quinta-feira , fevereiro 20 2020
Home / Columns / God Hand / Com que deck jogar – 2

Com que deck jogar – 2

Na semana passada falamos de alguns decks que estão fazendo resultados no cenário competitivo: Bug NO, Golos Post, UR Delver e Monoblack Reanimator. No artigo de hoje vamos tratar de mais quatro opções para seus próximos torneios: Death and Taxes, Monored Prowess, Infect e Affinity, todas ótimas opções de custo/benefício, especialmente para quem está procurando entrar no formato sem ter de fazer um investimento inicial muito elevado.

Desde o banimento de Wrenn and Six, em 18 de novembro passado, o Death and Taxes voltou a ocupar seu posto de Tier 1 no Legacy. Talvez o melhor deck do formato que não use nenhuma carta da Reserved List, em pouco mais de dois meses conquistou o primeiro lugar no Suíço do Nacional Legacy, o Format Challenge do MOL, o Eternal Challenge #10, entre outros resultados mundo afora.

Uma lista interessante para analisarmos é a de Igor Silva, usada no segundo Trial vinculado ao Eternal Challenge #11 – que será realizado no próximo dia 29/2, em Brasília:

23 LANDS
2 Cavern of Souls
3 Karakas
9 Plains
4 Rishadan Port
1 Silent Clearing
4 Wasteland

26 CREATURES
1 Charming Prince
4 Flickerwisp
1 Mirran Crusader
4 Mother of Runes
1 Palace Jailer
3 Phyrexian Revoker
2 Recruiter of the Guard
2 Sanctum Prelate
4 Stoneforge Mystic
4 Thalia, Guardian of Thraben

4 INSTANTS and SORC.
4 Swords to Plowshares

7 OTHER SPELLS
4 Aether Vial
1 Batterskull
1 Sword of Fire and Ice
1 Umezawa’s Jitte

SIDEBOARD
1 Cataclysm
2 Containment Priest
2 Council’s Judgment
1 Damping Sphere
2 Deafening Silence
2 Faerie Macabre
1 Gideon, Ally of Zendikar
1 Leonin Relic-Warder
2 Rest in Peace
1 Sword of Light and Shadow

Esperando um field com grande número de Miracles, Igor optou pela segunda cavernas das almas ao invés da fábrica de mishra. Sabe o quão importante é resolver uma Thalia nesse Match up, especialmente se ela vier acompanhada de Porto de Rishadan.

O deck, pra quem não conhece, é feito de pequenas criaturinhas que reunidas produzem alguns soft locks ao tempo em que pressionam a vida do oponente. A recente adição de charming prince melhorou partidas contra Burn, por seu efeito de ganhar vida, assim como pode funcionar como um quinto flickerwisp, extraindo vantagem extra de Stoneforge Mystic e Recruiter of the Guard, por exemplo.

Aliás, essa carta é a cara do deck, capaz de se adaptar a diversas circunstâncias: como dizia o saudoso Vicente Matheus, “jogador de futebol tem que ser versátil como o pato, que é um animal aquático e gramático”.

O Death and Taxes é assim. Você pode levá-lo para o lado mais controle, pode apressar o clock com a Batterskull, pode usar a Jitte como remoção, tem como acessar o Sanctum prelate contra combos e por aí vai. E o melhor de tudo é que se trata de um dos decks mais acessíveis do formato no momento. Uma ótima escolha para disputar tanto os pequenos torneios nas lojinhas quanto eventos maiores. Afinal, como sabemos, Planície + Vial é uma das mais poderosas aberturas do Legacy!

*
Mox Opal banida do Modern foi o tiro de prata no Affinity, mas aqui no Legacy ele continua firme e forte como opção bastante sólida. Vejamos a lista utilizada por André Albuquerque, com a qual ele abocanhou o Top8 do Alpha Legacy #56, um dos circuitos mais competitivos do Brasil:

20 LANDS
4 Great Furnace
4 Spire of Industry
4 Tree of Tales
4 Vault of Whispers
4 Wasteland

25 CREATURES
4 Arcbound Ravager
4 Arcbound Worker
4 Disciple of the Vault
4 Etched Champion
2 Phyrexian Metamorph
3 Phyrexian Revoker
4 Vault Skirge

4 INSTANTS and SORC.
4 Galvanic Blast

11 OTHER SPELLS
3 Cranial Plating
4 Mox Opal
1 Umezawa’s Jitte
3 Welding Jar

SIDEBOARD
2 Abrupt Decay
2 Cindervines
1 Karakas
4 Leyline of the Void
3 Pacification Array
3 Pyroblast

Essa versão do Affinity custa algo entre 400 e 450 dólares, seguramente um dos decks mais baratos do formato. Um Aggro típico, em que seu plano de jogo consiste em dar o máximo de dano no menor espaço de tempo possível para depois abusar da sinergia entre Ravager e Disciple of the Vault, lembrando que as lands artefato tb podem ser usadas como finalizadores nesse caso.

Nos matchs mais grinds, Etched Champion é fundamental, podendo superar Tarmogoyfs e até mesmo atacar para a vitória por cima de um Griselbrand.

No sideboard, além dos hates tradicionais como as Leylines temos uma tech surpresa. Pacification Array é útil contra decks de muitas criaturas e também pode ser usado contra decks de Trinesfera, já que esta perde o efeito quando virada.

*
Também no campo das opções mais em conta temos uma lista de Monored Prowess, que fez 5-0 no Magic Online há quinze dias. De acordo com o mtggoldfish o deck inteiro custa 90 dólares e, dependendo do field e da capacidade do piloto, pode até mesmo superar a Marit Lage, como vemos na foto.

Soul-Scar Mage + Lava Dart garantindo a vitória contra a senhora Marit Lage

Creatures (12)
4 Monastery Swiftspear
4 Soul-Scar Mage
4 Bedlam Reveler

Spells (30)
4 Chain Lightning
4 Faithless Looting
4 Gut Shot
4 Lava Dart
4 Lightning Bolt
2 Abrade
4 Light Up the Stage
4 Fireblast

Lands (18)
18 Mountain

Sideboard (15)
4 Tormod’s Crypt
2 Blazing Volley
3 Red Elemental Blast
3 Crash
1 Sulfuric Vortex
2 Magmatic Sinkhole

Essa lista depende muito de um início com pelo menos uma entre as 8 criaturas de CMC 1, mas o ideal é que você encontre pelo menos duas delas em sua mão inicial. A curva do deck são duas manas (exceto se for recapitular Faithless Looting), e as lands extras nunca serão demais, tendo em vista que você pode usar as que estão sobrando para castar Fireblast e/ou Lava Dart do grave. Gut Shot é muito bom contra Delver e Light Up the Stage + Bedlam Reveler são o fôlego que faltava contra os midranges e controles.

No pós-side é possível compensar a desvantagem contra combos azuis, com os blasts, e os matchs que abusam do cemitério, que são as maiores ameaças do Monored Prowess (uma Iona para vermelho no primeiro ou segundo turnos praticamente encerra a partida). Daí termos 4 Tormod’s Crypt no side.

*
Para encerrar o artigo de hoje, trazemos um deck que estava há algum tempo fora do radar. Neste domingo (9), ele venceu o MKM Series, em Paris, e tem sido uma boa opção para quem curte ver suas criaturas batendo 10/10 para a vitória. Isso mesmo, estamos falando do Infect!

Vejamos a lista do amigo Rafael Obrusnik, que fez Top4 em 66 jogadores na etapa de janeiro do Legacy RS:

18 LANDS
1 Savannah
1 Forest
4 Inkmoth Nexus
1 Island
4 Misty Rainforest
1 Pendelhaven
3 Tropical Island
1 Wasteland
3 Windswept Heath

12 CREATURES
4 Blighted Agent
4 Glistener Elf
4 Noble Hierarch

26 INSTANTS and SORC.
1 Become Immense
3 Berserk
4 Brainstorm
1 Crop Rotation
3 Daze
4 Force of Will
4 Invigorate
1 Ponder
2 Spell Pierce
3 Vines of Vastwood

4 OTHER SPELLS
1 Oko, Thief of Crowns
1 Sylvan Library
2 Teferi, Time Raveler

SIDEBOARD
1 Chill
1 Ensnaring Bridge
1 Flusterstorm
2 Force of Vigor
1 Gilded Drake
1 Null Rod
1 Qasali Pridemage
1 Sorcerous Spyglass
3 Surgical Extraction
1 Teferi’s Response
2 Veil of Summer

Logo de cara observamos que o que era UG virou Bant, e o responsável por isso chama-se Teferi, Time Raveler. Ele resolve problemas históricos do deck, como Cálice do Vácuo. Além disso, num formato repleto de anulas, ou o oponente gasta o counter nele ou fica vulnerável a ser combado na volta. Além disso, uma cópia de Oko, Ladrão de Coroas serve como isca para que o plano principal seja alcançado. Assim, o adversário concentra todas as energias no planinalta enquanto podemos nos concentrar naquilo que interessa.

O sideboard escolhido por Rafael oferece respostas a praticamente todos os matchs relevantes do formato, como 1 Spyglass e 3 Surgical, que além de cumprirem suas funções primordiais servem como fonte de informação sobre a mão do oponente – algo extremamente importante para o Infect.

Mas não se engane. Nem todo jogo você vai abrir com elfo e na volta fazer livremente Invigorate + Berserk para a vitória. Na maioria das vezes haverá trocação de recursos e você precisará preparar as jogadas com suas cantrips. Lembre-se que, a exemplo do Monored Prowess, é desejável keepar uma mão com pelo menos uma ameaça, tendo em vista que elas são escassas. Não hesite em proteger seu elfinho com Force of Will se for necessário.

Por hoje são essas as dicas que trazemos para você se divertir jogando Legacy. Caso tenham sugestões ou dúvidas basta enviar mensagem pelo Twitter, FB, e-mail ou aqui mesmo nos comentários que responderemos a todos.

Um grande abraço do
Fausto

About Fausto de Souza

Fausto de Souza é pseudônimo do jornalista Marcelo Salles, que joga e coleciona desde 1994. Viciado nas cartinhas e em escrever, tem feito grandes amigos em toda a comunidade e é muito grato por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *