especialmente boa em conjunto com Back to Basics).

Enfim o Kraken mais grosseiro do Magic em termos de poder bruto, Arixmethes, Slumbering Isle. Possui um corpo absurdo de 12/12, custa apenas e ainda por cima pode virar para adicionar . Óbvio que isso vem com alguma desvantagem. Arixmether entra em campo virado e com 5 marcadores de Hibernação e enquanto houver ao menos 1 desses marcadores, nosso Kraken será um terreno e não uma criatura. Para retirá-los, deverá conjurar uma mágica, ou seja, sem muita gambiarra, um total de 5 mágicas.  Ao menos, enquanto isso, ele te eleva da curva de mana 4 para a 6.

Após se transformar em criatura, a maldade é o limite. O plano mais  direto é simplesmente exterminar com a vida dos oponentes através de dano de combate em uma única pancada, por isso cartas como Nantuko Mentor, Overwhelming Stampede, Pathbreaker Ibex, Triumph of the Hordes, Hedron Matrix, Grafted Exoskeleton e Fireshrieker, e caso conte com muitas criaturas, Dragon Throne of Tarkir seja lá como um Kraken desse tamanho senta em um trono.

Lembre-se que nosso comandante ainda possui mais um defeito: completa falta de evasão. Um simples esquilo 1/1 a principio é mais que o suficiene para bloqueá-lo. Nesse sentido atente-se também em formas de dificultar bloqueio, como Thassa, God of the Sea, Aqueous Form, Kaseto, Orochi Archmage, Rogue’s Passage, Caller of Gales, Wind Dancer, Power Matrix, Rhonas the IndomitableNylea, God of the Hunt, etc. Há ainda boas cartas para se abusar de um poder enorme como esse, especialmente no que tange a card advantage: Hunter’s Insight, Hunter’s ProwessRishkar’s Expertise, Soul’s Majesty e Garruk, Primal Hunter.

Lembre-se também que formas de desvirar terrenos podem ser bem aproveitadas para gerar mana enquanto ele ainda tiver marcadores de hibernação para reduzir essa contagem e manter o plano de jogo, como Snap, Frantic Search, Time Spiral, Reality Spasm, entre outros. Por fim, 2 cartas fantásticas em conjunto com o comandante: Freed from the Real e Pemmin’s Aura. Com qualquer uma das duas encantando Arixmethes, Slumbering Isle podemos gerar mana infinita verde. Tente imaginar toda sorte de atrocidade que possa ser feita a partir disso.

Deck – Arixmethes, Slumbering Isle (Aggro-Combo) (0)

Commander (1)
Arixmethes, Slumbering Isle

Criaturas (26)
Birds of Paradise
Llanowar Elves
Walking Ballista
Fyndhorn Elves
Elvish Mystic
Boreal Druid
Shaman of Forgotten Ways
Arbor Elf
Phantasmal Image
Phyrexian Metamorph
Prime Speaker Zegana
Voyaging Satyr
Kiora’s Follower
Selvala, Heart of the Wilds
Ley Weaver
Lore Weaver
Ghalta, Primal Hunger
Pathbreaker Ibex
Lupine Prototype
Phyrexian Soulgorger
Rhonas the Indomitable
Sheltering Ancient
Genesis Hydra
Hunted Troll
Eternal Witness
Drift of Phantasms

Planeswalkers (1)
Garruk, Primal Hunter

Artefatos (6)
Isochron Scepter
Paradox Engine
Sol Ring
Mana Crypt
Mox Diamond
Staff of Domination

Encantamentos (5)
Freed from the Real
Pemmin’s Aura
Intruder Alarm
Greater Good
Concordant Crossroads

Feitiços (13)
Genesis Wave
Rishkar’s Expertise
Capture of Jingzhou
Temporal Manipulation
Time Warp
Gitaxian Probe
Life’s Legacy
Soul’s Majesty
Expropriate
Time Stretch
Overwhelming Stampede
Sylvan Scrying
Sylvan Tutor

Mágicas Instantâneas (15)
Dramatic Reversal
Momentous Fall
Frantic Search
Unwind
Swan Song
Delay
Mana Drain
Nature’s Claim
Beast Within
Cyclonic Rift
Crop Rotation
Noxious Revival
Brainstorm
Worldly Tutor
Mystical Tutor

Terrenos (33)
Tropical Island
Minamo, School at Water’s Edge
Breeding Pool
Yavimaya Coast
Hinterland Harbor
Command Tower
Command Beacon
Flooded Grove
Misty Rainforest
Scalding Tarn
Flooded Strand
Polluted Delta
Windswept Heath
Verdant Catacombs
Wooded Foothills
Nykthos, Shrine to Nyx
Gaea’s Cradle
Deserted Temple
Strip Mine
Forest
Island

Nossa lista de Arixmethes, Slumbering Isle foi feita para abusar de Freed from the Real e Pemmin’s Aura gerando mana infinita, bastando para tal que nosso Kraken se torne uma criatura o mais rápido possível. A partir desse ponto, finalizamos o jogo com Walking Ballista, Staff of Domination ou de forma brutal com Genesis Wave colocando todas as nossas criaturas em jogo com Ímpeto, graças a Concordant Crossroads. Como a combinação Simic ()é deficiente na busca por encantamentos, precisamos dar algumas voltas para conseguir ter acesso às 2 Auras. O mais simples é transmutar Drift of Phantasms. Outras formas envolvem buscá-lo com Worldly Tutor ou Sylvan Tutor. Ou simplesmente comprando cartas em grandes quantidades, como veremos mais a frente.

Um método alternativo para mana infinita é com o já clássico Isochron Scepter + Dramatic Reversal ou Isochron Scepter + qualquer mágica instantânea válida + Paradox Engine, tendo em campo fontes não-terrenos que gerem ao menos 3 manas, por isso, além do nosso comandante, temos uma boa quantidade de criaturas que cumprem esse papel: Birds of Paradise, Llanowar Elves, Fyndhorn Elves, Elvish Mystic, Boreal Druid, Arbor Elf, Voyaging Satyr, Kiora’s Follower, Selvala, Heart of the Wilds e Ley Weaver (que ainda puxa Lore Weaver para comprar várias cartas).  Shaman of Forgotten Ways não pode ser utilizado para pagar o custo de ativação do Isochron Scepter, mas funciona muito bem como um ramp e condição de vitória.

Para auxiliar retirarmos marcadores de Arixmethes e/ou preparar nosso campo para a vitória, contamos com turnos extra (Capture of Jingzhou, Temporal Manipulation, Time Warp, Expropriate e Time Stretch) e mágicas “gratuitas” (Gitaxian Probe, Noxious Revival, Frantic Search e Unwind). Sylvan Scrying e Crop Rotation ainda podem reduzir marcadores e nos gerar mana positiva ao buscar Gaea’s Cradle, com uma quantia razoável de criaturas em nossa mesa, ou Nykthos, Shrine to Nyx, caso nossa devoção seja mais favorável. Podemos ganhar tempo também com alguns elementos de controle (Swan Song, Delay, Mana Drain, Unwind, Nature’s Claim, Beast Within e Cyclonic Rift)

Por fim, para chegarmos no estado ideal para ganharmos o jogo, obviamente precisamos das cartas chave em mãos, então o meio para se alcançar esse objetivo nessa lista é abusar de poderes enormes, especialmente no que tange a card advantage. Por isso usamos Prime Speaker Zegana, Garruk, Primal Hunter, Rishkar’s Expertise, Greater Good, Life’s Legacy, Soul’s Majesty e Momentous Fall. De forma agressiva, Overwhelming Stampede e Pathbreaker Ibex podem transformar nossos mana dorks em verdadeiras máquinas de matar. Claro, para tudo isso funcionar não podemos contar apenas como nosso comandante como fonte de poder, por isso tendemos a usar criaturas com alto poder e baixo custo tais como Ghalta, Primal Hunger, Lupine Prototype, Hunted Troll, Phyrexian Soulgorger, Rhonas the Indomitable e Sheltering Ancient. Todo esse maquinário de card advantage, em conjunto com nosso mana dorks, podem fazer um grande estrago com Intruder Alarm e Paradox Engine.

Finalmente chegamos ao fim das nossas análises de Commander 2018. Espero que tenham aproveitado, tido novas ideias e que o fervor para construir novos decks tenha se renovado. Elogios, críticas e sugestões sempre serão bem vindos. Sinta-se a vontade para comentar! Obrigado por chegar aqui e até a próxima!

 

Sobre Mateus Nogueira

Professor da rede pública de ensino no Distrito Federal, formado em Ciências Biológicas, nerd multiclasse, já jogou e aprecia diversos formatos de Magic: the Gathering. É especialmente apaixonado pelo Commander em sua vertente multiplayer, sendo um infeliz sem alma, apreciador de Stax e Combos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *